UOL ataca coordenador do MBL com pacote de mentiras e distorções

7
239

renan-600x450

Há vários motivos para temermos um governo bolivariano. Um dos principais é sua mania doentia de se valer de verbas estatais para adquirir apoio de meios de comunicação e jornalistas sujos, que não tem pudor algum de destruir reputações em nome dessas verbas. É momento de vermos como isso funciona na prática, mais uma vez.

No sábado, 07/05, mostramos como o UOL – parte do Grupo Folha, não se esqueçam – está publicando matérias direcionadas a atacar opositores do PT. O clima é de desespero, na tentativa de raspar o fundo do tacho. No UOL, ao que parece, o desconhecido jornalista Vinícius Segalla está assumindo boa parte do trabalho sujo.

Nesta matéria, víamos como um artigo do UOL, assinado por Segalla em 02/05, buscava assassinar a reputação de Raimundo Lira com factoides. Neste domingo, 08/05, o alvo é ninguém menos que Renan Santos, um dos coordenadores do Movimento Brasil Livre.

_lider_mbl

A matéria de Segalla (assinada em parceria com Pedro Lopes) apela em grande parte a um recurso de propaganda suja denominado seleção e omissão de informações, que dá todo um clima do Pravda russo ao conteúdo. Decerto o texto traz mentiras em nível torrencial, mas o diferencial tático está realmente na forma como eles omitem e expõem as informações disponíveis. Tecnicamente, é uma forma de mentira convertida em propaganda enganosa, só que nem tanto configurada por informações falsas, mas por informações picotadas para enganar o leitor.

Imagine, por exemplo, que você queira difamar seu vizinho, que acabou de comprar um carro que vale R$ 50.000,00. Porém, na verdade, ele só pagou R$ 10.000,00, sabendo que estava adquirindo junto um pacote de 30 multas que vieram com o carro. Essas multas no total, somariam R$ 23.000,00. O plano dele é quitá-las até o fim do ano e voltar a rodar com o carro. Ciente disso, você publica uma notícia dizendo que seu vizinho tem 30 multas de trânsito, e, portanto, é um risco para a população. Eis a técnica da seleção e omissão de informações. Em tese, você não estaria “mentindo”, mas omitindo marotamente várias informações para criar uma falsa imagem de seu opositor. Isso resume todo o artigo do UOL.

Sigamos com a análise daquela que é uma das peças de difamação mais torpes lançadas por uma mídia devotada a um governo sem nenhum senso moral.

O UOL alega que Renan Santos “está envolvido em problemas na Justiça”, mas esconde a informação de que as ações estão relacionadas à empresa, e não ao dono da empresa. A diferença é fundamental, pois quando uma empresa possui patrimônio, os credores acionam a empresa, e não a pessoa física. Essa escolha não é acidental, mas algo que dá mais segurança aos credores.

Logo, a seguinte afirmação é completamente falsa:

Ele [Renan] é réu em, pelo menos, 16 ações cíveis e mais 45 processos trabalhistas, incluindo os que estão em seu nome e o das empresas de que é sócio.

Mas por que o UOL não revelou quais processos trabalhistas estariam em nome de Renan e quais estariam em nome da empresa? Isso não é nem um pouco suspeito em relação ao UOL? Na verdade, conforme falado anteriormente, os processos estão em nome da empresa.

Em seguida, mais distorções. O UOL afirma:

[…] as acusações incluem fechamento fraudulento de empresas, dívidas fiscais, fraude contra credores, calote em pagamento de dívidas trabalhistas e ações de danos morais, num total de R$ 4,9 milhões.

Aqui a omissão de informações define todo o rumo do truque, e talvez seja o grande pilar deste jogo sujo. Da forma que os dados são apresentados se tem a impressão de que Renan teria montado uma empresa para dar calote em outras pessoas. Porém, na verdade, a empresa foi adquirida por seu sócio já com todas as questões pendentes para tentar recuperá-la. Essas informações constam em ação judicial e comprovam a nulidade de praticamente todo o texto do UOL. A dupla de jornalistas tentou vender Renan como “um enganador de pessoas” quando na verdade estavam diante de alguém que participou da aquisição de uma empresa com problemas.

Há algo mais grave ainda quanto à omissão de informações: a empresa possui patrimônio suficiente para quitar as dívidas, e há um processo judicial correndo para que esse patrimônio vá à leilão.

Além disso, o movimento está sofrendo uma ação de despejo de sua sede nacional.

