O dia em que Bolsonaro aprendeu o que significa “homenagem ao Coronel Ustra”

172
504

_____________________________________160421091146_ustra_bolsonaro_montagem_ag_camara_agencia_brasil_640x360_agcamaraabr_nocredit

No dia da votação do impeachment, o deputado Jair Bolsonaro entrou para a história, de maneira negativa, ao elogiar o Coronel Ustra, torturador dos tempos do regime militar.

Muitos dos adeptos de Bolsonaro passaram a defender a memória do falecido coronel. Vários se orgulhavam de estar “reescrevendo a história, e contando as coisas do jeito certo”. Era incrível notar, porém, que eles todos pareciam (e ainda parecem) ter entrado em estado de histeria, não percebendo o absurdo em seu comportamento: em pleno 2016, víamos alguém que deveria defender a liberdade – contra a tirania petista – se posicionar a favor de uma ditadura militar.

Mais curioso ainda era notar como eles pareciam se espantar com o espanto das pessoas de direita em rejeição a esse discurso. Era quase como se dissessem: “Como você pode ser contra os elogios aos militares?”. Enfim, ficava claro que eles não percebiam o quanto pareciam insensíveis à razão.

Pois hoje Bolsonaro foi vítima de uma ação ditatorial. A atitude do STF, ao decidir torná-lo réu em uma absurda acusação de “apologia ao estupro” é uma das posturas de maior opressão e autoritarismo da Suprema Corte em muito tempo. O STF desrespeitou a liberdade e a civilização. Se valeu do poder estatal em escala tirânica para perseguir alguém por um único motivo: oposição política.

Lembremos que foi o PT que determinou em uma resolução a perseguição a Bolsonaro:

__________________________________cadernodeteses_doPT

Não tem conversa. Não há espaço para papo furado. Tudo está mais claro do que a neve: o STF usou seu poder de coerção para perseguir um adversário político do PT. Não há como negar. Decerto não partiram para a tortura, mas se valeram do autoritarismo, da tirania e do desrespeito à sociedade civil.

Não tivemos aqui a mesma violência que fora praticada nos porões da ditadura militar. De resto, o STF agiu igualzinho ao Coronel Ustra quando este se posicionava contra os adversários políticos, perseguidos com o uso da força e do aparato estatal.

Quando aquelas pessoas republicanas, adeptas da liberdade, se incomodaram com os elogios de Bolsonaro ao Coronel Ustra, parecia que os adeptos do deputado não entendiam nossa repulsa. Agiam como se conseguissem dar explicações coerentes. Na verdade, defendiam o indefensável.

Mas para que eles compreendam adequadamente do que estávamos falando, basta que os eleitores de Bolsonaro avaliem como estão se sentindo. Muitos deles estão se sentindo afrontados, humilhados, provocados e oprimidos por uma ação ditatorial. Caso estes sejam os sentimentos, eles estão justificados a tal. Eles foram vítimas de uma ação ditatorial. O mínimo que o ser humano deve sentir neste momento é uma sensação de profunda revolta, jamais de torpor.

Só há um detalhe: todos aqueles que rejeitaram a ditadura sentiram similar asco quando Bolsonaro defendeu Ustra. Questionava-se sobre como Bolsonaro teve a coragem de defender alguém que usou a força do estado para perseguir divergentes políticos. No fundo, o STF de hoje e o Coronel Ustra pertencem à mesma categoria daqueles que abusam do poder para praticar perseguição política.

No fim das contas, hoje deve estar claro para Jair Bolsonaro o quanto foi repulsiva a sua homenagem ao torturador no dia da votação do impeachment. É algo tão nojento quanto glorificar a vergonhosa atitude praticada pelo STF neste 21/06.

Podemos repudiar as ideias de Bolsonaro, mas é imperativo que ele seja defendido da violência praticada pelo STF. Assim como defendíamos as vítimas do Coronel Ustra. Tanto o Ustra dos tempos do regime militar como o STF dos tétricos momentos atuais vão juntos.

Espero que ao menos os eleitores de Bolsonaro – e quem sabe talvez até o próprio candidato –  tenham descoberto finalmente o quão repulsiva foi aquela “homenagem ao Coronel Ustra”.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

172 COMMENTS

    • Não, o que existe é uma indústria muito bem montada num esquema de pagamento fraudulento de indenizações para quem nunca recebeu um tapa sequer. E mesmo isso, tapa é muito diferente de tortura. O que é triste é ver o autor cair no conto da ditadura.

      • para quem nunca recebeu um tapa sequer

        Não adianta vir com a estratégia do disco riscado.

        Existiu uma ditadura que matou inocentes, o que não é o mesmo que dizer que TODOS OS MORTOS FORAM INOCENTES.

        Pura questão de lógica e de observação dos fatos.

      • Ai eu te pergunto Luciano Henrique: E se os militares não tivessem combatido os comunistas, e eles tivessem vencido. Como estariamos hoje?

      • E quem disse que era preciso de ditadura para combater comunistas? Alias, você estaria dizendo que o exército praticou chantagem? Do tipo “ou me dão o poder, ou não combato os terroristas”?

      • Não sei se o Coronel Brilhante Ustra torturou alguém
        O que sei é ninguém pode ser condenado sem um julgamento justo ou todos são inocentes até que se prove o contrário.
        Eu posso achar n meu íntimo que ele era um torturador mas não posso sair por aí divulgando isso, até pq ele tb não poderia se defender.

        Uma coisa uqe não é mencionada é que os militantes comunistas tinham uma ordem. Ao sair da prisão dizer a todos que foram “brutalmente torturados” “barbaramente torturados”. Já notaram como sempre usam estes adjetivos? É pq o discurso é decorado.

        O fato é, não existe sequer processo contra o Coronel Ustra quanto mais a prova de culpa. Outra coisa quem fica bradando por aí que o Ustra era torturador são os mesmos que dizem que impeachment é golpe, que o Lulla é honesto, que a Dilma esta sendo perseguida pelo machismo e que fraudes fiscais cometidas pela Dilma não são crimes.

      • Sim! Existe muitas, lembro me de uma irmã de um amigo quando estudava na Escola Técnica e ela foi presa torturada, levou choque na vulva e ânus e depois solta por não saber de nada, quem me levou foi Homero Magalhães Arruda que era presidente do centro cívico.
        Pimenta no cu dos outro é refesco.

    • Eis a grande questão Matheus.
      Maria do Rosário hoje é o mesmo perfil de pessoa que acusou Ustra no passado. O STF esquerdista de hoje tem o mesmo perfil do STF esquerdista do passado.
      Para se ter noção, a ação foi movida por um casal de membros do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), a irmã da mulher – à época, grávida de sete meses – e os filhos do casal, então com cinco e quatro anos.
      No Relato a esposa do Ustra diz que fizeram inclusive enxoval pra essa moça grávida na cadeia e ela mesmo ia lá.
      Foram concedidos direitos de anistia aos assassinos de esquerda, mas reprimiram esse direito a Ustra (isso lembra algo como o que está sendo feito com bolsonaro?).
      Aí onde está a cereja do bolo? A cereja desse bolo está na pensão monstruosa que esses que processaram recebem até hoje as nossas custas, como compensação por terem sido “torturados”. Se vc fosse comunista e tivesse sido preso, não diria também que foi torturado pra ganhar pensão vitalícia?
      A tal Comissão da verdade não teve 1 militar, não teve 1 juiz, apenas esquerdistas e eles trataram de dizer quem era quem… mas essa parte parece que omitem e Bolsonaro foi o único com culhão de resgatar esses fatos.

      • Se vc fosse comunista e tivesse sido preso, não diria também que foi torturado pra ganhar pensão vitalícia?

        Isso é uma falácia absurda. É a técnica de inventar intenções alheias. É preciso tratar de FATOS.

        Era um fato que a ditadura militar estabeleceu um aparato de repressão. Era um fato que gente inocente morreu.

      • “Era um fato que gente inocente morreu.”

        Mais uma vez engolindo o discursinho barato da Esquerda… Que vergonha, senhor Cético Político.

        Mesmo se fosse verdade, a Polícia em qualquer lugar do mundo acaba matando gente inocente por causa de erros. Mas isso não desqualifica todo o trabalho da Polícia porque ela não procura matar inocentes.

        Antes de falar mais sobre Regime Militar, leia os livros “A Verdade Sufocada” e “ORVIL – Tentativas de Tomada do Poder”. Não foi por puro acaso que toda a América Latina experimentou golpes militares na década de 60 e 70.

      • Rotinas

        1. Acreditar que inocentes morreram é crer na narrativa da esquerda
        2. Não se faz omelete sem quebrar ovos
        3. O livro de Ustra dá todas as provas de que a ditadura militar nem foi ditadura, ou pelo menos foi tudo “belo e moral”

        Vocês não cansam? E nem se envergonha,?

