Página de Facebook de Reinaldo Azevedo sofre ataque em massa de olavetes. Como reagir?

12
123

maxresdefault3

Interagir com a maior parte das olavetes é como interagir com petistas. Sempre haverá um jogo. O jogo sempre será sujo. As regras civilizacionais valem tanto para petistas como para boa parte dos seguidores do guru da Virgínia. Assim, espere que a baixeza dê o tom. (Já conheci exceções à essa regra, e muitas vezes partem de pessoas que tem medo de sofrer retaliações ao rejeitarem o mestre. Essas não reproduzem os jogos sujos do bando e não são o objeto desta análise.)

Ao que parece, a página de Facebook de Reinaldo Azevedo não anda bem monitorada. Em razão disso, olavetes, em ritmo de andorinhas, tem praticado ataques em bando. O objetivo é claro: simular um efeito manada. Em coordenação atacam e ofendem, no mesmo estilo barraqueiro adotado pelos petistas.

Resta a Reinaldo Azevedo perceber o jogo sujo e talvez contratar alguém para monitorar sua página de Facebook. Não se deve dar espaço a barraqueiros. Isso não é censura, mas o monitoramento de espaços. É perfeitamente justo que Olavo bana seus inimigos políticos em sua página. Igualmente é justo banir olavetes em ambientes cujos valores são opostos ao do autor neocon. Porém, essa gente conta com o descuido para invadir páginas alheias. O mundo mais civilizado é aquele cada um fique no seu quadrado.

Já tomei a medida profilática por aqui. Se olavetes mais pragmáticos quiserem participar, que seja na base da educação. No primeiro joguinho de palavras metido a arrogante, é “ban”. Minha página é gratuita. Se alguém quiser ficar por aqui, que tenha o mínimo de respeito.

Uma dica é avisarmos Reinaldo Azevedo em massa a respeito dessas invasões olavetes e sugerir que ele transforme sua página de novo em um ambiente propício para discussões. O pedido seria: “Reinaldo, por favor, modere sua página”. Se os olavetes barraqueiros não forem banidos de lá, então é melhor encerrar a página de uma vez por todas.

Anúncios

12 COMMENTS

  1. É que como ele censura o blog da Veja, sobrou o face. No blog, até quando eu reclamei que ele apoiou candidatos do PPS (Foro de São Paulo), ele censurou. Vacilou, a gente: Pimba!

  2. Há anos frequentava os sites do RA e do OC. O do primeiro, desde a época da sua revista Primeira Leitura, da qual tenho ainda vários números, desde antes, portanto, dele estar na Veja; o segundo, desde quando o site Mídia Sem Máscara era aberto a comentários dos leitores. Em ambos comentava com nicks diversos.

    No MSM tive muitos debates com outros leitores e alguns articulistas; a maior parte acerca de política e de filosofia em geral (filosofia política, ontologia, ética, gnoseologia. epistemologia, etc). Cheguei a discutir e a ser xingado pelo “Conde”, e deixado teclando sozinho pelo Nivaldo Cordeiro. Como sou agnóstico e eles, católicos, o “pau quebrava”. Costumava defender lá a separação entre política e religião, pois entendia ser a religião causa de desunião entre liberais e conservadores. Por isso fui banido do site algumas vezes. Olavo de Carvalho me ignorava, mesmo quando comentava posts seus.

    Depois do último banimento, soube que o site havia fechado o espaço para comentários devido às brigas religiosas entre católicos e protestantes (que eram realmente um “saco”!!).

    Já o RA, a despeito de seu catolicismo, a mim se afigurava bem mais arejado e aberto, razão pela qual passei a acompanhá-lo com muito mais frequência. Houve alguns desentendimentos em virtude de divergências de opinião, mas o considerava o melhor crítico do PT, o de maior verve. E acreditava que ele realmente fosse um liberal conservador, não um tucano, como diziam, apesar de vez por outra concordar em seus artigos com posturas mais à esquerda de um Demétrio Magnoli, por exemplo.

    E agora vi que ele efetivamente é tucano ou, o que é ainda pior, está a serviço dos tucanos. Esse desmascaramento foi uma grande decepção. Sinto-me como um idiota por ter acreditado no declarado liberalismo dele.

    Por isso, faço minhas as palavras acima, do leitor “carlos”.

    • “entendia ser a religião causa de desunião entre liberais e conservadores.”

      Você está correto, já que liberais partem do materialismo da Revolução Francesa (são os irmãos comportados dos bolcheviques, nazistas, anarquistas, fascistas etc..) e os conservadores de um “protestantismo não-confessional”.

      Reinaldo Azevedo nunca foi um direitista, mas se mostra como um anti-petista de “centro”, tanto que defende ideias liberais, como o Estado mínimo, mas também bandeiras e militâncias esquerdistas, como nos ataques a Bolsonaro, Olavo de Carvalho e mesmo a defesa de bandeiras da militância da Gaystapo! No fundo, é um tucano nem tão enrustido, igual a diversos jornalistas petistas que fingem isenção.

