Ao tentar sabotar MBL, um ex-infiltrado prova que discurso de “novas eleições” é para ajudar o PT

4
145

___________braulio-fazolo-viana-768x512

Este blog sempre afirmou que o discurso de “novas eleições” era uma sabotagem para tentar trazer Dilma de volta ao cargo. Qualquer pessoa com dois neurônios (e honesta) notaria a marmelada logo de cara. Mas se faltavam provas disso, agora temos uma verdadeiramente contundente.

O caso é o seguinte: um tal de Bráulio Fazolo, ex-integrante do MBL do Espírito Santo, deu entrevista ao blog ultrapetista Diário do Centro do Mundo para propagar a narrativa petista dizendo que “o MBL recebe dinheiro de partidos”. Como sempre, eles não apresentam provas. A matéria pode ser lida aqui.

_extrema

Em uma matéria do passado soubemos que o Diário do Centro do Mundo recebeu R$ 1,11 milhão do governo do PT somente em 2016. Ou seja, Braulio deu uma entrevista a um órgão petista. Os dados relativos a isso são de conhecimento público e todos os movimentos sabiam da BLOSTA (blogosfera estatal). Logo, Braulio estava ciente de fornecer mentiras para atender a narrativa do PT.

No dia 12 de junho, Bráulio lançou a tradicional narrativa picareta de “fora todos” na página do MBL. A dissimulação era clara:

“Estou saindo da coordenação do Movimento Brasil Livre Espírito Santo representado aqui na figura de sua coordenadora geral Raquel Gerde pelos seguintes fatos. Após a sua confirmação pessoal de filiação ao PMDB e pela sua postura pessoal que vem defendendo de forma aberta escancarada esse partido, usando a mim e as pessoas do movimento para auto promoção política, não compactuo com corrupção e não defendo corrupto, defender o PMDB que é um partido tão corrupto quanto o PT é fazer associação criminosa”.

Mas, de novo, essa é a narrativa do PT, não dos cidadãos intelectualmente honestos. Qualquer pessoa sabe que o partido chefe do Executivo nos últimos 13 anos foi o PT. O resto foi serviçal. Logicamente, seria impossível comparar o PMDB com o PT, pois só o último possuía a chave do cofre. Que petistas propaguem essa narrativa, já era esperado. É parte do jogo sujo deles. Mas uma pessoa integrante dos movimentos democráticos? Claramente Bráulio estava mentindo em nome da agenda do PT. (E quando uso o termo “infiltrado” aqui, não estou dizendo que o PT tenha coordenado sua atuação. Bráulio pode muito bem ter adotado a agenda do PT por mania, loucura, delírio, rancor, vingança ou qualquer outro motivo particular. Ou talvez por ser petista disfarçado mesmo. Mas isso não importa. Se ele não concordava com os valores do MBL, por que resolveu participar do grupo?)

Na verdade, a coordenadora geral Raquel Gerde agiu de forma coerente com a democracia, que pede urgentemente a participação de republicanos em partidos de direita, centro e até esquerda moderada, como é o caso de agremiações como PSDB, PP e PMDB. Bráulio sabia estar propagando uma mentira ao dizer que “o PMDB é um partido tão corrupto quanto o PT”. Como já vimos, isso seria impossível, até porque o PT é o único partido que teve a chave do cofre na época em que o Brasil vivenciou o maior escândalo de corrupção do mundo. A equivalência moral é sempre uma técnica utilizada para livrar a cara dos maiores criminosos.

A desonestidade de Bráulio era tão evidente que ele usou um áudio de Raquel Gerde para simular que ela deveria se envergonhar daquilo que devia se orgulhar. Eis o que está em um áudio de Raquel, vazado por Bráulio:

Você está querendo que eu acabe com o partido, é isso que você quer, que nós chegamos e batemos no partido, nós não podemos, nós temos que bater nos corruptos, mas não no partido porque não há motivos nenhum para a gente bater nele.