    • Que essa porra desse coronel apodreça no inferno, junto com Bolsotário na hora que o diabo puxar ele, e todos os que o apóiam.

      Bolsotário PEDIU NA TELEVISÃO a morte de pessoas inocentes, procure no YouToba. Defender esse PALHAÇO é ser mais otário do que ele, que pelo menos tá faturando o dele às nossas custas, já vocês defendem ele de graça. Babacas.

  1. Cara, divergentes políticos? Os sujeitos eram terroristas. Hoje eles dizem que era perseguição política. Mas você sabe disso, não use de má fé suas palavras.

      • Você fala muito em falácias, mas joga o pragmatismo no lixo quando o assunto discutido é a escolha entre uma ditadura militar moderada e outra comunista. morrer zero inocentes é impossível. Resta decidir pela opção menos pior

      • “morrer zero inocentes é impossível”

        Ao menos esse Felipe R é coerente, pois Bolsonaro apóia morte de inocentes, como disse em televisão e hoje está disponível no YouToba.

        Então você acha justificável que matem pessoas inocentes? Mas é claro que não quer que essas pessoas inocentes sejam você mesmo, sua esposa, sua família né? Tem que ser inocentes lá do outro lado do Brasil, bem longe, aí OK.

        Os bolsonetes são contra ABORTO mas acham justificável MATAR INOCENTES. É de foder!

        Não importa o motivo, caralho: NÃO SE MATA PESSOAS INOCENTES, PORRA! Não se mata! É lei, seus imbecis do caralho! É um dos mandamentos, inclusive, pra quem acredita nos 10 Mandamentos.

        Não são vocês os religiosinhos de merda?

        Não leram o mandamento NÃO MATAR?

        Bolsonaro apóia matar inocentes. E esse sujeito aí justifica. É de uma incoerência e uma falta de caráter MONSTRA.

        Nunca vou defender Bolsonaro nem bolsonetes. Merecem SE FODER.

    • eles eram bandidos , roubavam , sequestravam, e MATAVAM, tudo em nome de liberdade e quando presos diziam que eram inocentes, e que faziam isto pela democracia. são e continuam sendo bandidos, aja visto o que fizeram com o Brasil.

  2. O coronel Ustra jamais perseguiu simples opositores que unicamente discordavam do regime. Esse discurso é dos comunistas esquerdistas que ainda estão por aí. O tratamento que lhe atribuem foi direcionado a comunistas ferozes, de armas na mão, que assaltavam, matavam, sequestravam e semeavam o terror na sociedade civil. Quem quiser saber mais, basta ler o Manual do Guerrilheiro Urbano, de Carlos Marighela, livro de cabeceira de todo terrorista. O resto é conversa fiada.

    • A mesma conversinha fiada de Diosdado Cabello, número 2 de Nicolas Maduro: “todos os perseguidos TINHAM CULPADO, e é por isso que foram perseguidos, então não é bem perseguição”.

      É engraçado que os defensores da ditadura militar usam técnicas de desengajamento moral sem o menor pudor.

  3. Mas que ditadura? Ditadura Militar é um termo criado pela esquerda justamente para produzir os resultados que está.os vendo hoje. Domínio da linguagem pela esquerda para implantar essa noção nas mentes de milhões de estudantes.

      • 1) Existiram eleições presidenciais sim, mas indiretas. Quem elegia eram os Deputados. Nada diferente de algumas democracias no mundo, em que representantes eleitos escolhem o presidente. Nos EUA, o sistema formal é assim, quem elege o presidente são os delegados.

        2) A perseguição a inimigos políticos é falácia. Prender guerrilheiro não é perseguição contra adversário político.

        Dito isto, era sim uma ditadura Militar. Mas o seu início foi necessário, para salvar o Brasil de um golpe comunista.

        O grande erro, foi demorarem para restabelecer a ordem democrática. As “torturas” não foram torturas do regime militar. Foram torturas da polícia, que até hoje pratica tortura, TODOS sabem disso, e isso ocorre em vários países do mundo. Mas isso tem diminuído, ano após ano. Mas a tortura a prisioneiros políticos durante o regime militar, foi menor do que a tortura a os “bandidos comuns” no mesmo período.

        O que a esquerda fez foi capitalizar isso, com a guerra da informação.

      • 1) Existiram eleições presidenciais sim, mas indiretas. Quem elegia eram os Deputados. Nada diferente de algumas democracias no mundo, em que representantes eleitos escolhem o presidente. Nos EUA, o sistema formal é assim, quem elege o presidente são os delegados.

        Dane-se. Eu sou cidadão e PAGO IMPOSTOS. Sem os IMPOSTOS o estado não sobrevive. Um governo que NÃO FOI ELEITO POR MIM é ilegítimo. Não há comparação nas eleições diretas dos EUA com as escolhas de militares, sem NENHUMA APURAÇÃO em relação aos votos do povo.

        2) A perseguição a inimigos políticos é falácia. Prender guerrilheiro não é perseguição contra adversário político.

        A famosa falácia de dizer “todos os presos políticos eram guerrilheiros”. Isso é uma mentira clara, ainda que existissem guerilheiros. É engraçado que para defender o chavismo e a ditadura militar as mentiras são as mesmas.

        Dito isto, era sim uma ditadura Militar. Mas o seu início foi necessário, para salvar o Brasil de um golpe comunista.

        Não está provado que foi necessário.

        O grande erro, foi demorarem para restabelecer a ordem democrática. As “torturas” não foram torturas do regime militar. Foram torturas da polícia, que até hoje pratica tortura, TODOS sabem disso, e isso ocorre em vários países do mundo. Mas isso tem diminuído, ano após ano. Mas a tortura a prisioneiros políticos durante o regime militar, foi menor do que a tortura a os “bandidos comuns” no mesmo período.

        Estranho, pois o Vladimir Herzog morreu no DOI CODI…

        O que a esquerda fez foi capitalizar isso, com a guerra da informação.

        E a esquerda inventou também o atentado a bomba no Riocentro?

      • Qual inocente foi torturado ou morto? Sabemos que foram em 400 os mortos, bem como os nomes de todos, mas nunca vi ngm fzr o breakdown de quantos eram ou não guerrilheiros, nem seus nomes.

      • É simplesmente mentira que o regime militar só perseguiu terroristas. O regime militar perseguiu políticos centristas, liberais, conservadores e até mesmo gente que fez a revolução de 64. Atropelou o congresso, independente da posição inúmeras vezes. Manipulou eleições também contra forças de direita. Arbitrariamente acabou com força políticas locais de todas ideologias pra colocar aliados dos milicos.
        Nomes como Juscelino Kubitschek, Ademar de Barros e até Carlos Lacerda foram perseguidos. Basicamente todo político que poderia ser adversário do regime sofreu represálias.

        Ocorreram punições e cassações arbitrárias que fazem esse episódio do Bolsonaro parecer nada em comparação. Mais do que cassados, alguns foram forçados ao exílio, outros foram processados e presos sob as mais estúpidas escusas.

        É mentira também dizer que o miliares fizeram isso pra livrar o Brasil do comunismo. Isso foi só no primeiro momento, quando foram chamados pelos rebeldes de 64. Mas os militares nos deram um chute na bunda logo em seguida. A verdade é que queriam poder absoluto pra implantar sua agenda positivista, desenvolvimentista e autoritária. Nesse ponto não eram diferentes de nenhuma outra ideologia autoritária da esquerda. Os comunistas fizeram muita baderna e eram um risco terrível pro Brasil antes de 64, é verdade. Também é verdade que eles apanhavam da direita nas urnas e que os liberais e conservadores eram muito mais fortes que eles na sociedade civil. Tinha apoio maciço da igreja, think-tanks poderosos, uma mídia simpática, um partido forte como a UDN. Foi dessa sociedade civil que nasceu a revolução de 64. Mas os militares acabaram com TUDO isso junto com a democracia. Quando a democracia foi restaurada nos anos 80 essa direita poderosa dos anos 60 havia acabado, estava destruída e desmoralizada. A esquerda rapidamente pegou as rédeas. Levamos mais de 30 anos pra ter novamente uma sombra de direita no Brasil… Graças à sede de poder do milicos.

