PT quer adotar golpe de Marina para tentar se safar do impeachment

3
60

É bom antecipar truques petistas. Pois a antecipação ajuda muito na contenção do inimigo. Assim podemos neutralizar os engodos. Como se sabia, discursos dizendo “fora todos” sempre foram apenas truques para ajudar o PT. Na verdade, é preciso seguir a lei, que determina que um presidente afastado é substituído pelo vice. É por isso que Marina Silva, quando surgiu com a hipótese de “novas eleições”, foi vista como suspeita de fazer parte de uma estratégia de redução de danos do PT. Essa suspeita agora virou um fato, pois se tornou parte da estratégia do próprio PT para tentar reverter o impeachment.

Leia mais:

O PT está contando votos para reverter o processo de impeachment no Senado. A estratégia é retomar o discurso de novas eleições e convencer a presidente afastada Dilma Rousseff a se comprometer com a proposta, caso ela volte ao poder. Assim, petistas dizem acreditar que será mais fácil fazer com que alguns senadores que votaram pela abertura do processo mudem de voto na fase final.

Para que a presidente seja definitivamente afastada são necessários 54 votos. Na sessão de admissibilidade, 55 senadores votaram pela abertura do processo. O PT calcula entre dez e 13 senadores considerados “potenciais” para mudar de voto, porém espera reverter de fato quatro posicionamentos.

Os nomes favoritos dos petistas para reverter a votação são os senadores do Distrito Federal, Cristovam Buarque (PPS-DF), Antônio Reguffe (sem partido) e Hélio José (PMDB-DF). O entendimento é que as medidas de Temer com cortes no serviço público, concursos e reforma da Previdência enfraquecem o eleitorado brasiliense de classe média.

Tanto Cristovam quanto José afirmaram na primeira sessão que votavam apenas pela abertura do processo e que poderiam mudar de opinião. Reguffe foi mais crítico em seu discurso contra o governo Dilma, mas ele faz parte do grupo de senadores que defendem a PEC das novas eleições.

‘Sinalização’

Cristovam, que também defende novas eleições, disse que, caso a presidente se comprometa com a medida, essa seria uma “sinalização importante”, mas que isso não define o seu voto. Para o senador, Dilma precisa mostrar que seria uma presidente melhor que Temer, abandonar o discurso do golpe e assumir erros.

Na avaliação das duas primeiras semanas de governo Temer, os petistas sustentam que o presidente em exercício saiu desgastado e que a opinião pública já se volta contra ele. Por isso, outra saída é usar os erros do governo para jogar a população contra Temer e pesquisas de popularidade para pressionar senadores.

Nessa linha, outro foco de atenção para os petistas é o PSB. Além de o partido ter sido parte da base do governo PT, os petistas apostam em uma questão regional. Eles acreditam que a opinião pública vai se virar contra Temer com mais força no Nordeste e Antonio Carlos Valadares (SE) e Roberto Rocha (MA) seriam nomes fortes para mudar de voto.

Além desses, foi cotado também o nome do senador Romário (PSB-RJ), que tem restrições com Romero Jucá (PMDB-RR), ex-ministro do Planejamento de Temer e um dos principais articuladores do impeachment. Jucá é relator da CPI do Futebol, presidida por Romário, e trabalha no sentido de dificultar as investigações e evitar a convocação de dirigentes da CBF. Senadores do PT afirmam que o assunto já foi colocado para a presidente afastada e a parte mais difícil da estratégia é justamente convencê-la a se comprometer com novas eleições. (As informações são do jornal O Estado de S. Paulo).

A partir de agora, já sabemos a quem o discurso “fora todos” serve, não é mesmo?

Fonte: PT quer reverter votos pelo impeachment de Dilma sugerindo nova eleição – Agência Estado – UOL Notícias

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Que assunto PATETICO! Eleicoes antecipadas sem que o presidente e o vice renunciem JUNTOS eh INCONSTITUCIONAL e portanto NAO PODE ser materia de “pec”! Alem do mais BanDilma NAO VOLTA! E mesmo se “voltasse” quem seria IDIOTA de acreditar em palavra dessa PSICOPATA a essa altura do jogo?

    • Todos esses que armam para que o impeachment nao aconteça e que querem novas eleições, que é inconstitucional, mais vamos lá, eles não estão pensando no Brasil nem no povo nas sim no poder e como parar a Lava Jato. Só que o povo está cansado dos mesmos corruptos no poder e acho que podem ter uma surpresa decepção com novas eleições …kkk
      O Lula vai ser preso junto com os líderes de partidos e acho que Bolsonaro ou Caiado podem emplacar como o novo presidente. Realmente esses caras se acham e são muito sem vergonha e caras de pau e substimam o grande chefe de todos: O POVO BRASILEIRO.

  2. O discurso “Nem Dilma, nem Temer” de Marina foi asqueroso. Até seus próprios eleitores desceram o pau nela. Começava com “Dilma cometeu crimes mas o PMDB de Michel Temer…” e então entrava com uma lista de rotulagem ao Eduardo Cunha e ao PMDB que era a agenda PETISTA antes do impeachment. Marina é golpista, trabalha com orgulho na agenda PETISTA, tentou bancar a isentona e terminou com rótulo de plano B do PT.

Deixe uma resposta