Os contatos com Renan Santos (bem como as informações enviadas por ele) dão boas pistas de que a informação acima é falsa. Na verdade, não há comprovação de ausência de pagamentos dos alugueis. Pelo contrário, existe o encerramento de um contrato de aluguel, ao fim do qual o locador apresentou uma denúncia vazia, instrumento legal para encerrar um contrato com justificativa, como, por exemplo, ocupá-lo para uso próprio, realocá-lo ou vendê-lo.

[…] por se recusar a deixar o imóvel.

Mas como a matéria comprova a recusa? Qual citação? Qual evidência? É óbvio que se trata de uma alegação sem provas.

Desde 1998, ele enfrenta problemas na Justiça.

Isso é uma das coisas mais malucas que já li. Se Renan Santos possui 32 anos, como poderia enfrentar “problemas na Justiça” desde 1998, quando ele tinha apenas 14 anos? Aliás, nem mesmo é possível que alguém seja colocado como “laranja” em uma organização com essa idade.

Parece que o ECA (Estado da Criança e do Adolescente) foi revogado apenas para Renan Santos.

Como sempre, temos mais uma treta da dupla de jornalistas do UOL aqui.

Renan e seus irmãos são réus em, pelo menos, 16 processos na área cível.

Novamente visualizamos a mentira de considerar os sócios de uma empresa como réus das ações sob estas empresas. Todavia, aqui temos um outro detalhe: um réu não é o mesmo que uma pessoa ou empresa condenada. Se assim fosse, teríamos que inviabilizar a própria matéria do UOL em razão dos diversos processos trabalhistas sofridos pela empresa.

Clique no link em anexo e baixe o arquivo para visualizar a quantidade absurda de processos lançados sobre o UOL e o Grupo Folha. Encontramos até processos criminais relacionados à pessoa de Otávio Frias Filho.

De novo: abaixo não temos apenas processos cíveis, como processos criminais. No link citado (de novo, para ninguém esquecer), vemos os códigos de vários e vários processos do Grupo Folha. Abaixo veja alguns processos criminais onde Otávio Frias Filho é indiciado:

______indiciado_otavio

Mesmo assim, eles não ficam corados. Sobre Renan, o UOL prossegue:

São processos de cobrança de dívidas já consideradas líquidas e certas pelo Poder Judiciário. Juntas, somam mais de R$ 3,4 milhões.

Precisaríamos comparar a quantidade de processos trabalhistas em nome do UOL e avaliar o montante de todas essas dívidas. Porém, aqui está a informação omitida na matéria do UOL contra Renan: se o patrimônio supera as dívidas, então é difícil fazer a acusação aplicada pelo UOL. Mas se formos desconsiderar o patrimônio, claramente o UOL deve muito mais do que a empresa da qual Renan e sócio. Qual será a atitude dos jornalistas Segalla e Lopes? Omitir o patrimônio do UOL e do Grupo Folha para fingir que as duas empresas estão fraudando as pessoas?

Se alguma empresa adquirir o UOL com esses passivos passará a se tornar incapacitada para a atuação política? Por que as regras que o UOL atribui para Renan não são aplicadas pelo próprio UOL para si próprio? Ou para o próprio grupo Folha?

Em suma: se os ativos do UOL superam as dívidas, então seus donos ainda estão na lista daqueles que podem pagar estas dívidas, e, portanto, não são os réus das ações judiciais (e no caso em questão, vimos que até mesmo Otávio Frias Filho é indiciado em ações criminais, e precisamos avaliar isso mais a fundo). O mesmo vale para Renan Santos, pois a empresa em questão possui ativos superiores às dívidas e, portanto, ele, na melhor das hipóteses, estaria na mesma situação legal que os proprietários do UOL ou do Grupo Folha.

São fornecedores que deixaram de ser pagos, bancos que não receberam de volta empréstimos concedidos, empresas que foram fechadas de forma, segundo a Justiça, fraudulenta, e buscas frustradas de oficiais de Justiça por bens devidos.

Anote essa informação, importantíssima, pois o UOL vai se contradizer logo em seguida.

Na maioria dos processos, o tempo para a empresa se defender já passou, e a cobrança que está sendo realizada na Justiça não tem resultado porque os tribunais não encontram valores nem nas contas das empresas, nem nas de seus proprietários.

Outra informação para ser anotada, pois alimenta ainda mais a contradição que veremos a seguir.

Depois de condenados, com o início do processo de execução, a Justiça chegou a decretar o bloqueio das contas bancárias da empresa, mas nelas não encontrou dinheiro. Foi decretada, então, a penhora de bens da empresa, que irão a leilão para levantar os valores devidos.