      • Palhaçada é o cacete. Não haviam eleições presidenciais ? Qual foi o ditador Que ficou 21 anos no poder e não o dividiu com mais ninguém ? O que não haviam era eleições para Presidente com a participação do povo diretamente votando.
        Agora vamos deixar de idiotice e vamos contextualizar a coisa, senhor Mateus:
        Vivíamos uma polarização política mundial que dividiu o mundo entre comunismo e mundo livre. Não acredito que você seja burro a ponto de não conhecer os relatos do que se passava por trás da Cortina de Ferro e do que até hoje ocorre em países socialistas. Em minha cidade vive de forma muito reservada uma fugitiva Norte coreana inclusive casada com antigo conhecido meu, portanto é prova mais que viva do que acontece naquela porra lá.
        O Brasil quer queira ou quer não queira está em uma posição geopolitica estrategica bastante importante. No meio de uma guerra fria, dificilmente a Otan e o bloco Ocidental de países iriam permitir ou aceitar numa boa que o Brasil virasse um pais comunista caso a guerrilha tivesse tido algum êxito militar.
        Além das torturas, perseguiçoes, fuzilamentos as dezenas de milhares que poderia ter havido no embate entre um governo comunista e grande parte da população conservadora brasileira, também haveria a possibilidade de ataque externo dos próprios países que compõem a Otan num cenário extremo e num cenário mais amenos, o Brasil teria sido coberto de sanções que, aliadas à desgraça que é o planejamento econômico centralizado, teria produzido no Brasil um caos social e uma miséria de enormes proporçoes, além é claro, dos problemas internos de negação de todos os direitos civis, cerceamento da liberdade religiosa e de consciência, liberdade de imprensa zero, liberdade de associação zero, violência do Estado contra opositores em proporções que fariam os 300-400 mortos pelos governos militares coisa de aprendiz.
        É claro que houve tortura e que houve fuzilamento, isso praticado por ambos os lados. O que vejo é você atribuir excessos a um lado só. E se tem provas de inocentes mortos, porque não traz à baila os nomes ? E de que eles eram inocentes, por favor ?
        Você tinha quantos anos na época ? Ou quem te doutrinou com essa imagem apocalíptica foram os professores de História influenciados pelo Hobsbow ? Você esta parecendo o perfeito aluno de 12 anos perfeitamente doutrinado pelo professor marxista.
        Eu te diria que em plena democracia, haver em 60 mil mortos por violência urbana , numa sociedade completamente refém de concepções rousseaunianas impostas por políticos, juristas e cortes de Clara orientação esquerdista não é exatamente um Grande avanço. Que tal a lista dos inocentes mortos, sem qualquer envolvimento ainda que indireto com a subversão esquerdista ?

      • allure

        Cara vc foi perfeito na análise da coisa toda os militares não devolveram a democracia rapidamente a ainda conseguiram aniquilar com essa “direita poderosa” da época ….. Chegamos ao cúmulo hoje de vermos pessoas com FHC e José Serra serem taxados de “extrema-direita ou direita” ……. o grande problema do Bolsonaro é defender o regime militar a qualquer custo….. Já vi até o Cel. Telhada em palestra dizendo que o maior erro dos militares foi justamente não devolver o poder logo em seguida aos civis convocando eleições.

  4. Só sei que se não tivessem feito a Intervenção militar em 64, hoje seríamos um país comunista. O único erro do coronel Ustra foi deixar aquela corja viva para q outra vez colocasse nosso país em risco. Viva o coronel Ustra e todos os guerreiros que nos salvaram do comunismo!

      • Exigir comprovação de que “se não tivessem estabelecido ditadura, teríamos o comunismo” é a chamada prova diabólica.
        Que tipo de prova haveria disso, a não ser argumentação em cima dos fatos? Ou querem um DOCUMENTO dizendo ““se não tivessem estabelecido ditadura, teríamos o comunismo, ou uma prova pericial a respeito????

  5. Luciano, o que acha de fazer um post dizendo como deveria ter sido feito em 1964? Eu sou contra o Ustra e o Boçalnaro. E seria bom você fazer posts de como devemos responder a essa direita true.

      • Não acho isso uma boa ideia. Em História Militar esses exercícios de estratégias são comuns, mas em História Política é complicado.

        Ainda mais que se o texto for sobre 1964, a única coisa que poderíamos falar seria sobre a punição à Revolta Militar encadeada pelo General Olímpio Mourão, já que João Goulart foi deposto pelo Congresso Nacional por abandono de cargo em 02/04/1964 e o General Castelo Branco foi eleito pelo mesmo Congresso conforme preconizado pela CF 1946.

        Com um pouco mais de imaginação, agora indo para um simulado de História Militar, poder-se-ia imaginar uma reação de supostas tropas do Sul fiéis a Jango e Brizola e um modesto apoio cubano, que certamente seriam esmagadas como foram os Constitucionalistas em 1932. Uma intervenção soviética direta (com tropas) pró-Sul seria improvável, pois isso não aconteceu nas Guerras da Coreia e Vietnã (ficaram no apoio, mas sem o uso de tropas regulares em batalha).

  6. Eu vi a votação do impeachemant, e vi o momento do tiro no pé do boçalnaro. General Ustra pesadelo de dilma? Eu pensava que o pesadelo de dilma era o juiz sergio moro, o povo brasileiro, a verdade, a liberdade do povo, o Caiado, o MBL, o Fernando Holiday, a mídia sem censura, entre outros.

  7. Participei de manifestações contra a chamada ditadura em 1977 e nunca fui perseguido e muito menos torturado, simplesmente porque não era guerrilheiro e/ou terrorista, e nunca soube de nenhum conhecido que também tivesse sofrido. As pessoas que foram e todas que conhecia, eram comunas radicais e guerrilheiro/terroristas militantes ou apoiadores/cúmplices… O resto, é versão mais do que suspeita de esquerdopatas e semelhantes, ou ingênuos como o dono deste blog que engoliu essa balela…

    • Rotinas

      1. eu não fui perseguido, logo ninguém foi
      2. todos os presos políticos eram maus (guerrilheiros e terroristas), então somos “do bem”
      3. quem critica a ditadura crê na narrativa da esquerda

      A repetição segue…

      • Segue porque não tem outra possibilidade… Se você não acredita ou não aceita essa versão, paciência! A falha não está do nosso lado…

  8. Os militares tomarem o poder foi um mal necessário e já passou, acabou. Pra que ficar remoendo o passado?
    Analisando de um outro ponto de vista, parece que Dilma assumiu o poder com o único objetivo de se vingar dos militares e pilhar o estado, agora eu te pergunto, o que diabos eu, você, nós todos que vivemos como coadjuvantes nesses episódios todos temos a ver com essa merda toda??
    Bolsonaro também segue o mesmo caminho, parece que quer manter o circulo vicioso e sua “homenagem” a Ustra é prova disso.

      • Vá dizer isso para quem foi treinar tortura, armar bombas caseiras, fuzilar pessoas em Cuba, na Argélia, na União Soviética, na china. É claro que a esquerda , que já vinha fomentando treinamento armado de guerrilha em 1961 em pleno regime democrático ,é muito compreensiva e vai respeitar uma democracia que ouse combater suas milícias.
        Só na sua cabeça de vento que um regime democrático teria se dado bem com a esquerda armada e intolerante. Aliás com o Jango promovendo insubordinação nas FA, promovendo absurdos políticos e com seu ex-parceiro Janio condecorando um “pacifista” com Che Guevara,você acha que seria possível um governo democrático continuar a existir no Brasil sem uma intervenção militar ?
        Foda-se a lógica, né !

  9. Uma no cravo, outra na ferradura .Pena que eu não registrei antes uma certeza que eu tinha logo que vi o seu comentário a respeito da arbitrariedade cometida pelo STF contra o Bolsonaro: a de que você, como militante da esquerdinha tucana que é. logo encontraria uma forma de usar o episódio para denegrir, mais uma vez o deputado que não se alinha com essa bandalha toda que tomou de assalto o país, PSDB incluso..Foi depois de ler o que o seu guru Reinaldo Azevedo escreveu a respeito?

    Você pode se achar muito esperto, tucanófio, mas a verdade é que ainda tem muito a aprender antes que deixe de ser apenas um contraponto instrumentalizado pela ditadura de esquerda que tomou de assalto o país. Papel no qual, diga-se de passagem, você se compraz.

    Antes que eu me vá, quem foi que lhe disse que o Ustra foi um torturador? Os mesmos que estão aí, hoje, torturando a verdade, os cofres públicos, as instituições, a democracia, o país? Cobre tento, cara!

    • O de sempre…

      1. Se discordou de Bolsonaro, é tucano enrustido
      2. Se acha que Ustra é torturador, é tucano enrustido
      3. Quem ler o livro de Ustra acreditará que a ditadura militar não foi nem ditadura, e foi bela e moral
      4. Quem não crê em mim é porque acredita na “narrativa da esquerda”

      Esse pessoal não muda o discurso.

