Dilma antecipou indicação de ministro ao STJ, dirão executivos da Odebrecht

0
76

Conforme diz o Bahia Notícias (reproduzindo notícia da Folha), as delações dos executivos da Odebrecht encrencam Dilma ainda mais:

Integrantes do governo da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) adiantaram a advogados e executivos da Odebrecht a indicação de um ministro garantista (que analisa processos do ponto de vista dos direitos individuais do acusado) para o Superior Tribunal de Justiça (STJ). A medida favoreceria a soltura do ex-presidente do grupo, Marcelo Odebrecht, preso desde junho de 2015.

De início, Dilma teria sido reticente ao ajudar os executivos da Odebrecht, mas com os avanços das investigações as coisas mudaram, especialmente quando “a defesa do ex-presidente e herdeiro do grupo entrou com um pedido de habeas corpus que seria julgado pela quinta turma do STJ, responsável pelos recursos da Lava Jato.”

O novo ministro ocuparia a vaga do desembargador Newton Trisotto, provisoriamente na cadeira e conhecido por votar contra a soltura dos presos da Lava Jato. O indicado pela presidente foi Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, segundo colocado na lista tríplice de candidatos. No julgamento do habeas corpus que pedia a soltura de Marcelo Odebrecht, Navarro foi o único dos cinco ministros da turma a dar voto favorável. O ministro foi citado na delação do ex-senador Delcídio do Amaral e é investigado pelo Conselho Nacional de Justiaça (CNJ). O ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse por meio de sua assessoria de imprensa que a preferência por colocar ministros garantistas nas cortes superiores é posição pública dele, já manifestada em outras ocasiões. A presidente Dilma e a Odebrecht não se manifestaram. Marcelo Navarro não foi encontrado para comentar o assunto.

Impeachment é muito pouco para Dilma. Devemos além disso exigir um pedido de prisão.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Anúncios

Deixe uma resposta