Eis a definitiva implosão desta peça bizarra que chamaram de “artigo”. Antes o UOL se recusou a exibir os bens da empresa devedora. Talvez fizeram isso para fingir que as dívidas teriam passado aos donos da empresa pela inexistência de bens para seu pagamento. Por isso talvez escreveram anteriormente sobre “buscas frustradas de oficiais de Justiça por bens devidos”. Mas neste parágrafo eles refutam a si próprios, pois dizem que “foi decretada, então, a penhora de bens da empresa, que irão a leilão para levantar os valores devidos.”

UOL, decida-se. As buscas por “bens devidos” foram frustradas ou os “bens da empresa” foram penhorados e vão a leilão?

Faltou no mínimo uma revisão aí, suficiente para mostrar que o texto é mentiroso. Mas, enfim, existindo bens penhorados, é claro que o UOL omitiu esses bens. Caíram em ato falho parágrafos a seguir, reconhecendo a existência de bens, mas daí esconderam o valor desses bens.

Sobre a Martin, Renan nega que exista irregularidades e disse que a família “já comprou [a empresa] com dívida”. “Comprei para tentar recuperar. A gente já fez inúmeros acordos e está tentando tocar. O que há são dívidas, assim como inúmeros empresários têm dívidas. Eu sou mais um dos milhões de pessoas que tentaram empreender no Brasil e não conseguem.”

Aqui temos outra desonestidade clara. Não existe isso de “Renan disse que (x)”. Ou o UOL tem a comprovação de que Renan gerou as dívidas após ter comprado a empresa ou não tem essas provas. E pelo que se nota até agora, o UOL não possui prova alguma de que as dívidas da empresa Martin foram geradas após a entrada de Renan na sociedade.

Em relação à sede do MBL, o imóvel é alvo, desde janeiro, de uma ação de despejo na 31ª Vara Cível de São Paulo. A proprietária, Lrbo Adm de Imóveis Ltda, pediu a desocupação do imóvel em outubro do ano passado, mas não teve resposta e entrou com a ação.

Outra história muito mal contada pelo UOL, pois, até onde se sabe, é preciso definir os motivos para o despejo. Foi por falta de pagamento de aluguéis? Quais meses? A matéria esconde essas informações. Mas curiosamente Renan diz que tem os recibos de pagamento de aluguel. Então faltou o UOL comprovar que esses recibos não existem. Ou descrever quais os motivos para o despejo. É litigioso? Ou novamente não há nada?

Um certo órgão de mídia afirma que “é possível você dizer uma grande mentira dizendo várias verdades”. Me parece que é o caso aqui.

Os processos que têm Renan como réu incluem casos de dívida fiscal, fraudes contra credores e até dano moral. Pelo menos nove deles já chegaram na fase de penhora de bens, e acabaram suspensos após a Justiça não conseguir encontrar nenhum bem no nome dos réus. Ao buscar recursos nas contas de Renan, a Justiça encontrou somente R$ 9.

Espere. Antes haviam bens penhorados, e agora os processos chegaram “na fase de penhora de bens, e acabaram suspensos após a Justiça não conseguir encontrar nenhum bem no nome dos réus”. Já é possível encontrar a cada parágrafo uma contradição no próprio texto.

O que vemos, por enquanto, é que o UOL não tem nada contra Renan Santos. Nada que configure sequer uma ação criminal. Enquanto isso, o UOL possui associação com Breno Altman, do Opera Mundi, denunciado na Lava Jato. Aí a coisa é feia, muito feia…

Em todo o governo do PT, a Folha recebeu cerca de R$ 200 milhões de reais em anúncios estatais. O UOL recebeu cerca de R$ 80 milhões.

Decerto Renan Santos pode ser questionado por ter adquirido (ou aceitado se associar com)  empresas com vários ativos trabalhistas, mas isso não é um crime nem aqui nem na China. Hoje em dia, diante de um governo socialista que destrói os negócios, a inadimplência atinge hoje mais da metade das empresas. E isso foi reportado pela própria Folha, de cujo grupo o UOL faz parte, logo eles não podem fingir ignorância. Em tempo: o Brasil é campeão mundial de ações trabalhistas.

Os números de 2007 já eram estarrecedores: “Com cerca de 2 milhões de processos por ano, o país é campeão mundial em ações trabalhistas, segundo levantamento do sociólogo José Pastore, especialista em relações do trabalho há mais de 40 anos. Segundo ele, nos Estados Unidos o número de processos não passa de 75 mil; na França, 70 mil; e no Japão, 2,5 mil processos.”

E a coisa só aumenta.

