Menina leva nota zero por questionar socialismo. Mãe questiona: ‘Escola sem partido?’

14
428

pinky-1

Crianças seguem sofrendo abuso psicológico e perseguição em escolas, impedidas sequer de terem liberdade de pensamento e buscarem conhecimento real. Prova disso está em uma matéria do Extra, mostrando que uma mãe lutou pelo direito de ver a filha não ser perseguida. A história é inspiradora:

Uma mãe do Rio de Janeiro, indignada com a nota zero levada pela filha em uma questão de prova, decidiu compartilhar em seu Facebook como conseguiu reverter a avaliação do professor, fazendo com que a menina obtivesse o ponto perdido.

A introdução da questão dizia: “O processo de globalização, que vive o mundo de hoje, propõe como elemento de estabilidade social, econômica e política, o velho paradigma das leis de mercado. (…) sobrevive só quem tem competência”. Em seguida, vinha o enunciado: “Considerando o texto acima, podemos afirmar que o capitalismo fundamenta a lógica imoral da exclusão. Justifique tal afirmativa”.

Com a resposta a seguir, a aluna levou nota zero: “Não concordo que o capitalismo fundamenta a lógica imoral da exclusão. Muito pelo contrário. O capitalismo amplia empresas, gerando assim, empregos. O capitalismo dá oportunidades a todos, diferente do comunismo e socialismo que não deu certo em nenhum país. A exclusão não está relacionada ao capitalismo, porque ele não gera pobreza. Fica pobre quem quer, pois ele gera oportunidades. E também tem a meritocracia, que deve ser vista como um plus na sociedade, pois quando se recebe uma oportunidade é possível alcançá-la com mérito e dedicação”.

Depois de ver a correção da prova, a mãe, então, decidiu questionar a escola, que voltou atrás, concedendo a pontuação máxima da questão. “Escola sem partido? Minha filha contestou ‘que o capitalismo fundamenta a lógica imoral (sic) da exclusão’ e levou um zero. Só obteve o ponto nesta questão manipuladora pois fui à direção da escola questioná-los”, escreveu no Facebook.

Veja o abuso cometido pelo professor:

E aqui está a pergunta manipuladora:

Eu sou um fã do projeto Escola sem Partido. Mas entendo que eles deveriam ser mais incisivos ao explicar o que realmente acontece nas escolas: abuso de alunos, cerceamento à liberdade de consciência e de expressão,  violência psicológica e proibição de aquisição de conhecimento.

A luta é por uma escola sem doutrinação é uma luta contra essas violências. É preciso usar termos mais fortes.

Essa mãe é uma heroína. Ela salvou sua filha. O professor que fez isso não merece ser chamado de professor. É um inimigo do conhecimento e da liberdade de consciência.

Fonte: Menina ‘defende’ capitalismo em questão de prova, leva nota zero e mãe questiona: ‘Escola sem partido?’

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Que absurdo. Já ouvi de professores universitários esquerdistas os seguintes absurdos psicopáticos: “O furto pode ser interpretado como uma forma de distribuição de renda” (naquela linha de que são as injustiças sociais que geram os criminosos) e, de um professor de direito do trabalho, que “o capitalista passa 24h por dia pensando em como burlar os direitos do trabalhador”… Boçais ignorantes como estes estão infiltrados em todo sistema educacional.

    Agora sobre esta questão acima, nenhum esquerdista foi capaz de refutar o óbvio: na modernidade, capitalismo e democracia sempre caminharam juntos, sempre se retro-alimentaram…

  2. Uma detalhe deve ser observado, muitos desses “professores” de esquerda, sejam petistas ou não, são geralmente fãs do petista e marxista convicto Paulo Freire. Se alguém cita esse indivíduo, coisa boa não é! Uma boa dica para desmascarar o professor é perguntar se ele é fã de Paulo Freire, se a resposta for sim, fiquem de olho nele!

  3. Não basta só lutar pelo fim da doutrinação, porque isto vai levar décadas! Temos q lutar por ensino a distância (EAD). Sem o professor face a face a doutrinação perde muita força. E temos q usar a linguagem deles para exigir o EAD, ou seja, dizer q só o EAD garante igualdade, q irá empoderar os alunos pobres e os alunos da zona rural.
    Também temos q lutar pelo homeschooling.

    • A melhor coisa que fiz na vida for ter apostado na minha aptidão para as ciências exatas e ter terminado meu doutorado em Matemática. Poupei-me de anos sendo massacrado pelas nulidades das ciências sociais. Com filho meu só me preocupo com as exatas e língua estrangeira–porque até o pessoal de língua português costuma ser soldadinho de boina–fora meu incentivo ao xadrez, a música e a literatura estrangeira.

      Meu Filho–Papai, e as matérias da escola?
      Eu– Faça como eu, só se ocupe de matemática, física, química, inglês, meu filho, porque o resto é uma bela de uma merda!!

