Marina quis esconder elo com OAS, diz Léo Pinheiro

4
59

_____________images-cms-image-000405715

Enquanto faz campanha disfarçada pelo PT – com o truque de “novas eleições”, narrativa que tende a cair em desuso -, Marina Silva finge ser “oposição”. Agora Léo Pinheiro relatou que o caixa 2 de Marina em 2010 aconteceu por que ela “não queria aparecer associada a empreiteiras”, como diz a Folha:

Pinheiro disse que a contribuição foi pedida por Guilherme Leal, sócio da Natura e um dos principais apoiadores de Marina no meio empresarial, e Alfredo Sirkis, um dos coordenadores da campanha do PV.

Leal, candidato a vice na chapa de Marina em 2010, diz ter recebido Pinheiro em seu escritório, em São Paulo. O empreiteiro foi levado ao encontro por Sirkis, ainda de acordo com o empresário.

Leal e Sirkis, porém, negam ter recebido contribuições ilícitas. Segundo eles, a reunião com Pinheiro ocorreu em maio de 2010, quando a campanha não havia começado. A OAS fez uma doação legal ao PV do Rio.

Marina nega também que tenha usado recursos de caixa dois na campanha de 2010. “Nunca usei um real em minhas campanhas que não tivesse sido regularmente declarado”, disse em nota.

Ela afirmou também que apoia a Operação Lava Jato e pediu que os procuradores e a Polícia Federal investigassem o relato de Pinheiro sobre o suposto caixa dois na campanha dela em 2010. […]

A ex-senadora Marina Silva (Rede), o empresário Guilherme Leal e o ex-deputado federal Alfredo Sirkis negam que tenham pedido e recebido contribuição de Léo Pinheiro, da OAS, para o caixa dois da campanha de 2010.

Marina afirmou em nota que nunca aceitou recursos não declarados à Justiça eleitoral para a sua campanha. “Não acredito que nenhum dirigente do PV possa ter usado meu nome sem ter me dado conhecimento, ainda mais para fins ilícitos”, disse em nota.

Ela pede que as autoridades investiguem o relato de Léo Pinheiro sobre a suposta contribuição ilícita ao PV. […]

Segundo [Leal], a OAS não doou para a campanha de Marina, mas sim para o comitê financeiro do PV do Rio. Essa doação está registrada no Tribunal Superior Eleitoral.

Leal rebate com veemência a versão de que ele teria pedido para a doação ser feita no caixa dois. “Isso é mentira. Repudio com veemência este tipo de ataque à minha honra”, diz.

Se era só o que faltava, agora não falta mais nada: temos o discurso do “eu não sabia de nada” vindo de Marina.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

 

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Defende o meio ambiente casada com o maior desmatador do Brasil. Pode ficar com um pé atrás sobre tudo o que essa bolivariana diz. Essas pestes que posam de santo em momentos oportunos revelam uma falta de caráter assustadora.

  2. Já disse aqui e repito: o marido dela, Fábio Vaz, ocupa cargo comissionado de alto escalão no governo petista do Acre. Aí aparece na TV dizendo que não tem nada a ver com o PT e com esquema de corrupção de empreiteiras. Um perigo essa mulher.

  3. Ela se acha mutcho gostosa para pedir doação para empreiteiros, mas, hipócrita em último grau, não quer abrir mão do vil metal dos “malvados capitalistas”!!!!

  4. “Não acredito que nenhum dirigente do PV possa ter usado meu nome sem ter me dado conhecimento, ainda mais para fins ilícitos”

    Não parece com aqueles episódios de Aeroporto Colômbia, quando a polícia diz que vai abrir o fundo da bolsa pra ver se tem droga escondida, e o meliante fala “Pode abrir, eu não tô levando nada ilegal, não é possível que o cara da loja iria me vender uma bolsa com droga escondida”? É muito engraçado, o peixe morre é pela boca mesmo.

Deixe uma resposta