Falabella captou 13 milhões via Lei Rouanet

8
144

E o personagem Caco Antibes, de Miguel Falabella, ganhou uma versão menos engraçada e mais imoral na vida real, encarnado no próprio ator, também um agraciado pela podre Lei Rouanet:

Em mais uma demonstração de como o Ministério da Cultura serve apenas para tirar dinheiro dos pobres (via impostos) e entregar a ricos artistas, o Ministério da Cultura (MinC) ofereceu, ainda sob o governo Dilma Rousseff, parecer favorável para a captação via Lei Rouanet de R$ 13.330.127,50 para a montagem do espetáculo musical Annie, com direção e versão de Miguel Falabella e estreia prevista para Março de 2017, na cidade de São Paulo. Resta apenas que a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) aprove o parecer em sua 245a reunião, a qual deve acontecer nos próximos dias 7 a 9 de junho, em Brasília.

De acordo com a justificativa oferecida pelo projeto (e aprovada pelo MinC), “Annie é uma adaptação do espetáculo da Broadway de mesmo título. No formato de espetáculo musical, a peça visa contribuir para o desenvolvimento cultural de seus espectadores.” A própria justificativa do projeto admite que “sem a Lei Rouanet este projeto é totalmente inviável, uma vez que os custos jamais serão cobertos pela bilheteria”, pedindo assim, para que o dinheiro tomado dos pagadores de impostos (que, no final, são sempre os reais pagantes dos impostos cobrados pelo estado das empresas) seja utilizado para financiar a peça de Miguel Falabella.

É de dar nojo de pobres… de espírito como esses recebedores de mamatas da Lei Rouanet, enquanto o povo sofrido só leva trollagem na cabeça.

Fonte: Peça de Miguel Falabella tem apoio do MinC para captar 13 milhões via Lei Rouanet – ILISP

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Não é a esquerda que tá fazendo boicote contra a Globo mídia golpista?. Ta aí que a maioria dela e os eventos que ela faz recebe essa grana.

    Então, pq não apoiam a CPI do Rouanet?, vivem brigando que a Globo pegou empréstimos bilionário da Caixa, BNDES, e caloteira mimimi …. looooolll.

    Ficar só nessa parte de Globo (mamadora de dinheiro do pt) vilã é fácli, fácil fazer boicote só contra os anunciantes, vão ter que morar no mato.

  2. Miguel Falabella, que só sabe “interpretar” personagens no estilo Caco Antibes? O típico ator de um personagem só? Pff…

    Lembrando que esse imbecil sempre falou super bem ~das comunidades~ dizendo que quem vive ~nas comunidades~ é mais feliz do que quem vive na zona sul do Rio (no caso, ele próprio), até o dia em que ele criou aquela série “Sexo e as Nega” e passou de aliado à vítima da militância esquerdopata, que sentou o cacete nele o acusando de racismo e machismo. Bem feito, loiro burro.

  3. É muita falta de Vergonha, pessoas que se dizem estudadas e vividas ,apoiarem uma Lei hipócrita dessas ,um dinheiro que daria para melhora a saúde , a educação a fome de milhões de pessoas que sofrem dia a dia com a miséria em que o Brasil se tornou ,para quem vive de mama ta do governo ,está na hora de acorda para a realidade e ter vergonha na cara de pensa somente no próprio umbigo e esquecer dos que realmente precisam …

  4. Se ao menos fosse uma fonte de diversão para o trabalhador,a gente aliviava a indignação. Mas n~/ão é o caso. Quem vai a teatro,não é o povo classe media baixa,ou menos. Esses precisam de saúde,educação,segurança.E até segurança para quem trabalha nela e não tem nem armas de acordo,porque falta verba,que vai para a elite vermelha,que quer proletariado,para o povo,para eles amizade com os ditadores.Aff! E eu que gostava de Falabella…

  5. Há alguns anos atrás, não sei se ainda hoje, os estudantes das escolas primárias públicas da Austrália e Inglaterra recebiam, no início do ano letivo, livros de capa dura com encadernação de ótima qualidade de todas as matérias daquele ano. Por ocasião da devolução no fim do ano, os pais eram obrigados a pagar indenização se os livros não estivessem no perfeito estado que os receberam . Não eram livros como os atuais em que o aluno escreve neles e só servem uma única vez. Decorridos vários anos, não poderia o Ministério da Educação e Cultura selecionar por concurso, compra de direitos autorais de dicionários do tipo Aurélio ou Houaiss, ou os livros alta qualidade, (em todos os níveis, desde o primário) de matérias como matemática, física, ciências, química, biologia, gramática, etc. e colocá-los gratuitamente Internet permitindo sua livre impressão ou disponibilização nos e-boocks e kindles da vida? No mínimo iria melhorar a formação das professoras primárias e permitir maior quantidades de auto didatas.

  6. ESSE NOSSO PAIS DE PALHAÇOS ENQUANTO OS POBRES ESTÃO MORRENDO OS INTELECTUAIS ESTÃO ESBANJANDO O NOSSO DINHEIRO, ISSO PRECISA PARAR, PRIMEIRO O NECESSÁRIO. BANDO DE CANALHAS. PRECISAMOS DO MÍNIMO E NÃO TEMOS.

Deixe uma resposta