      • Veja só:

        1. Você não discorda de Bolsonaro, simplesmente. Você o tem desqualificado de todas as formas possíveis e imagináveis;

        2 Ainda bem que você confessa que ter o Ustra como torturador não passa de um “achismo”

        3. Não foi bela nem moral, Foi uma guerra inacabada contra.bandidos e terroristas da pior espécie. Inacabada, sim, porque muitos deles estão aí novamnete, assaltando, torturando e infelicitando o país.

        $. A “narrativa de esquerda” é um fato histórico, aqui, lá e acolá. Não fosse ela, os partidos e símbolos da ideologia mais assassina da história da humanidade estariam proscritos para sempre. Infelizmente, ela ainda conta com a complacência de pessoas como você..

        Quando você mudar o seu discursozinho mambembe de inocente-útil da esquerda, mudo também o meu dsicurso, tá?.

      • 1. Desqualifico algumas ideias repelentes de Bolsonaro.
        2. Não é achismo. Isso se ampara em fatos e evidências.
        3. Dizer que ditadura militar foi “guerra contra terroristas” é tomar o pretexto pelo motivo. Já mostrei como seu argumento não sobrevive.
        $. Nada disso. Existe uma narrativa da extrema-esquerda, e outra da extrema-direita, e podemos superar ambas. Sua falácia é dizer que se não acreditamos na narrativa da extrema-direita, teríamos que crer na narrativa da extrema-esquerda. Falso.

    • Mas RA está dizendo que está certo o STF,se ele não explicar direitinho o que ele quis dizer com”não merece ser estuprada”(lê lá o que ele escreveu ontem),deve ser cassado.O Ayan está dizendo que o STF foi arbitrário.Bem diferente da opinião do RA.Vocês agem como se ditaduras só são ruins se forem de esquerda,parem com isso! Também concordo com o Allure,aí em cima.

  10. Luciano, é lamentável o seu contorcionismo mental e verbal. O que houve contra o Bolsonaro nada tem a ver com o Ustra, e você sabe muito bem. Não vou nem entrar no mérito da suas afirmações sobre o Ustra ser “torturador” – não há provas quanto a isso, a não ser a opinião pessoal e relatos extremamente forçados -, mas sim no fato que o Bolsonaro foi alvo de uma ação autoritária, ilegal e absurda, que visa apenas e tão somente castrar seus direitos políticos. É isso que você deveria estar comentando, ao invés de fazer piruetas verbais e mentais.Uma pena, pois cheguei a acreditar que você era sério.

    • E eu cheguei a acreditar que quem lia esse blog tinha o mínimo de noção que o mundo não gira em torno do seu umbigo e que os eleitores não são seus pelos pubianos, o que vc disse já foi endereçado pelo Luciano nos primeiros comentários.

  11. Luciano, reli seu texto com mais calma, e entendi o contexto. Você faz exatamente o que eu cobro. Espero que me desculpe pela intempestividade. Grande abraço.

  12. Primeiro q o nome é Ulstra e não Ustra,segundo,como tem ignorantes neste país,vejam,governo militar não teve nda de ditadura nao,ao contrário,houve sim reorganização do estado,coisa q estou doido pra q aconteça novamente,entao,parem com essa verborragia de vcs,leiam a verdade sufocada e vcs saberão de fato o q foi o governo militar!!!

  13. História é uma merda, a absurda maioria nunca esteve lá pra dar conta do que realmente aconteceu, e promover a verdade! Sempre os relatos do passado esconderão e manipularão fatos para defender o lado de cada um, e as vezes não se trata de dois lados apenas. Sempre uns se beneficiam mais que os outros. Teve tortura de guerrilheiros, terroristas, pessoas inocentes? Claro que teve, quem pode falar que não? Até Amado Batista (cantor) levou uns “pede pra sair” – só não ficou de mimimi pra receber pensão e ainda deu crédito em concordância a ação que sofreu.
    Mas cada um puxa a sardinha pro seu lado. Cada um vai defender o que lhe convém. Cada um se justifica e recebe sua mais-valia.
    Mas e o brasileiro que acorda às 04:30h da manhã, que não sabe se volta pela insegurança pública (e ainda não tem o direito sequer de se defender), fica mais de 16h fora de casa, labuta de segunda a sábado e recebe um salário mínimo numa moeda sem valor, que vai sendo cada vez mais consumido pelos impostos, inflação, juros altíssimos e que mal consegue comprar a comida pra família sobreviver; que nem pode ficar doente porque a saúde pública é precária e negligenciada; que precisa conviver com um mau cheiro insuportável em sua casa, porque na sua rua não tem saneamento básico; que precisa dar uma assistência superior aos filhos em sua educação escolar, porque a educação pública no Brasil é de péssima qualidade com uma pedagogia retrógrada, e ainda tem a doutrinação política e ideológica formatando a cabeça dos alunos desde a tenra idade; que não pode adquirir um bem pro patrimônio de sua família sem se endividar pro resto da vida? Hein? Quem se importa com esse cidadão? O governo? Pro governo que esse cidadão se lasque, se foda mesmo. Na base da conversa, da civilidade não tá funcionando. Dilma é afastada, Temer assume e cadê diferença? O aparelhamento continua “deitado eternamente em berço esplêndido”. Até quando a força popular vai ficar calada? Até o Brasil se tornar uma “república” sitiada por militares ou militantes? Quando é que o povo vai chutar a porta dessa bagaça e dizer: QUEM MANDA NESSA PORRA AQUI, SOU EU!?! FORA!!!

  14. Foi “repulsiva” pra quem, cara pálida? Quando você endossa a narrativa da esquerda está jogando pelas regras deles e foi você quem ensinou isso!!!!!!!!!!! Agora esquece até o que você mesmo defende?? Não subestime seus leitores. Pare de fingir falsa indignação – como seu guru Reinaldo Azevedo – para ajudar a tucanada!!

    • Nada disso, Fernando.

      A NARRATIVA DE VOCÊS é que inventou que ficar contra ditaduras, inclusive a militar, é “narrativa da esquerda”.

      Eu nunca caí nesse joguinho psicológico.

      Eu uso unicamente a lógica aplicada ao debate moral.

      Qualquer que censure a mídia, tenha presos políticos e inviabilize as eleições para todos os principais cargos públicos é um INIMIGO DA DEMOCRACIA.

      Não importa se é Coronel Ustra ou Diosdado Cabello.

      • Foda-se a contextualização, né ! Querer comparar o que Diosdado e Maduro fazem ao POVO da Venezuela com o que houve no Brasil é o fim da picada. A prova está em você perguntar a qualquer pessoa mais velha e honesta se ela preferia viver naquele tempo ou preso em casa hoje. Claro que a discussão não se limita apenas ao fator segurança do cidadão, muito mais ampla naquela época do que na de hoje, mas tendo em vista a morticnio que ocorre nas ruas de hoje que aflige ao bem jurídico maior, que é a vida, não tem qualquer comparação.
        A fome aqui no meu Nordeste naquela época que em vários casos se assemelhou ao que ocorre hoje na Venezuela, é um dos fatores de comparação, mas não havia a cobrança exagerada de impostos, nem milhares de radares para extorquir os cidadãos.

      • A questão econômica não vem ao caso, pois não dependemos de ditadura para “melhorar a economia”. Assim, falamos de manutenção de poder. E tanto na Venezuela de Maduro como no Brasil dos tempos do regime militar os métodos para manutenção de poder foram similares.

  15. Bom ver que você, Luciano, do sensato na defesa do injusto. Bem como MBL, VPR, dentre outros movimentos que não apoiam Bolsonaro, mas estão o defendendo desse golpe tirano. Entretanto, a sua comparação é esdrúxula. Não existem provas contra Ustra. Se existir, me prove! A própria companheira de cela, de Dilma Rousseff, já admitiu que todas as “torturas” sofridas foram mentiras. Basta ler o Blog dela. Tem tudo lá. Na época da ditadura, era guerra. Na guerra pessoas morrem. Morreram gente dos dois lados. Não se combate bombas com flores.

  16. Luciano agora que você já cagou exigências de provas para todos, quero as suas provas de que Ustra foi um torturador. Já te pediram isso lá em cima mas você respondeu outra coisa e fugiu bonitinho da pergunta.
    Quem fala sobre ceticismo político é você, mas aparentemente está sento totalmente crente na propaganda do inimigo.

    Eu realmente não sei se Ustra torturou alguém ou não, mas você parece ter absoluta certeza.

    “A famosa falácia de dizer “todos os presos políticos eram guerrilheiros”. Isso é uma mentira clara, ainda que existissem guerilheiros.”

    A famosa falácia de dizer “todos os militares eram torturadores”. Isso é uma mentira clara, ainda que existissem torturadores.

    Por anos a esquerda no poder tentou de todas as formas ferrar Ustra, mas nunca conseguiram de fato, seja porque não tinham provas ou porque era melhor usá-lo de propaganda, mas você parece ter todas as provas necessárias para condena-lo.

