Constrangido, Haddad se desculpa por sua barbárie contra moradores de rua

2
79

images-cms-image-000503228

Como lembra o site O Diário, Fernando Haddad sentiu o peso da pressão republicana, que se revoltou com sua atitude higienista e bárbara. Em situação de recuo e vergonha, foi obrigado a se desculpar:

O prefeito Fernando Haddad (PT) se desculpou por frase em que justificou a retirada de papelões e colchões de moradores de rua pela GCM (Guarda Civil Metropolitana) como uma tentativa de impedir a “refavelização” e anunciou um decreto com regras para atendimento dessa parcela da população.

A atuação da GCM e a afirmação do prefeito geraram críticas de muitos setores da sociedade e tiveram grande repercussão na internet. Haddad foi acusado de higienista, que rebateu afirmando que a frase foi descontextualizada.
“Me desculpo com as pessoas que eventualmente tenham levado a mal o que eu falei”, disse. “O que eu disse é que quando assumimos havia 17 praças da cidade tinham comunidades de barracas onde a dificuldade de abordagem tanto da Guarda, quanto da assistência e dos agentes comunitários de saúde se dava pela presença do tráfico”.

Haddad que o protocolo deve ser publicado no sábado (18), e deve valer tanto para agentes públicos como para empresas privadas que façam serviços de zeladoria.

Segundo o secretário municipal de Direitos Humanos, Felipe de Paula, durante a abordagem será obrigatório deixar claro o que pode e o que não pode ser levado. “Fundamentalmente deixa-se claro que bens pessoais, instrumentos de trabalho, desde documentos, muletas, mochilas, livros, receitas médicas, remédios, nada disso evidentemente pode ser retirado numa ação de zeladoria. Nunca pode, mas estamos deixando isso claro. Além de instrumentos de trabalho e itens portáteis de sobrevivência, como colchonete, cobertor, manta, travesseiros”, disse o secretário.

E que fique registrado: ele só recuou por nossa pressão. Mas seus atos desumanos e higienistas não serão esquecidos. Serão lembrados durante as eleições para a prefeitura.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. O petista Haddad encheu a cidade de ciclofaixas que ninguém usa, de faixas de ónibus onde não deveria, reduziu as velocidades máximas para veículos, encheu de radares para tirar dinheiro dos motoristas. Resultados: a cidade parou, aumentou a poluição, centenas de comércios foram fechados, industrias foram fechadas ou foram para outras cidades, 3 de cada 5 empresários planejam abandonar a cidade e parte da população. O Haddad arruinou a cidade; precisamos higienizar a prefeitura.

Deixe uma resposta