Raquel está certíssima. PMDB, PSDB, PP e DEM são partidos que infelizmente possuem corruptos em seus quadros, e estes corruptos devem ser punidos. Mas o PT é uma organização criminosa, que utiliza a corrupção como forma de totalitarismo. Bráulio se irritou provavelmente com uma verdade que desmascara toda a narrativa petista.

As suspeitas de infiltração são claras, na própria matéria do DCM. Veja abaixo:

Ele entrou para o MBL no começo deste ano, após participar de várias manifestações na Grande Vitória contra o governo e a favor do impeachment da presidente Dilma. Estudante de Direito em uma faculdade particular, Fazolo tem 29 anos de idade e trabalha como desenvolvedor de sites.

Opa, opa… Ele alega ter entrado para o MBL no começo de 2016 e já queria impor lá dentro a narrativa do PT? Isso já deveria ser suspeito logo de imediata. Mas a verdade é ainda pior: conforme informações passadas pela coordenação no Espírito Santo, Braulio entrou no MBL quando faltavam apenas duas semanas para a votação do impeachment, que ocorreu em 17 de abril. Ou seja, ele permaneceu no movimento apenas dois meses, o que torna sua história muito mal contada.

Outra mentira de Bráulio está abaixo, quando ele informa as alegadas razões para “sair do grupo”:

O MBL se modificou bastante desde a votação do impeachment no Congresso. Uma coisa que eu quero que fique clara é que o movimento recebeu dinheiro do PMDB. Não só do PMDB mas de alguns outros partidos, mas vou citar o PMDB em especial porque o nome do partido foi falado internamente nas reuniões.

O truque dizendo que “o MBL mudou depois do impeachment” é evidentemente uma fraude intelectual, perceptível para qualquer um que conheça o movimento desde sua origem, ainda em 2014. Na verdade, o movimento sempre defendeu a atuação junto aos partidos, e sempre teve a percepção de que havia uma diferença nítida entre PSDB, PMDB, DEM e PP (além de outros partidos civilizados) em relação a partidos de extrema-esquerda como PT, PCdoB, Rede e PDT. Bráulio se fez de sonso de novo, usando o típico cinismo dos MAV’s que querem impor ao PMDB o mesmo nível de corrupção que faz o PT. (A técnica do PT é simples: como eles estão mais sujos que pau de galinheiro, tentam sujar os outros para confundir a patuleia)

Como já vimos, o PMDB é um partido que vivenciou casos de indivíduos corruptos. O PT é o partido organizador da corrupção e foi o chefe do PMDB durante 13 anos. Bráulio pode bater o pezinho e tentar combinar a narrativa com o DCM que isso não mudará a realidade.

Em relação à alegação de que “o movimento recebeu dinheiro do PMDB”, ela é totalmente desamparada de provas. O blog entrou em contato com Raquel Gerde, que irá proceder judicialmente para que Bráulio comprove o recebimento de verbas. Por enquanto, sabemos apenas que o DCM, entidade que hoje recebe a colaboração (talvez voluntária) de Bráulio, recebeu R$ 1,1 mi do governo Dilma. Isso sim é provar uma alegação. Sabemos os valores, que podem ser identificados pela Lei de Transparência. Por que Bráulio não conseguiu dizer sequer os valores recebidos pelo MBL? Claramente é embuste.

De resto, a entrevista mostra Bráulio reclamando da participação de membros do MBL em eleições, o que é clara manifestação de fascismo, o qual defende uma ditadura sem a presença de partidos. Aliás, tem sido um truque comum da extrema-esquerda atual adotar a propaganda do fascismo e tentar patrulhar pessoas que se aliem a partidos. Uma dica deste blog é: não caiam nesta outra narrativa fascista. É uma obrigação moral que muitas pessoas que tenham a oportunidade de atuar politicamente participem de partidos civilizados como PMDB, PSDB, DEM, PP e vários outros. É imperativo lutar contra partidos socialistas e totalitários como PT, PCdoB, Rede e PDT. Essa é a questão. (Aliás, em alguns estados até mesmo o PDT adota uma postura passível de diálogo, mas é preciso olhá-los com cuidado).