    Sim, teve tortura, sim foi errado, sim toda ditadura é horrenda, mas assim como não se pode dizer que todo preso político era terrorista não se pode dizer que determinado homem por ser militar era um torturador, estou completamente disposto a aceitar que ele tenha sido um torturador, mas quero as provas que você tão enfaticamente sempre exige de todo mundo o tempo todo.

    Sem chorinho, sem usar contra mim a técnica de inventar intenções alheias e etc.

    To aguardando.

    • Evidências de tortura
      1 – Morte de Vladimir Herzog, contra o qual não pairava uma acusação sequer de terrorismo
      2 – Várias declarações de outros oficiais da época confessando as tortura (enfim, confissões)
      Enquanto isso, aqueles que defendem a ditadura militar não conseguem provar o frame “todos os que foram presos ou mortos eram terroristas”.
      Lógica pura.
      E você se refuta: “mas assim como não se pode dizer que todo preso político era terrorista”.
      Então esse é o problema moral.
      1 – Várias vítimas foram feitas
      2 – Enquanto isso “não se pode dizer que todo preso político era terrorista”
      Para mim é o suficiente. O resto é ampliação indevida do que eu afirmei.

      • Somente a título de esclarecimento e para que não haja dúvidas, quando Herzog morreu, Ustra não chefiava e nem estava no DOI CODI de SP.

      • Ok. Mas sabíamos que o DOI CODI era um lugar onde até inocentes morreram torturados. A escala das torturas aumentou no tempo de Ustra. Há relativos de oficiais do exército confirmando as torturas.

      • Tudo Isso é narrativa da esquerda, que você engoliu a seco, e já foi refutado por Ustra em “A Verdade Sufocada”. Há algo mais?

        A bandalha comunista, que você defende com tanto ardor, torturou e matou, proporcionalmente, muito mais do que as Forças Armadas do país.

      • “E você se refuta: “mas assim como não se pode dizer que todo preso político era terrorista”.”

        Você parece que está ficando cada dia mais paranoico, não afirmei em momento nenhum que “todo preso politico era terrorista”, pelo contrário estava concordando com você, meramente usei o mesmo argumento para o outro lado. Não confunda o que eu afirmo com o que os outros comentaristas afirmam. Pedi claramente para não “inventar intenções alheias”.

        “Para mim é o suficiente. O resto é ampliação indevida do que eu afirmei.”

        Bom se para Luciano Ayan é o suficiente, mais nada é necessário, não sei porque não enforcaram o cara logo de uma vez, afinal o Aiatolavo…, digo, Luciano Ayan disse então tá dito, nenhuma prova é necessária. Existem indícios mas nenhuma prova explicita, que se dane, queimem-no na fogueira.

        Você não tem provas, nem mesmo a esquerda as tinha, do contrário já teria feito justiça, você pegou os indícios e transformou em provas, o peso da prova cai sobre quem acusa.

        “Isso é desumano até dizer chega.”

        Concordo.

      • Você não tem provas, nem mesmo a esquerda as tinha, do contrário já teria feito justiça, você pegou os indícios e transformou em provas, o peso da prova cai sobre quem acusa.

        A acusação de que “existiam presos políticos” e que “não há provas de que todos eram terroristas” depende de que tipo de prova, fera?

      • “Ok. Mas sabíamos que o DOI CODI era um lugar onde até inocentes morreram torturados. A escala das torturas aumentou no tempo de Ustra. Há relativos de oficiais do exército confirmando as torturas.”

        Olha só não deu 5 minutos pra uma das “provas” cair.

  17. Isto é um “non sequitur” e o ayan SABE DISSO: porque o Diosdado Cabello MENTE ao justificar suas atitudes então o Ustra também mente (embora sejam contextos completamente diferentes).

    O TRUQUE do ayan em um outro exemplo: se uma pessoa diz que feriu um criminoso em legítima defesa e está mentindo então todos os que ferirem um criminoso e alegarem legítima defesa são mentirosos.

    QUE FEIO, ayan!!!!

    • Tomás Marabo,

      Todos aqueles que censuram a mídia o fazem por precisarem mentir. E isso tanto Diosdado Cabello como Coronel Ustra ou fizeram ou disso dependeram.

      O que estou dizendo são os fatos: tanto Diosdado Cabello quanto Coronel Ustra dependem de alegações SEM PROVAS de que todos os presos políticos “são na verdade guerrilheiros ou terroristas”.

      Isso é um fato. A narrativa deles está aí para todos verem.

      Abs,

      LH

      • Mas foram presos pra investigação. Vários dos que foram presos pelo regime militar sequer foram acusados de nada. Como acontece HOJE: pessoas são presas cautelarmente e depois sequer indiciadas. Sendo que na época havia leis mais frouxas, permitindo a popular “prisão para averiguação”, o que é vedado pela atual Constituição.
        Ou seja, não é correto exigir prova de que fossem “terroristas” para terem sido presos provisoriamente, mas sim analisar se havia base para se investigar ou não a pessoa, base esta que está presente, de acordo com a exigência legal da época, em todas as narrativas dos que se dizem presos – torturados ou não – pela ditadura militar.

      • Tomás Marabo,

        Onde está essa “base”? Tem algum índice para nos mostrar? Pois há uma série de casos de pessoas contra as quais nunca foram encontradas provas de “associação com terrorismo” e que foram presas e até exiladas.

        Abs,

        LH

      • “há uma série de casos de pessoas contra as quais nunca foram encontradas provas de “associação com terrorismo” e que foram presas ”
        Sim, concordo contigo e o próprio Ustra narra isso no livro verdade sufocada: pessoas eram presas “para averiguação”(“modalidade” de prisão então legítima, sem necessidade de ordem judicial) e depois se descobria que não tinham envolvimento e eram soltas.

        Querer pedir “base” ou índice quando os processos penais militares da época continuam secretos…. bom, sabes que isto é impossível hoje. Só posso debater com base nos relatos dos próprios militares, militantes e outros nos livros que foram editados.

      • E aí temos um problema adicional: colocar como “premissa” que para investigar ações terroristas era preciso de um regime ditatorial, com censura de imprensa, etc.

        A situação dos militares é indefensável.

      • Em nenhum momento estabeleci como “premissa” a ditadura para combater terroristas, embora seja evidente a necessidade de uma legislação especial, diferente da que serve como base para a apuração de crimes comuns.

        “Existiu censura de imprensa” Mas Ustra nunca censurou a mídia, com todo o respeito ele era um coronelzinho barnabé em uma repartição pública de são paulo, de tantas outra que exisitiam nos outros Estados.

        Outra: dizer que não sabemos (somos céticos como o blog diz ser) se o Ustra torturou não implica em negar toda e qualquer tortura que tenha ocorrido na época.

        Com teus argumentos de “existiu censura, não havia eleições e houve tortura” em um tópico sobre o Ustra falas como a esquerda: o Ustra é um ser mitológico onipotente, onipresente e onisciente kkkkkkkkkkkkkkk Estás culpando o Ustra como se ele fosse o presidente à época, como se fosse o Jarbas Passarinho ou o Golberi .

        E nem o próprio Ustra trata os presos todos como “guerrilheiros ou terroristas”, embora ele defenda, por óbvio, que tenham sido presos para investigar estes crimes ou assemelhados. Ou seja, estás rebatendo o que não é dito, sendo que o próprio Ustra diz que vários que passaram por lá foram sequer indiciados.

        Deves ler o “verdade sufocada”. Está fazendo falta na tua formação intelectual.

      • Tomás,

        “Verdade Sufocada” como parte de “formação intelectual” é gozação.

        Aliás, já tive esse livro. Pura comédia.

        Eu não disse que o Ustra implementou a ditadura, mas FOI PARTE de um projeto ditatorial, e, como tal, imoral.

        Abs,

        LH

  18. Por que não se ve a mesma indignação aos que exaltaram “o outro lado”, comprovadamente também mataram, sequestraram, roubaram e torturaram. Bolsonaro só quis segurar um pouco essa balança que só pesa pro lado dos militares. Foi o papel que ele propôs em sua trajetória de vida politica e deve ser respeitada, pois a verdade nunca tem só 1 lado.

    • Mas nós, adeptos da liberdade, da democracia e da sociedade aberta PODEMOS nos indignar com quem elogia Marighela.

      Já Bolsonaro não pode, pois ele defendeu o uso da violência contra opositores, que é exatamente o que Marighela fazia.

      Há uma diferença entre ser contra algo por princípio, e ser por conveniência.