      A mãe pode não gostar muito disso, mas eu seguro as pontas do moleque. hahaha.

      Mães, estimulem seus filhos e filhas às ciências exatas e a atividades como o xadrez, por exemplo. Muita Geometria, aritmética, abertura Siciliana e a Rui Lopez!! kkkkk. Teu rebento vai desenvolver dentro dele uma rocha mental!! O resto vem depois, quando a tal rocha na mente dele for um muro sólido para os sofismas melífluos das ditas “humanas” .

    • Olá, Adriana. Como professor, não julgo que EAD resolva a questão: perceba que a prova poderia estar num curso EAD, pois pessoas fazem os materiais de qualquer jeito. Penso que o Homeschooling seja uma boa, mas a Escola deveria (aos filhos de famílias de menor poder aquisitivo ou “nível acadêmico”) ter mais a forma comunitária, com a Internet como entrada à informação (se foi isso a que te referias com “EAD”, desculpe-me).
      Se quiseres ler algo a respeito, recomendo o livro: A máquina das crianças, de Seymour Papert.

  4. Tive um professor que chegou a contabilizar os votos dentro da sala de aula para as eleições de 1994 (FHC x Lula). Era interessante ver até onde ia a canalhice. Quando um aluno dizia que votaria no FHC; ele descia o sarrafo criticando a aluno e dizendo que ele não tinha aprendido nada nas aulas (de Doutrinação Marxista certamente não). Quando o aluno dizia que votaria no PT; era aplausos e elogios a “inteligência” da criatura.

    Já vi professor dando aula com camisa do PT e ao ver uma aluna com uma camisa de um adversário político, começou a xingar a coitada de burra e ignorante humilhando-a em uma sala de aula lotada.

    Antes da popularização de iphones e internet banda larga que sem dúvida inibem esses absurdos, a coisa era de longe muito mais bizarra.

    Essa demanda tem todo meio apoio

    • Acredito.Pois na sala dos professores acontecia a mesma coisa.Se alguém fosse contrário ao seu modo de pensar,em política, era ironizado ,dando-se a idéia de que era um ignorante.E bastavam poucos pois eles gritam e não dão espaço para a argumentação .Só eles têm razão! Era melhor nem entrar nesses assuntos.Entao imagina com os alunos!Só se davam mal com alunos que sabiam defender sua posição sem medo.Passei muito por isso quando lecionava.Imagina hoje,então.

    • Uma vez eu levei um texto que desmascarava as mentiras que se falam sobre o Gen. Pinochet para sala de aula. O professor esquerdista engoliu seco mas em outra aula me fez ler um texto que jogava a culpa do fim da União Soviética nos EUA, que faziam aquela gastar muito com recursos bélicos!!!Para mim passou despercebido na hora, pois eu não levei a mal pois tinha a mente mais aberta do que o professor esquerdista.

      O que me fez estudar o comunismo e seus erros foram os escritos condenando do Papa Pio XI reiterando as condenações a esse sistema monstruoso já feitas pelos seus antecessores. Por ter sido Papa, é óbvio que se cria uma cortina ideológica de silêncio e preconceito contra este líder, cuja grande visão e inteligência permitiram que ele condenasse o Fascismo já em 1931 (Encíclica “Non Abbiamo Bisogno”) e o Nacional-Socialismo em 1937 (Encíclica “Mit brennender Sorge”), sendo que em 1938 a Liga das Nações abaixava a cabeça para Mussolini e Hitler, sendo o último eleito “Homem do Ano” pela Time em 1938!

      Depois de ler escritos de Pio XI, li o livro “Ocidente traído”, de Jorge Boaventura, o que corroborou meu entendimento sobre a malignidade do socialismo e outras formas de coletivismo oriundas da Revolução Francesa e seu Terror.

  5. Temos o problema maior dos professores de esquerda tentando impingir uma doutrina nas crianças e jovens e também existem os professores “cristãos” que tentam enfiar goela abaixo dos alunos suas doutrinas religiosas.
    Quando minha filha estava no fundamental I (1o ao 5o ano) tive que reclamar pelo menos duas vezes sobre como a professora falava sobre o Darwinismo (teoria da origem e evolução das espécies) pois a todo momento ela corrigia minha filha, dizendo que o homem não havia surgido do macaco e que o mundo havia sido criado em 7 dias, pois era isso que estava escrito na Biblia. Ou seja, ela não admitia que as crianças pudessem ser contrárias a sua doutrina.
    Professores de verdade fazem seus alunos pensarem e questionarem, não enfiam suas ideologias e crenças goela abaixo.

  6. Ainda que a questão seja manipulativa foi ridícula a resposta da estudante e mais ridículo ainda os comentários aqui. Eta povinho ignorante que deveria voltar pra universidade. Me elucidem por gentileza o que é o capitalismo, socialismo e a meritocracia no meio de crianças/adolescentes negros, pobres e favelados que não tem no mínimo o que comer antes de ir estudar????

Deixe uma resposta