Odebrecht entrega provas bombásticas contra Dilma

5
92

Na semana passada a ISTOÉ já havia trazido a bomba mostrando que Dilma exigiu de Marcelo Odebrecht, em encontro pessoal depois do primeiro turno das eleições de 2014, R$ 12 milhões para a campanha à reeleição. O recurso serviria para abastecer o caixa paralelo. Do total da grana, R$ 6 milhões foram parar nas mãos de João Santana e R$ 6 milhões ao PMDB. A afirmação veio de Marcelo Odebrecht, durante acordo de delação premiada. Mais:

Executivos da empreiteira prometem fornecer provas para sustentar o que dizem. Segundo apurou ISTOÉ, a Odebrecht se comprometeu com o Ministério Público Federal a entregar uma série de documentos que confirmam a remessa de dinheiro para o caixa dois de Dilma. Entre esses papéis estão planilhas que detalham as datas e valores dos pagamentos, os nomes dos beneficiários e as contas no exterior onde foram feitos depósitos.

Serão identificadas contas e operadores, segundo um dos membros da força tarefa que participa das negociações, ainda não conhecidos pela Lava Jato. Algumas dessas contas já foram reveladas e os procuradores buscam detalhá-las com o apoio dos órgãos de controles de outros países, que possuem acordo com o Brasil.

Ao longo da semana, mais uma revelação corroborou a prática criminosa. Preso pela Operação Lava Jato por pagar propina em contratos da Petrobras, o lobista Zwi Skornicki afirmou que os US$ 4,5 milhões que pagou João Santana eram, na verdade, para financiar a campanha da petista por meio de caixa dois.Na chamada delação definitiva, os diretores da Odebrecht prometem munir os procuradores da força-tarefa da Lava Jato de mais informações estratégicas. Como o pagamento feito diretamente aos fornecedores da campanha, mas cujos recibos foram emitidos em nome do partido. Ou seja, o PT, segundo um dos procuradores, apresentou à Justiça Eleitoral despesas abatidas do caixa oficial da campanha, mas na verdade não usou os recursos declarados para efetuar esses pagamentos.

A Odebrecht colocará à disposição da Lava Jato os registros internos com os valores e datas desses pagamentos, além de identificar as pessoas físicas e jurídicas que receberam os recursos.

A empreiteira entregará ainda todos os contratos de obras feitas no exterior e com financiamento do BNDES. São casos que fogem do alcance dos organismos de controle do País e que foram negociados pessoalmente pelo ex-presidente Lula. Também nesses casos foram feitos diversos pagamentos em contas abertas no exterior, algumas já reveladas. Até a semana passada, os membros da força tarefa planejavam abrir uma nova investigação específica para os financiamentos internacionais do BNDES, pois são casos que não guardam relação direta com o Petrolão.

Mais um fim de semana em que os petralhas não conseguirão dormir.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

 

Anúncios

5 COMMENTS

  1. O STF autorizou Dilma ser testemunha de defesa de Marcelo Odebrechet. E aí? A delação está sendo falsa? Ou querem provocar uma acareação? Esse país é uma palhaçada que não tem graça alguma.

  2. A manifestação delles foi um fracasso. Agora, vão acabar de serem detonados por Marcelinho. A dona dos canalhas está difícil. Bom pra nós.

  3. E você, Luciano? A Caixa está a beira da falência e os Correios só tem dinheiro para pagar os funcionários até dezembro. Espero que consigam resolver isso.

Deixe uma resposta