Capriles diz que mudou a opinião do governo brasileiro sobre a Venezuela

1
30

Esse Henrique Capriles, “opositor” de Maduro, não convence. Tempos atrás, andou discursando em favor do PT. Agora, com o rabinho entre as pernas, é obrigado a reconhecer que a atitude do governo de Temer em relação à Venezuela é totalmente diferente daquela mantida por Dilma, que apoia o ditador. Leia mais, conforme o G1:

O líder da oposição venezuelana, Henrique Capriles, afirmou nesta terça-feira (14) em entrevista a TV Globo e ao G1 que está convencido de que a opinião do governo brasileiro sobre a situação da Venezuela mudou. Após reunião em Brasília com o ministro das Relações Exteriores, José Serra, Capriles disse ter sentido “respaldo” do chanceler brasileiro sobre a opinião que a defesa venezuelana tem de que “é preciso defender a Constituição” […]

O líder da oposição disse que veio ao Brasil pedir apoio do governo para que a Constituição da Venezuela seja respeitada e que se leve adiante o instrumento constitucional previsto naquele país para a saída de um presidente do poder, o referendo revocatório.

“Eu encontrei, na reunião hoje com o chanceler Serrra, respaldo a nossa posiçlão de que é preciso defender a Constituição [venezuelana], de que é preciso defender a democracia, de que é inaceitável o que está acontecendo na Venezuela”, afirmou. Capriles também disse estar “otimista” e afirmou sentir-se “atendido” com o apoio político que recebeu no Brasil.

“Claro que volto otimista de que a Venezuela não está sozinha. Me permito dizer que, agora, me sinto atendido no Brasil. Sinto que agora posso dizer… Bem, agora estou no Brasil. Faz tempo que estava prevista esta minha visita. Finalmente aconteceu”, declarou. “Estou convencido que vamos contar com uma opinião distinta [sobre a situação na Venezuela]”, avaliou na entrevista.

De acordo com o líder venezuelano, havia  indiferença do governo brasileiro em relação ao país vizinho. “Temos relação com Brasil que vai muito além de um governo. Eu sentia, pessoalmente, tristeza, dor, pela indeferença do Brasil. O Brasil não deve ficar calado. Não significa a ingerência nos assuntos da Venezuela, porque não o permitiríamos, como nós não temos o direito de nos meter nos assuntos internos do Brasil”, completou.

Capriles veio ao Brasil depois de passar também por Argentina e Paraguai, onde se reuniu, respectivamente, com os presidentes Mauricio Macri e Horacio Cartes. Em Brasília, ele não se reuniu com o presidente em exercício, Michel Temer.

Nas horas em que esteve em Brasília, Capriles se reuniu com parlamentares brasileiros que haviam prestado solidariedade à oposição venezuelana e também com o ministro José Serra. Ele informou que o objetivo da viagem é conseguir apoio dos líderes sul-americanos para a realização do referendo venezuelano.Após a reunião com Capriles nesta terça, o ministro José Serra afirmou que a Venezuela é um país “amigo” e que, por isso, o Brasil não pode ficar “indiferente” à atual situação política do país.

“Temos uma política clara de não intervenção em assuntos internos de outros países, mas não podemos ficar indiferentes a qualquer tipo de atropelo da democracia, de desrespeito aos direitos humanos e à situação bruta de carências que hoje envolvem a população venezuelana”, declarou Serra.

Aprendeu, Capriles? Para pessoas civilizadas como a maioria dos brasileiros – e isso não é um elogio, pois Serra não fez nada mais que sua obrigação -, o sofrimento dos venezuelanos importa. Para Dilma, só o bem do ditador psicopata Maduro e de seus sicários é que importa.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Advertisements
Anúncios

1 COMMENT

  1. O Capriles é o FHC deles, quer a mesma coisa que chaves e maduro só que mais lentamente, sem uma grande ruptura, quando o povo perceber já era. É como os democratas no EUA, os SD na Europa…… Conhece aquela analogia do sapo na água fria que vai esquentando aos poucos? É isso.

Deixe uma resposta