Padilha defende Lava Jato e dá exemplo de uma polarização importante

1
30

_____________________________portal-0612-padilha-777x437

Temos que ficar de olho para que Eliseu Padilha aja de forma coerente com o discurso visto em matéria da ISTOÉ:

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, elogiou a Lava Jato, destacando que tem papel “inestimável” hoje para o País, mas afirmou que a operação precisa “caminhar rumo a uma definição final”. Em almoço-debate com empresários, o ministro destacou a situação na Itália, que sofreu com instabilidades por causa da operação Mãos Limpas – operação geralmente comparada à Lava Jato no Brasil […]

Eliseu Padilha disse a empresários em São Paulo que, por sua experiência, apenas 50% dos investigados acabam virando alvo de denúncia na Lava Jato e 15% apenas acabam condenados. “Há muitos equívocos”, afirmou. E saiu em defesa do presidente interino, sem citá-lo diretamente. “Não podemos confundir que uma mera menção, citação, possa retirar da vida pública pessoas com história respeitável.

”Michel Temer aparece citado na delação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, divulgada nesta quarta-feira, 15. Na delação, Machado diz que Temer cobrou R$ 1,5 milhão em 2012, para a campanha do então peemedebista Gabriel Chalita à Prefeitura de São Paulo. A doação foi lícita da Queiroz Galvão, mas segundo Machado, teria sido alvo de troca de favores com a empreiteira.

Apesar da fala, Padilha disse a empresários que os brasileiros ficarão “devendo bastante à Lava Jato”. “A Lava Jato presta um grande serviço ao Brasil, o Brasil será outro, aliás já passa por um grande processo de modificação. O papel (da operação) é inestimável nesse momento.”Pouco antes, Padilha foi questionado sobre investimentos do governo em infraestrutura, ele respondeu que o governo irá focar em parcerias com o setor privado.

E enquanto isso, existe uma resolução do PT – como lembrou assertivamente Simone Tebet – demonizando a Lava Jato e o juiz Sérgio Moro. E que fique bem claro: elogiar a Lava Jato, como fez Padilha, não é um grande mérito. Não é nada mais que a obrigação de qualquer cidadão respeitável. Portanto, não precisamos elogiar ninguém que defenda a Lava Jato, mas ao mesmo tempo devemos polarizar a questão e expormos os inimigos maiores da Lava Jato: os políticos do PT e seus aliados da extrema-esquerda.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Advertisements
Anúncios

1 COMMENT

  1. É muito interessante o ministro Padilha ele pede logo uma definição final da Lava Jato, será que ele não morava no Brasil ou ele estava morando em Marte? Ministro Padilha, foram treze anos de desgoverno que arrasou com as finanças do país e afundou a maior estatal do Brasil. E o senhor quer que o juiz Sérgio Moro faça milagre agora.

Deixe uma resposta