Temer pretende brecar atuação ditatorial da EBC e fechar a TV Brasil

11
145

Conforme matéria da Folha, parece que a doença perversa que hoje infesta a EBC Brasil vai ser contida:

Controlada pela União, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) está prestes a perder seu principal braço público de rádio e TV. Nos próximos dias, o presidente interino Michel Temer enviará ao Congresso um projeto de lei reduzindo a atuação e os custos da empresa.

A empresa depende de recursos do Tesouro que, neste ano, podem chegar a R$ 535 milhões. Mantida a estrutura atual, pelo menos metade desse orçamento será consumido pela folha salarial.

A ideia da equipe de Temer é fechar a TV Brasil –hoje responsável por metade dos custos da companhia– e manter as demais linhas de negócio: agência de notícias, produção independente de conteúdo, monitoramento de mídia, o portal, entre outras.

A Folha apurou que a mudança na lei da EBC permitirá o fim do conselho curador, grupo formado por 22 integrantes com mandatos de dois anos que tomam as decisões mais importantes da companhia. Também está previsto o fim do mandato para o presidente, que poderá ser destituído a qualquer momento. Hoje, uma decisão desse tipo precisa de aval do conselho curador. Essas são travas que supostamente barravam ingerências políticas.

Caso essas medidas sejam aprovadas, o atual presidente da EBC, Ricardo Melo, indicado pela presidente afastada Dilma Rousseff, deixará o cargo definitivamente.

Melo foi destituído por Temer e recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou seu retorno provisoriamente até que o plenário tome uma decisão definitiva. Por isso, Temer tem pressa em rever a lei da EBC.

A matéria segue:

A empresa surgiu em 2007 para ser a “BBC brasileira” com a missão de fazer comunicação apartidária em diversas plataformas (rádio, TV, internet e celulares), a exemplo do modelo implantado na Europa e nos EUA.

Os documentários da britânica BBC, que se mantém de contribuições da população, são divulgados por grandes emissoras comerciais no mundo. No Brasil, já foram exibidos pela Rede Globo.

Desde sua criação, a EBC já consumiu R$ 2,6 bilhões do Tesouro Nacional. O número de funcionários passou de 1.462 para 2.564 e seus custos de produção saltaram de R$ 61 milhões para R$ 236,5 milhões –pelo menos 15% referentes aos serviços prestados à Presidência da República na cobertura de eventos. E continua gerando “traço” de audiência, contrariando uma de suas metas.

Mas na verdade, como expliquei detalhadamente em meu livro “Liberdade ou Morte”, esse tipo de estrutura, tal como se vê em países latino-americanos (e em países como Rússia, Sérvia e outros ), tem servido a um único fim: a implantação da censura sutil, exatamente o meio pelo qual o PT manteve poder por tanto tempo (e ainda mantém). A censura sutil não estabelece restrição oficial de conteúdo, mas é muito mais danosa à democracia, por ser dissimulada. Em relação ao conteúdo, direciona-os a partir do uso de verbas estatais, definindo assim o que será publicado ou não.

É por isso que o PT está tão desesperado pelo risco de perder o comando da EBC. Simplesmente toda essa verba existe para confecção de propaganda política para o PT. Escrevi meu livro em 2015, mas já havia começado a explanar em detalhes o mecanismo da censura sutil desde 2012. Tristemente, demoramos muito para perceber o dano. Na verdade, somente em 2016 é que começa a existir a conscientização pública. Agora temos que correr atrás do prejuízo.

Há quem diga “ah, mas eles possuem pouco público”. Nada disso. Não é essa a questão. A questão é que existe um partido utilizando verba estatal para garantir que pessoas fiquem trabalhando diuturnamente para gerar propaganda. E em seguida essa propaganda é inserida, em forma de notícias, tanto no próprio meio como também “empurrada” para a mídia de grande porte. É desleal e desproporcional até o limite. Sem isso, governos como o de Nicolas Maduro não se sustentam. Dilma apenas foi afastada por não ter conseguido censurar a mídia por completo, mas mesmo assim o apodrecimento do sistema de mídia pública, como se vê na EBC hoje, é nítido e devastador.

Sigamos com a máteria:

A Folha ouviu executivos da EBC sob condição de anonimato. Para eles, as interferências do governo na emissora começaram quando antigos funcionários foram substituídos, a partir de 2011, por outros com salários muito maiores do que a média dos funcionários “da casa”.

Essa prática teria se acentuado sob a gestão de Edinho Silva, então ministro da Secretaria de Comunicação (Secom), a quem a EBC está subordinada.

Os críticos questionam os salários altos de alguns profissionais, como o dos jornalistas Sidney Rezende, Paulo Moreira Leite e Luís Nassif. Segundo eles, os programas das “estrelas” da EBC eram “pró PT” e chegaram a ter reclamações de telespectadores à Ouvidoria pelo “alinhamento político”.

Com a demissão de Ricardo Melo, esses contratos foram cancelados por Laerte Rimoli, escolhido para substituí-lo. Mas Melo reassumiu e logo levou ao ar uma entrevista com a presidente afastada Dilma Rousseff feita por Nassif –o que caiu como afronta na equipe de Temer.

“Não adianta inverter o governo”, disse Jonas Valente, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal. “O que está em jogo não é eleger Flamengo ou Fluminense. Defendemos a rede pública, mas o governo precisa entender que ela não é uma plataforma política.”

Evidentemente, é puro jogo do PT. A afirmação de Jonas Valente é irrelevante, pois de nada adianta alguém dizer que ” o governo precisa entender que ela não é uma plataforma política”, mas não ter feito nada em relação ao aparelhamento da EBC durante todo o governo petista. A estrutura ficou apodrecida. Hoje é uma ameaça à democracia.