O fascismo de Bráulio fica evidente aqui:

Eu acho, tenho certeza. A Raquel por exemplo, usa o MBL para promover sua imagem política e a gente tem visto isso acontecendo como você expôs no MBL nacional. E aí é o problema. Um movimento que nasceu apartidário de uma hora pra outra começa a ser suprapartidário e começa a vincular em partidos, e começa a dar respostas assim: “olha, não tem como mudar o país sem a política então nós precisamos participar da política”.

Isso é gravíssimo. Se Bráulio não quer a participação junto aos partidos, então só pode querer o fascismo. Mas na verdade a extrema-esquerda sabe que está jogando cinicamente para constranger adversários do PT, visto que eles próprios pedem atuação partidária.

Na entrevista, Bráulio também deixa transparecer que apoia a narrativa petista de “novas eleições” (aliás, o PT inseriu a narrativa através de Marina, mas agora já não é possível esconder a picaretagem). O mapa mental abaixo já demonstrou como o jogo funcionaria, uma vez que até a própria Dilma oficialmente usou a narrativa:

_____________________narrativa-do-plebiscito-por-novas-eleic3a7c3b5es-de-dilma-1

O que temos, então, em toda a baixaria de Bráulio no DCM. Simplesmente é um sujeito que:

  • Não quer que pessoas se aliem a partidos adversários do PT
  • Tenta constranger pessoas que atuem politicamente contra o PT (o que só beneficiaria o partido totalitário)
  • Quer igualar outros partidos, que no máximo foram serviçais ao PT, ao partido que tinha as chaves do cofre por 13 anos
  • Se alia a Dilma na propagação da narrativa de “novas eleições”, ciente de que é um plano para que ela retome o poder totalitário

Não adianta Bráulio fazer cirquinho. Ele simplesmente demonstrou que a postura da coordenadora do MBL do Espírito Santo é coerente com a democracia. Ela foi até gentil demais com ele. Monstros como Bráulio merecem ser envergonhados em público por seu servilismo à ditadura petista. São pessoas como Bráulio que ajudaram Nicolas Maduro a se estabelecer no poder. São pessoas dissimuladas assim que pedem “novas eleições” somente para ajudar o PT.

Para essas pessoas, devemos dizer: “Vai ter participação em partidos democráticos sim! Vai ter atuação política contra o fascismo da extrema-esquerda sim! O totalitarismo bolivariano vai ser derrotado sim!”. Pessoas como Bráulio e todos os sicários atuais do PT devem ser expostas ao público em toda sua monstruosidade. Alguém que atuou em conjunto com o Diário do Centro do Mundo, um aparato totalitário do petismo (que recebeu R$ 1,1 milhão em 2016 da tirana Dilma), deve ficar conhecido como um exemplo de como o PT é um partido podre, dissimulado, sórdido e que conta com espiões para tentar atingir um movimento democrático.

Eu tenho orgulho de ser o exato oposto de monstros como Bráulio. Por isso defendo que quanto mais pessoas atuarem em conjunto com partidos democráticos, melhor. E quanto mais aqueles que querem nos transformarem em uma Venezuela assistirem seus planos serem frustrados, melhor.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Segundo ele, o MBL ‘mudou de uma hora para outra’. Então um grupo de várias pessoas vai mudar de uma hora para outra?
    Já faz muito tempo que o movimento esclareceu ser suprapartidário, essa questão foi decidida antes dele entrar. Por que ele está se queixando do movimento ser suprapartidário se ele estava de acordo quando entrou? Ele simplesmente está é usando munição PTralha contra o MBL.
    O cara foi sujo até mesmo em afirmar coisas que nem sabe sobre outros movimentos.

Deixe uma resposta