Enquanto isso, o Bolsa Empresário destina R$ 270 bilhões para empresas bilionárias aliadas ao partido. A empresa adquirida por Renan não foi agraciada com este tipo de benefício. Será que é por que ele se opõe ao governo?

A Folha de São Paulo apoiou a ditadura militar e hoje apoia a tirania petista, que ajudou a destruir empregos e esmagar negócios. Parte da desgraça que se abate sobre a economia brasileira tem corresponsabilidade dos apoiadores do PT, entre eles a Folha e o UOL. Não seria hipócrita usarem seu espaço – financiado, dentre outras fontes, por verbas estatais imorais – para atacarem um empresário que vive uma situação difícil como tantos outros somente por que ele se opõe ao governo? Vai virar moda perseguir empresários que se opõem ao governo e ficar de bico calado quanto às reais irregularidades praticadas por empresários fechados com o mesmo governo?

No fim, a empresa Martin, da qual Renan é sócio, é mais moral que a Folha e o UOL, principalmente por não depender de verba estatal de anúncios. Renan apenas faz parte dos mais de 50% de empresários inadimplentes de alguma forma. A Folha dá apoio a um governo que cria este tipo de inadimplência. Enquanto Renan é uma das tantas vítimas da máquina esmagadora do governo petista, a Folha ajuda esta máquina a destruir sonhos e famílias.

O que a matéria porca do UOL mostra é simplesmente a distorção de informações no intuito de perseguição política praticada por uma empresa sempre forrada de anúncios estatais. Neste 08/05, o UOL se comportou como os meios mais podres da ditadura de Nicolas Maduro. É por isso que eles falam tanto em Ley de Medios: para que mídias bancadas com verbas estatais vivam fingindo fazer assassinato de informações disfarçado de jornalismo.

A tentativa de desconstrução de Renan Santos deve servir como um alerta a todos os cidadãos livres: eles vão usar distorções diversas para atacar pessoas que não tenham cometido qualquer crime para tentar livrar a cara de uma organização criminosa como o PT. Se hoje o alvo é Renan Santos, amanhã pode ser qualquer um de nós.

Para defender uma organização criminosa no poder, eles atacam uma pessoa que tem ficha criminal limpa, como se vê abaixo:

_evidencia_renan

O Grupo Folha, e especialmente o UOL, envergonham o jornalismo brasileiro. Ficamos por toda a matéria procurando evidências que comprovassem qualquer crime de Renan Santos. Nada se encontrou. A única coisa que vimos é a evidência de que as empresas chapa branca não possuem escrúpulos: todas as informações podem ser intencionalmente distorcidas por essa gente, que não tem nenhum senso moral.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Façam o seguinte teste: tentem publicar somente o link no qual está publicado este artigo do Ayan no site do UOL.

    Link do artigo do Ayan: https://lucianoayan.com/2016/05/09/uol-ataca-coordenador-do-mbl-com-pacote-de-mentiras-e-distorcoes/

    Link do UOL: http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2016/05/08/mbl-sofre-acao-de-despejo-e-um-de-seus-lideres-tem-divida-de-r-44-milhoes.htm

    Resultado da tentativa:

    Seu comentário contém URL ou palavras de abuso.
    Escreva novamente seu comentário em 15 segundos

    Resultado agora da tentativa usando somente com a URL https://lucianoayan.com/ :

    Seu comentário contém URL ou palavras de abuso.
    Escreva novamente seu comentário em 15 segundos

    É, Luciano, criaram um filtro para você lá no site da UOL.

  2. Acho que depois de serem desmentidos, acho que mudaram a frase de:
    “Composto em sua maioria por jovens de formação liberal, o Movimento Brasil Livre tem em Renan seu coordenador mais velho: 32 anos. Desde 1998, ele enfrenta problemas na Justiça.”
    Para parecer menos mentiroso:
    Composto em sua maioria por jovens de formação liberal, o Movimento Brasil Livre tem em Renan seu coordenador mais velho: 32 anos. Há processos movidos contra ele e empresas das quais participa desde 1998″
    Não fica difícil encontrar, várias cópias foram espalhadas por apoiadores de petralha, uma cópia foi publicada como ‘notícia’ até em site “Instituto Humanitas Unisinos”, deu para ver que o petista do Uol tentou corrigir a mentira, não conseguiu. Nos resultados do Google, até um Tico Santa Cruz apareceu partilhando como se a maior verdade do mundo fosse.

  3. Parabéns pela bela e extensa análise deste absurdo que se tornou aqueima de dinheiro público como arma de difamação. Faltam dois dias para nos livrarmos deste pesadelo bolivariano. Que Deus nos ajude até lá.

Deixe uma resposta