Mais um pouco:

Vários dos projetos da emissora refletem essa distorção. Um deles é o Brasil 4D, que transformaria a TV dos brasileiros em uma tela interativa capaz de acessar serviços online do governo.

O programa consumiu recursos não só da EBC, mas também das operadoras de telefonia, que já desembolsaram cerca de R$ 500 milhões para a compra de uma caixa receptora de sinais com o sistema Ginga de interatividade.

Desde 2010, as fabricantes de TV já produzem aparelhos com conversores digitais e softwares que permitem a interatividade –o que tornou o Ginga um projeto ultrapassado.

Procurado, o presidente da EBC, Ricardo Melo não quis se pronunciar. Edinho Silva disse ter contratado somente três diretores e negou direcionamentos políticos.

Basta alguém ouvir a Voz do Brasil, sob direcionamento do petista Melo, para notar que o programa só serve como propaganda política do PT, e tudo financiado com verba estatal. Se nós não aprendermos a tratar a questão da EBC como uma monstruosidade moral e não priorizarmos a derrubada dessas estruturas tirânicas, mais cedo ou mais tarde nos transformaremos em uma ditadura conforme a Venezuela. E aí vamos chorar lágrimas de sangue.

Antes que isso aconteça, o melhor mesmo é – dentre outras ações, como a luta contra a Lei Rouanet – derrubar a estrutura apodrecida e tirânica da EBC. Não é para que ela sirva Temer. É para que ela não sirva a partido nenhum. Se o brasileiro não entender o quanto é imoral e perigoso para a democracia permitir que uma quantidade tão grande de verbas públicas seja destinada a fazer propaganda política especificamente para um partido, então é sinal de que mereceremos viver como venezuelanos em breve.

Felizmente, estamos vivenciando a redução da sensação de torpor diante de barbaridades como a BLOSTA (blogosfera estatal), o uso da EBC como máquina de propaganda de um partido, a Lei Rouanet e outros atentados à democracia. Diante do uso de verba estatal para limitar a liberdade de expressão, temos que nos indignar ainda muito mais.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

11 COMMENTS

  1. Luciano, bom dia.
    Deixei aqui um questionamento sobre o seu livro Liberdade ou Morte e não obtive resposta.

    Contribuí com o crowding fund para a edição do livro, e segundo informações na época, deveria ter recebido o livro, e até hoje não tive nenhuma informação a respeito.

    Veja abaixo:

    Parabéns! Você acabou de ajudar A Urgência de Sermos Charlie a dar mais um passo para tornar esse sonho realidade. Abaixo estão os detalhes da sua doação:

    Campanha: A Urgência de Sermos Charlie
    Valor do kick: R$150,00
    Método de pagamento: boleto bancário
    Recompensa: Stéphane Charbonnier
    Obs.: Essa campanha é do tipo “Tudo ou Nada”. Seu kick será descontado agora, mas caso a campanha não atinja sua meta estabelecida, você receberá o reembolso do valor kickado.

    Deseja mais informações sobre seu kick ou tem alguma pergunta sobre sua recompensa? Envie um e-mail direto para Rodrigo Simonsen ( simonsen@editorasimonsen.com.br).

    Convide seus amigos para ajudar também. Utilize as ferramentas de compartilhamento abaixo, para que outras pessoas saibam mais sobre essa grande ideia.

    Facebook | Twitter

    Vamos kickar!
    Time Kickante

    Gostaria de saber a quem me dirigir para solicitar a tal “recompensa”.

    Atte.

    Geraldo

    geraldomagela2008@gmail.com

  2. Atenção: petistas e MAV’s estão infestando as paginas de jornalistas ou grupos críticos ao PT e a esquerda. Parece ser uma orientação. Eles sabem que nos espaços financiados com dinheiro publico a maioria não vai acessar. Estão apostando em duas táticas:
    1 – Infestando a área de comentários para impedir as pessoas de compartilhar valores e ideais distintos dos deles;
    2 – Se passar por neutros (tipo: não sou petistas, mas… votei no Aécio, mas…) e acusar os movimentos pró-impeachment e políticos que estão atuando para afastar definitivamente Dilma.
    O objetivo é atrapalhar a mobilização das pessoas e grupos pró-impeachment. Isso tem sido feito em larga escala nos últimos 20 dias. A unica exceção é o blog de Reinaldo Azevedo, pois ele tem um mecanismo razoavelmente eficiente de filtragem.

  3. O pior que este esquema da EBC, o governo corruPTo e comunista do PT, através de propagandas caríssimas do governo comprou várias emissoras de rádios e televisões do país. Mas com certeza estamos chegando ao fim desses tempos obscuros da política brasileira, até porque, o povo não aceita mais essas atitudes dos nossos dirigentes. O Lula tentou implantar de vez o comunismo no Brasil e colocou a presidente Dilma como a sua sucessora na presidência da República com um único objetivo que era concluísse o seu plano macabro para o país. Mais felizmente o povo acordou e a maioria dos brasileiros de bem, que felizmente ainda é a maioria dos brasileiros, fez com que o seu plano fosse para o espaço.

  4. Eu achei que com a saída da Dilma a mídia iria pegar mais leve para não perder a boquinha. Que nada estão piores que antes! O SBT jornal esta irreconhecivel ! Será que cortaram a boquinha ou esses caras são todos bolivarianos mesmo! Será que eles não enxergam o que aconteceu com a mídia na Venezuela?

Deixe uma resposta