Blogueiros chapa branca são desmascarados em editorial do Estadão

4
98

ex-presidente-da-entrevista-a-blogueiros-no-instituto-lula

Vale a pena ler o ótimo editorial do Estadão, no qual os blogueiros chapa branca do petismo são escrutinados:

Depois de três dias de discussões sobre a crise do País, os participantes do 5.º Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais – que contou com a participação da presidente afastada Dilma Rousseff numa de suas sessões – lançaram uma carta aberta à sociedade cujo teor parece ter sido inspirado em escrachadas patuscadas da televisão ou em chanchadas do cinema.

Escrita com o objetivo de denunciar o “golpe parlamentar” que afastou Dilma do poder e denunciar a ilegitimidade do governo do presidente interino Michel Temer, a carta, escrita em português precário – meio parecido com o que a presidente afastada fala, o que mostra que fez escola –, raciocínio tortuoso, viés ideológico e aversão à verdade, é mais do que um besteirol. Retrata de modo inequívoco o nível de indigência intelectual e moral dos integrantes da máquina de difamação que, sustentada por dinheiro público durante os 13 anos e meio do lulopetismo, se especializou em contar mentiras, plantar boatos, caluniar adversários políticos do PT e agredir moralmente repórteres e colunistas dos grandes jornais, sempre sob o pretexto de defender a “democratização da comunicação”.

A carta aberta começa acusando o Supremo Tribunal de Federal de ser um “poder acovardado”. Prossegue afirmando que o governo Dilma teria subestimado a força dos jornais, revistas e televisões “a serviço do conservadorismo”. Alega que Temer é elitista e machista, por não ter indicado nenhuma mulher, negro ou trabalhador para seu Ministério. Diz que ele destruirá as empresas estatais do País e entregará os recursos do pré-sal “às multinacionais do petróleo, recolocando o Brasil na órbita dos Estados Unidos”. Criticam, ainda, a demissão do presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que havia sido nomeado por Dilma dias antes da votação da abertura do impeachment pelo Senado. Aparelhada pelo PT, a empresa é uma tevê estatal disfarçada de televisão pública que foi criada em 2007 pelo governo Lula. Apesar de ter consumido mais de R$ 3,6 bilhões de recursos federais nos últimos anos, só conseguiu chegar a 1% da audiência duas vezes – quando mostrou um documentário sobre o Rio Reno e quando apresentou um filme de Mazzaropi. Nos demais dias, a EBC – que emprega a peso de ouro alguns participantes do 5.º Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais – jamais saiu do traço.

A carta aberta também apoia ocupações de prédios públicos, como forma de “resistência contra o governo golpista”. Propõe ampla cobertura das manifestações contra Temer, das ações que permitam o retorno de Dilma ao Palácio do Planalto e das notícias que mostrem mulheres, jovens negros, militantes da reforma agrária e povos indígenas como “vítimas mais imediatas da escalada autoritária”.

Dois parágrafos da carta aberta merecem destaque. Um é o que afirma que o governo interino priorizará a “comunicação chapa branca, favorecendo a Globo na distribuição de verbas públicas e usando dinheiro do contribuinte para salvar organizações moribundas, como a editora Abril e o ex-Estadão” (sic), cujos proprietários, além de participar do “sistema corrupto de poder que tenta se perpetuar sob a presidência de Temer”, seriam “beneficiários de contas suspeitas em paraísos fiscais”. O outro afirma que o golpe faz parte de uma “estratégia de recolonização do continente e de desestabilização dos Brics” – plano esse que teria entre seus líderes o titular do Ministério das Relações Exteriores, José Serra, que é classificado como “conspirador parceiro da Chevron”.

Na parte final da carta, os blogueiros são taxativos. “Não daremos trégua à Globo, a Temer, aos traidores que se dizem sindicalistas, nem aos tucanos e empresários da Fiesp, que agiram a serviço do golpismo. Resistiremos nas ruas e nas redes”, prometem eles. Se alguém deve recear essas ameaças certamente são os redatores de programas de humorismo da televisão. Agora eles têm nesses blogueiros e ativistas fortes concorrentes.

O discurso dessa escória que compõe a BLOSTA é sempre piada pronta mesmo. Mas é interessante avaliar este modelo de violação à liberdade de expressão: garantir uma mídia de submundo bancada com verbas estatais. Não haveria nenhuma violação à livre expressão se esses blogueiros não tivessem verbas públicas a seu dispor. A existência de verbas públicas determina privilegiados e prejudicados da mídia na relação com o governo.

Tenho denunciado essa atrocidade há anos neste blog. Infelizmente, muitos demoraram para perceber o dano para a democracia que a existência de financiamento estatal para uma blogosfera governista causa. O problema, na verdade, não é sua existência, mas, como já disse, seu fomento a partir de dinheiro público. Alguns dizem: “ah, mas eles tem baixa quantidade de público”. Mas essa não é a questão: a questão é que existe muita gente trabalhando diariamente para criar conteúdo que será inicialmente testado em um ambiente de submundo, para somente depois ser “empurrado” para a mídia de grande porte e os discursos dos políticos.

É preciso abrir uma CPI para a blogosfera estatal.

Fonte: Editorial do Estadão: Blogueiros chapa branca | Augusto Nunes | VEJA.com

Anúncios

4 COMMENTS

  1. É preciso tirar essa gente do PT da cena política. Eles estão doidos pra voltar… e a esculhambacao tomar conta de novo. Essa falta de atitude definitiva pode levar o país a desordem total. E é o que eles querem.
    Sejamos verdadeiros. Nada de acordo com essa corja que nos fez tanto mal.

  2. O Glen sentiu as dores e reclamou no twitter. Aliás é engraçado a extrema esquerda reclamar do Frota e seu passado (como sempre fazendo juizo moral da vida alheia) e ignorar o passado deste mesmo Glen Greenwald. Só dar uma pesquisada pra ver………..

  3. Tenho lido todos os textos de Luciano Henrique, “Ceticismo Político”, uma pena que não podemos contribuir com textos.

Deixe uma resposta