  19. Pena a matéria tinha tudo para ser compartilhada se não fosse esse comentário sobre Ustra. Eu não apoio a ditadura militar, porém apoio a verdade sempre, e percebi atravez da logica que as histórias contadas e financiadas pela esquerda sobre a era militar era pura mentira, por isso busco a verdade assim como muitos, os brasileiros estão cansados de tantas mentiras. Então MBL sei que vocês são oposição dos Bolsonaro, porém eu esperava mais de vocês, não esperava que vocês fizessem o jogo da esquerda, afinal atacar os militares com as mesmas mentiras contadas pela esquerda mostra isso, então por favor fique do lado da verdade sempre, isso que os brasileiros querem, políticos que dizem a verdade independente do que aconteça.

  20. Enquanto fazem barulho sobre o Bolsonaro elogiar o Ustra, pouco se comenta sobre o deputado psolista carioca Glauber Rocha louvar Marighella.
    Há uma certa diferença entre as ações do Ustra com as do STF: o coronel REagiu às ações de terroristas e guerrilheiros urbanos. Ainda não há trânsito em julgado que diga que ele cometeu tortura. Ademais, essa decisão do STF, puramente arbitrária e política, mascára quem realmente se preocupa com a segurança pública, em especial à segurança das mulheres, uma vez que Bolsonaro apresentou 2 projetos pra agravar crimes de estupro e a Maria do Rosário votou contra a redução da maioridade penal, mesmo apenas para os crimes hediondos.
    Imagine se o Dep. tivesse falado que ela MERECIA ser estuprada?!

    Uma curiosidade, Luciano Ayan: o que vc faria no lugar do Coronel Ustra? Como vc obteria informações a respeito dos mentores da Guerrilha? Como vc trataria pessoas piscopatas e sedentas pelo Poder, que explodiam aeroportos, bancos e quartéis, matando e ferindo várias pessoas nestas investidas, sem mencionar ainda os vários roubos e squestros pré-meditados?

    • Essa é a falácia tu quoque: “eu não tenho problema em elogiar Ustra pois Glauber elogiou Marighella”.

      Não dá…

      Mais: “o coronel REagiu às ações de terroristas e guerrilheiros urbanos”.

      Na verdade, ações terroristas serviram como PRETEXTO para quem queria poder de forma autoritária.

      Mais:

      Uma curiosidade, Luciano Ayan: o que vc faria no lugar do Coronel Ustra? Como vc obteria informações a respeito dos mentores da Guerrilha? Como vc trataria pessoas piscopatas e sedentas pelo Poder, que explodiam aeroportos, bancos e quartéis, matando e ferindo
      várias pessoas nestas investidas, sem mencionar ainda os vários roubos e squestros pré-meditados?

      Essa é uma questão totalmente falaciosa, uma vez que embute várias afirmações não provadas, incluindo aquela dizendo que Ustra “só perseguiu terroristas”.

      Então que provem, oras.

  21. Eu sou seu “discípulo” devo muito a você pelo que sei sobre a guerra politica.
    Mas neste texto você parece mais um petista enrustido do que meu “mentor”.
    Na guerra politica nunca se critica alguém do seu lado, não importa qual seja seu pecado sempre se deve defender e inverter a culpa para o adversário, a esquerda faz isso sempre.
    Bolsonaro não é flor que se cheire, tenho muitos poréns contra ele, mas e o melhor que se tem no momento e ele efetivamente causa muitos danos aos inimigos da liberdade.
    Eu te pergunto o texto ajuda ou atrapalha a luta contra os inimigos da liberdade?

    • Oneide,

      Mas o Bolsonaro não está do meu lado. Eu luto pela liberdade, logo não há acordo com quem defende uma ditadura militar. É por isso que posso defender de cabeça erguida um argumento CONTRA o abuso que praticaram contra ele.

      Abs

      LH

      • Ele luta por liberdade econômica, para que o Brasil saia do combalido Mercosul e faça comércio com o mundo inteiro, luta por um Estado mais enxuto sem o horror de regulamentação sobre empresas e cidadãos, nisso diferindo do que foi feito pelos governos militares, os quais praticaram uma notável intervenção na economia, criando pencas de estatais, embora usemos boa parte da infraestrutura da época. Luta pela moralização da política e por um país onde grupos denominados “minoritários” não usem de pretextos com orientação sexual, cor de pele,origem social como vitimismo revanchista para apontar o dedo e intimidar as outras pessoas lhes pedindo “até a alma”. Luta por educação e cultura de qualidade, onde todos possam ter acesso, mas sem a demagogia esquerdista de usar uma pessoa contra a outra, embora saibamos que é impossível extirpar esse tipo de vitimismo, mas sim esclarecer pessoas contra ele. aliás foi outra grande falha dos governos militares não terem criado um grande debate político nas escolas.

      • É possível supor, com enorme possibilidade de acerto, que as Forças Armadas, a despeito das injustiças cometidas na guerra contra o terrorismo de esquerda, tenha salvo centenas de mllhares de vidas de brasileiros inocentes, que certamente seriam torturados e mortos se o país enveredasse por uma ditadura comunista. Sem falar nos milhões de brasileiros que morreriam de fome no curso do tempo. Aqueles que conhecem um mínimo de história sabem perfeitamente do que estou falando, Portanto, não me venham com esse discursozinho falacioso de quem foi emprenhado pelas orelhas nessas verdadeiras madraçais de doutrinação comunista que são as nossas escolas, do ensino fundamental ao superior. Ele não passa de conversa fiada.

      • Bolsonaro esta mais do seu lado que o mais sensato e moderado esquerdista.
        Ele não defende a ditadura ele critica a versão da história contada pela esquerda.
        A mesma coisa sobre homosexualismo, direitos humanos ele como toda a direita é contra o falso ativismo que quer apenas faturar politicamente em cima dos oprimidos.
        A esquerda criou a mentira que estavam lutando por democracia e moralmente se apoiam nisso, e veja que ainda usam o mesmo script ainda agora.
        Justificam seis crimes alegando que estavam em guerra.
        Veja que a morte de inocentes deve ser faturada na conta da esquerda, são eles que propõem a luta armada como opção legitima para a tomada de poder.. .
        A intentona comunista(1934) matou centenas(ou milhares) de inocentes, os culpados nunca foram punidos realmente e dai que o descontentamento começa.
        Lembrando que o primeiro sequestro de avião do mundo se deu no Brasil no embalo do descontentamento das forças armadas.

  22. A repressão aos comunistas pelos militares foi providencial apenas em um dado momento para evitar que o Brasil virasse uma Cuba ou uma URSS tupiniquim. A tática entretanto foi péssima. Adotando o princípio da panela de pressão, para acalmar a revolta dos esquerdistas; os militares deixaram deliberadamente a maior de todas as armas para os comunistas – as universidades como escape. Os comunistas não teriam em mil anos no Brasil poder bélico para tomar o Estado fazendo uso de táticas de guerra militar. Ao abdicar da guerra política; os militares construíram as bases para a implantação do sistema de subversão esquerdista que nos inferniza hoje em todas as nuances da nossa sociedade. Todo sistema que cai já tem algo de podre dentro dele.

    Torturas revelam a face de um sistema que não tinha moral nem tática para barrar comunistas.

    Provas?

    Olha a esquerda se lambuzando no poder.

  23. Como se deve agir para prevenir um atentado terrorista, um assalto a banco ou um sequestro de avião? Ajoelhar no milho ou palmatória são opções muito violentas. Podem causar traumas irreparáveis. Vai ver foi por isto que o Zé Dirceu ficou tão revoltado e fez o que fez. Vingança!. Proponho cortar o Nescau ou mandar para o cantinho do pensamento…

      • “1) para combater terrorismo, é preciso de ditadura”.

        Não, não é preciso. Mas a ditadura foi, de qualquer modo, um regime que se impôs em resposta ao terrorismo de esquerda que certamente teria imposto ao país, se bem sucedido, uma ditadura mil vezes mais perversa, com a morte de dezenas, talvez centenas de milhares de brasileiros. A História apoia essa tese.,

        “(2) todos os presos políticos eram terroristas.”

        Não, nem todos eram terroiristas. Por outro lado, muitos dos que foram mortos pelos terroristas eram inocentes, pois nem sequer tinham qualquer envolvimento no confronto armado que se estabeleceu no país.

        Sugestão: defenda uma causa melhor do que a dos bandidos que, depois de terem dado ensejo a uma ditadura, locupletam-se até os dias de hoje com ela e, ainda por cima, continuam infernizando o país por meio dos seus militantes remanscentes, ora no poder.

      • 1. Se não era necessária uma ditadura, então o problema moral é bem grave.
        2. A afirmação “muitos dos que foram mortos pelos terroristas eram inocentes” não tem nenhuma relação com “muitos dos presos políticos não eram terroristas, até que se prove o contrário”

  24. Que pena que teve um regime militar. Se não tivesse, um esquerdista enrustido politicamente correto e cheio de viadisses pós-modernas como esse Luciano não estaria falando merda na Internet, porque aqui ainda seria uma ditadura ou bem próximo de uma como ainda é na Rússia.