      Já o Olavo de Carvalho é um guia de si próprio, por isso não espere uma classificação específica para ele. Não nego que seja alguém inteligente, mas percebo falhas sérias em sua linha de pensamento mesmo acerca do comunismo que ele tanto estuda. Ele mesmo não consegue ver a similaridade entre o comunismo e o protestantismo (que o próprio Engels percebeu ao estudar as revoltas de Thomas Müntzer) e quer fazer tábula rasa de todo o movimento protestante e o Catolicismo, ao estilo “democracia cristã”, contra o movimento comunista. Não foi à toa que essa corrente política quando se tornou predominantemente protestante virou à esquerda (a própria Merkel é protestante e foi militante comunista na Alemanha Oriental!) e não vejo Olavo perceber algo simples assim. Nem vou falar de sua “intervenção civil”, que demonstra que ele não conhece o Brasil, suas instituições e nossa História política em nuances, pois um dos motivos de JK se encastelar no Planalto Central foi exatamente para se blindar contra o povo, blindagem concluída pelo PT com o Estatudo do Desarmamento. Ainda sobre Olavo, ele se considera o maior combatente contra a doutrinação comunista no Brasil, esquecendo que antes dele houveram grandes nomes como Roberto Campos, Gustavo Corção e Plínio Correa de Oliveira.

      Quando alguém sugeriu um “think tank” de direita no Brasil, logo sabia que não daria certo por essas e por outras. Enquanto a esquerda é dividida pelo Fundo Partidário e unida em ideias, os anti-bolivarianos são diversos grupos com ideias distintas, indo desde socialistas que querem refundar a esquerda a católicos monarquistas: não esperem união objetiva de grupos tão distintos.

      • Definitivamente, estratégia é uma palavra desconhecida no dicionário das olavettes.

        Nunca passou pela cabeça de vcs que se tem que fazer uma escolha, que faça a menos pior, mas com alguma chance de ter resultados efetivos para depois vir a melhora?

        Não afirmo categoricamente que o R.A é tucano, mas se ele tem que fazer uma escolha, ele faz daquilo que tem bons resultados. E isso tanto veio dos tucanos, como de outros partidos, a exemplo dos elogios que o R.A dava a senadora Kátia Abreu na defesa do setor agropecuário.

        Mas o que a as Olavettes querem? Um messias, um santo graal, uma seleção brasileira dos anos 70, um Barcelona de Guardiola. A situação é tão estúpida que vcs acham que o Bolsonaro é o salvador da pátria.

        Nem me venham falar de direita e liberalismo, porque boa parte de suas manifestações intelectuais é ser anti-alguma-coisa, com pose fake e muito att-whores. Tem gente séria e muito inteligente no meio de vcs, mas são poucos.

        Todo essa energia fanática que vcs tem deveria ser usada para os senhores comecarem a refletir a base intelectual propositiva de vcs, e não para sabotar iniciaivas populares simplesmente porque não lhem reconhecem como líderes.

      • Acredito que o Sr. Wellington utilizou-se do moderno método de leitura dinâmica, usando o “parei de ler em” e ido direto à crítica quando citei Olavo de Carvalho. Ainda que quisesse, tenho certeza de que minhas discordâncias me impossibilitam de ser aceito como aluno de Olavo, o que faz com que o rótulo pejorativo de “olavete” não se aplique a mim.

        Leio Olavo, Reinaldo e Antagonistas com frequência e ainda que tenha sérias restrições quanto a eles sei que são anti-bolivarianos importantes em nossa luta, diferente dos tucanos, MBL e quejandos que tem nojinho de ficar na mesma trincheira que eles.

        Ademais, aproveito para desfazer um juízo errado que teci em meu comentário acerca do Olavo, que achava que não compreendia a fuga dos políticos para Brasília já prevendo “intervenções civis”. Se ele sabe desse fato, agora é que eu não sei como sua intervenção civil incruenta funcionaria para nos livrar dos bolivarianos…

        O governo Temer até agora se mostra fraco, mas ainda tem o benefício da dúvida porque obviamente ele terá que tolerar muita coisa até o impeachment (ou não) de Dilma. Se no âmbito do patrimonialismo isso até é “compreensível”, o fato dele ter ideologicamente fraquejado perante o MTST, que de qualquer ângulo não agregaria nada ao seu governo e imagem, foi desabonador.

  3. Esses olavistas são tão porcos que imitaram igualzinho os petistas fazendo vomitaço na página do Temer. É tão animalesco quanto, é tão débil quanto. Olavistas mereciam uma ilha cercado de muros em volta pra ficarem olavando até não parar mais.

    Reinaldo de Azevedo é zilhões de vezes mais útil do que Olavo, pois Reinaldo ocupa os espaços da mídia brasileira dominada por esquerdopatia, sabe falar no rádio em linguagem que atraia o ouvinte, sabe fazer-se entender. Muito Reinaldo, ZERO de Olavo.

    Olavistas: CHOREM, pois vocês, caso não tenham notado, não moram nos EUA 🙂 vocês moram aqui, cambada de imbecil!

  4. Verdade que há olavetes podres, que inclusive também atacam o Luciano. Mas é igualmente verdade que o Reinaldo vem provocando, pois todo dia xinga furiosamente o Olavo e todos os que tem alguma relação com ele de modo bem parecido com o que os esquerdistas fazem, inclusive com mentiras e distorções. Mesmo eu já cansei disso, e olha que tenho muitas objeções a atuação do Olavo no Facebook…

    Não gosto de jogo sujo. Espero que com o tempo uma direita menos vaidosa e mais civilizada cresça e ganhe mais destaque, porque é duro ter que aguentar de um lado um quase líder de seita e de outro um jornalista com mais de 50 anos que além de ter graves inclinações tucanas, ataca adversários como se fosse um moleque de DCE.

    Para o Luciano e todos os leitores, peço apenas que observem tudo e aprendam com os erros alheios para que nunca os cometam no futuro. É isso que tento fazer nesse caso.

Deixe uma resposta