    A propósito, aprove meu outro comentário.

  25. Luciano, tirando o Bolsonaro do jogo politico isso não ajudaria a uma direita mais consciente? Um direitista preparado e consciente sabe se defender melhor que o Bolsonaro.

    Bolsonaro saindo da guerra política, uma direita mais preparada iria surgir e se fortalecer. Bolsonaro e os seus seguidores só atrapalham.

  26. Cara, olha o que você escreveu: “Questionava-se sobre como Bolsonaro teve a coragem de defender alguém que usou a força do estado para perseguir divergentes políticos”.
    Em que mundo você vive? Não eram “divergentes políticos”, eram terroristas, assassinos, assaltantes, estupradores. Pelo jeito a “força do estado” só pode ser usada contra quem trabalha e vive honestamente…
    Depois, você não prova que o Coronel foi torturador. Apenas repete feito papagaio as mentiras da esquerda.

  27. Allure fez uma boa síntese da questão. Pagamos pelos erros da ditadura até hoje. A ascensão de figuras como Lula só aconteceu graças à destruição política da direita liberal e conservadora , promovida pelos militares. Isso é fato, não opinião. Basta estudar um pouco aquela época para ver que foi isso que aconteceu. Só esse fato, na minha opinião, é o suficiente para não entender a intervenção como algo positivo para o país, como muitos entendem. Pelo contrário, sinto muita raiva quando penso que, graças à inépcia dessas pessoas, hoje temos que aturar essas figuras deploráveis no cenário político nacional. Não vou nem falar do restante.
    Quanto a Bolsonaro, lamento tudo o que lhe está acontecendo e espero sinceramente que esses fatos lhe ensinem alguma coisa. Bolsonaro e apoiadores precisam crescer e encarar o jogo político como adultos. Ser vítima de Marias dos Rosários é o cúmulo da incompetência.

    • Concordo contigo. Acredito até nas boas intenções do Bolsonaro, mas entre as ideias dele e a língua, falta uma rede de neurônios com juízo. Ficar batendo boca com Maria do Rosário; levar cuspida de Jean Wyllys e não processar esse lixo; pagar mico em diversas entrevistas e tantas outras passam uma imagem dele mais de um personagem de novela cômico do que um candidato real a um cargo de presidência de um país. Por isso ele é um alvo fácil para a esquerda desconstruir. Tem que amadurecer e muito. Não consigo ver ele como uma opção séria para 2018 sem que ele mude sua postura.

  28. O STF age assim simplesmente porque ele também está dominado por este governo corruPTo e comunista do PT. Eu já falei e falarei quantas vezes for preciso. Aqui no Brasil nunca tivemos uma ditadura militar, quer o pequeno exemplo é só comparar quando os militares assumiram o poder no Brasil por solicitação do próprio povo, houve um combate com os guerrilheiro terrorista e comunistas, e durante o período da intervenção militar morreram mais ou menos umas 450 pessoas enquanto na tomada de Cuba pelo Fidel castro, morreram mais de 5.000 mil pessoas. Em pleno período da intervenção militar, eu estava servindo como soldado no quartel da Aeronáutica na ponta do Galeão e lá a cadeia do quartel estava cheia de guerrilheiros terroristas comunistas e quando nós passávamos pela porta da cadeia e olhávamos lá pra dentro eles estavam muito a vontade e muitas vezes rindo e jogando bola feita de papel. O nosso alojamento praticamente era encostado à cadeia e nós nunca ouvimos um grito vindo de lá. Terminei o meu tempo de soldado, dei baixa até porque não era o meu sonho seguir a carreira militar, fui terminar os meus estudos, fiz faculdade me formei e nunca fui perturbado pelos militares. Por sinal, os militares só foram duros com os queriam transformar o Brasil num pais comunista, como esses que estão aí no poder, mas com certeza se eles tentarem de novo o que tentaram em 1964, sem dúvidas que os militares não irão permitir de novo.

  29. Caro Luciano,Apesar de ler vários comentários contra/a favor, só posso dizer uma coisa: universitário á época da ditadura, totalmente alienado de questões políticas, digo que me preocupava muito mais as ações de terroristas e bandidos que as dos milicos. Participei de alguns encontros de DA’s, com a polícia nas avenidas à espera de qualquer brecha pra sentar o cacete. Disto eu tinha medo: uma besta quadrada, por estar no meio de muitos, provocar os soldados. O pau comeria sem dó! Soube de várias pessoas que foram torturadas: se o seu nome estivesse na agenda de aniversário de um daqueles caçados, o DOPS bateria à sua porta, sem dúvida! Bom…A meu ver, o Bolsonaro “exagera” em algumas colocações, tipo o Maluf com o “estupra, mas não mata.” No caso do Ulstra, ameu ver, foi mais uma dessas, emq ue contrapõs os constantes elogios das esquerdas às ditaduras de todo tipo, inclusive a Anta beijando a testa do Fidel! PQP! Uai, se vamos elogiar ditaduras, por que não a nossa? heheheheheNo caso da Maria do Rosário, por outro lado, basta ver o vídeo sobre o incidente, pra se ver o destempera da mulher, interferindo em uma entrevista que o Bolsonaro era o entrevistado. Há momentos em que ela ameaça dar um tapa nele, e ele responde que se ela desse, ele daria um nela também. Ela, em lgum Ele narrou o caso do irmão dela que havia sido pego pela polícia, devido a envolviemto com menores, ou coisa do gênero. https://www.youtube.com/watch?v=LD8-b4wvIjc

  30. Ayan, imagina se esses ministros julgassem os slogans: “todo homem é um estuprador potencial” ou até mesmo o slogan gringo: “black lives matter”.

    Uma coisa que eu só me toquei agora, o primeiro caso onde a Maria do Presidiário chama o Bolsonaro de estuprador foi em 2003 (faz 13 anos) e aposto que o Bolsonaro não meteu uma ação contra ela, aí fico imaginando que quando o advogado do deputado disser que ele foi ofendido primeiro, nenhum juiz o levará a sério dado o intervalo de tempo, já que ele falou o que falou ano passado (12 anos depois).

    Pelo visto a única forma de ele se safar será com os embargos, assumindo que os ministros da segunda turma vão votar em favor dele para manter a coerência do caso Aécio vs Jandira. Afinal se a Jandira pode denegrir a imagem de outro parlamentar gratuitamente, por causa do foro privilegiado, o mesmo tem que valer pro Bolsonaro.
    Acho que se fosse pra seguir a lógica da primeira turma, Jandira teria que ser Ré por fazer apologia a desonra do próximo ou algo do tipo.

  31. Adimiro brilhante ustra pelo seu belo trabalho, pela sua grande atuação na história brasileira.

    Se na câmara Glauber rocha pode homenagear marighela,

    Não existe nada, não existe ninguém que possa censurar minha homenagem a brilhante ustra.

    A nossa luta agora é contra o “politicamente correto”

  32. Nunca o apelido Bolsotário valeu tanto. Como esse cara é idiota, puta que pariu. Eu tenho nojo de olhar pra cara dele e cheguei num estágio que ouvir a voz dele me irrita, pois lembro que é a voz de alguém que PEDIU A MORTE DE BRASILEIROS INOCENTES (tem vídeo no YouToba disso) e conquistou uma pá de otários que gostariam de fazer coisas bem piores do que matarem inocentes.

    Quem apóia Bolsonaro apóia morte de gente inocente.

    E Bosoltário tem mais é que se foder. Eu NUNCA vou erguer um dedo mindinho do pé pra defender esse filhote de bosta, quero mais é ver ele E SEUS SEGUIDORES se fodendo muito.

      • No caso em específico que ele está sendo acusado (de apologia ao estupro) acho uma merda quererem cassá-lo por ISSO. Mas defender o Bostanaro me dá uma preguiiiiça… rs.

        Entendo o que você e o Modo Espartano estão fazendo, que não é exatamente defender o Bostanaro e sim mostrar que podreira está o STF.

      • Carla Perez: sem brincadeira, vai logo socar uma bronha no banheiro pensando em um cara suado te fornicando, assim você alivia um pouco essa obsessão sexual que tem pela minha pessoa comentando EM CADA COMENTÁRIO MEU um “viadinho” “bichona” e coisas do tipo.

        Tá ficando bem ridículo e revelador você comentar “viadinho” em TODO comentário meu como se quisesse chamar minha atenção ou esconder um desejo reprimido que você tem por moleques, só te avisando.

  33. Todos possuem o direito a opinião própria e também de expressá-la. O Bolsonaro, como militar, possui a dele de quem apoia o regime militar e o Coronel Ustra. É direito dele expressar isso, assim como é direito de qualquer outro não apoiá-lo por isso. Mas… fica aqui uma pequena pergunta: ele ser a favor, quer dizer implementação? Vocês podem ser contra as opiniões dele, assim como eu sou em algumas, mas ser contra a política dele… que estranho. Isso me faz querer fazer uma outra pergunta, o que vocês imaginam que seria um governo com o Bolsonaro na presidência? Para ser tão contra, algum motivo deve existir. Só lembrando, não vale dizer militares no poder pois esses não voltam mais. Não tem como voltar, com ou sem Bolsonaro.

    Sobre o assunto mais tratado nos comentários, vi muito a repetição da palavra “falácia” durante as discussões como forma de resposta. “Torturados eram todos terroristas”, responde dizendo que é falácia., mas quando dizem “militares são todos torturadores”, de repente a generalização não é uma falácia, é um fato comprovado pela lógica da Comissão da Verdade. Façamos mais sentido por favor.

    Sobre o que penso da época, não vivi nela, logo não posso opinar muito. Creio sim que houve torturas, até mesmo de inocentes, prisões políticas, autoritarismo… afinal, as Forças Armadas são mais ou menos assim até hoje. Mas, na minha liberdade de opinião: Ordem que trás Progresso. Dito isso, nada comprova que o indivíduo “Coronel Ustra” foi a reencarnação do demônio como todos fazem parecer. Não serei advogado dele e tentarei defendê-lo. Desconheço da “verdade” então fico apenas nesse dizer.

    Dito essas coisas, prefiro não acreditar em nenhum dos lados. Só posso desconfiar da verdade, mas acabo tendendo a desconfiar mais da verdade que a Comissão da Verdade diz por levar em consideração muitas coisas que a maioria das pessoas afirmam ser… falácia. Me desculpem se não acrescentei nada de produtivo à conversa, só queria comentar mesmo.

    Gostaria de aproveitar a oportunidade para dar uma leve patada a movimentos como o MBL que se aproveitaram da família Bolsonaro enquanto era conveniente, mas após ganhar mais destaque com a publicidade que esses os deram, se viraram contra a família. Agradeço ao MBL pelos protestos que trouxeram o impeachment, mas para mim o movimento é hoje o que o PT foi no passado: um grupo de pessoas tentando alcançar o poder movendo as massas para ter um atalho mais rápido. Fica um aviso para os companheiros: MBL e nós temos um inimigo em comum, mas isso não faz do MBL um amigo.

    • O MBL é uma dissidência do Revoltados Online, este um grupo ideologicamente amorfo enquanto aquele com ideologia mais definida. Infelizmente, esse é o problema: enquanto vários grupos desconexos iam para as ruas contra a corrupção petista-peemedebista, o MBL se destacou por sua “corretude política” a ponto de ter sido adotado pelo PSDB e outros partidos políticos, deixando de ser apartidário para se tornar suprapartidário, e com direito a voz no antro esquerdista da Folha de São Paulo.

      Sinceramente, vejo o MBL hoje como uma “juventude tucana” e por conta de sua agenda esquerdista (liberal e libertariana) perderam a representatividade do povo majoritariamente conservador, não tendo sido à toa o enfraquecimento dos movimentos de rua quando eles na 2ª grande manifestação afastaram os “feios, sujos e malvados” intervencionistas e ficaram ao lado dos tucanos. Também não é à toa que o tucano cada vez menos enrustido do Reinaldo Azevedo (aquele que quer a condenação de Bolsonaro pelo STF e defendeu Romero Jucá como Ministro!) tenta reescrever a História colocando o MBL como guia do povo (nas manifestações de Macaé, nas quais participei, era a odiada turma do Olavo de Carvalho que as encabeçava…).

      • As narrativas olavetes são engraçadas.

        Para começar, tem o discursinho dizendo que “liberais e libertários são esquerdistas”, uma bobagem tão grande que até o Conde Loppeux só endossa pela metade.

        Mais:

        “não tendo sido à toa o enfraquecimento dos movimentos de rua quando eles na 2ª grande manifestação afastaram os “feios, sujos e malvados” intervencionistas e ficaram ao lado dos tucanos”

        Essa é a técnica de propaganda dizendo “vocês estão caindo, por que não ficaram do meu lado”. Puro herding effect. Mas é besteira.

        Aliás, as maiores manifestações da história do Brasil vieram este ano.

        Também não é à toa que o tucano cada vez menos enrustido do Reinaldo Azevedo (aquele que quer a condenação de Bolsonaro pelo STF e defendeu Romero Jucá como Ministro!) tenta reescrever a História colocando o MBL como guia do povo (nas manifestações de Macaé, nas quais participei, era a odiada turma do Olavo de Carvalho que as encabeçava…).

        O engraçado é que surge essa narrativa de “as manifestações foram encabeçadas pela turma do Olavo”.

        Ora, se foram encabeçadas pela turma do Olavo, então por que não pediram o que ele sugeria (‘fim da classe política’ e outras tolices)?

        Aha…

  34. Uma outra coisa que gostaria de comentar mas me esqueci na hora (lembrei-me só agora após o banho, pensar em política pelado é muito produtivo), é sobre a censura da mídia, que foi comentado aqui em alguns momentos.

    De um lado, um período onde a mídia era censurada para fazer as vontades do governo.
    Do outro lado, uma mídia livre, que se vende e passa informações falsas ou não inteiras.
    Entre um e outro, vocês conseguem mesmo escolher?

    Mesmo se levarmos o assunto para as “mídias independentes”, certamente temos essa liberdade hoje e nunca que teríamos-a durante o regime militar, mas mesmo elas são, muitas das vezes, tão ou mais tendenciosas quanto a querida conhecida imprensa atual. As vezes eu até penso que ficar desinformado trás mais saúde para o meu coração.

    A propósito, gostaria de ficar por dentro do duelo que supostamente acontecerá hoje à tarde entre Feliciano e Felipe Neto. Aquele momento que a diarreia debate com o vômito… será uma conversa épica, não posso perder.

    • De um lado, um período onde a mídia era censurada para fazer as vontades do governo.
      Do outro lado, uma mídia livre, que se vende e passa informações falsas ou não inteiras.
      Entre um e outro, vocês conseguem mesmo escolher?

      Claro. Escolho uma mídia livre e parcial, pois ao menos eu posso rejeitá-la.

      As vezes eu até penso que ficar desinformado trás mais saúde para o meu coração.

      Mas você pode ficar desinformado se quiser. Mas os outros devem ter o direito de se informarem, sem serem vítimas de censura.

  35. Seja como for, uma coisa é certa: se não fosse o Bolsonaro este blog nem existiria. Então, Luciano ateu, deixe de boiolagem e reze pelo mito.

    • HAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHA

      Faz jus ao apelido de Carla Perez, mas a dançarina do Tchan é um poço de esperteza perto desse cara. Um sujeito burro desses estar vivo é um desperdício. Toda a comida que alimentou essa porra desse ser até hoje devia ter ido pra outra boca. Que desperdício…

  36. “O ônus da prova, em relação a crimes, é da ACUSAÇÃO.”
    Perfeito.
    Então agora não se faça de sonso e PROVE que o Coronel Ustra torturou alguém.

      • Isso é PROVA?
        Tem milhares de confissões de COLEGAS dele que dizem o contrário.
        O que um COLEGA seu falar mal de você é verdade absoluta, só porque ele é seu “COLEGA”?

    • Essa porra desse coronel (com letra minúscula) Ustra deve estar dando muita risada direto do Inferno, onde está apodrecendo, da cara de vocês que ficam defendendo ele aqui. O sujeito matou, torturou, e vocês aí tudo histéricas defendendo esse babaca. A cadeira de vocês no Inferno tá reservada também, pois sei que vocês que apóiam o Bostanaro, se tivessem chance, fariam igual ou pior que o Ustra, INCLUSIVE COM INOCENTES, visto que Bolsonaro já declarou apoiar morte de pessoas inocentes.

    • Eu assisti um vídeo onde uma ex-guerrilheira falava que eles eram orientados dizer que tinham sidos torturados pelos militares, sinceramente eu tenho minhas dúvidas sobre essas torturas que muito se fala dos militares, até porque, em 1972 em plena intervenção militar, eu servia no quartel da Aeronáutica na ponta do Galeão e cadeia estava cheia de terrorista comunistas e eles ficavam muito a vontade lá dentro e muitas vezes jogando bola feita de papel.

  37. Um dos argumentos do Ayan é que o regime militar foi uma ditadura horrorosa porque perseguiu, prendeu e torturou INOCENTES.
    Mas eu quero crer que o próprio Ayan admite que não era objetivo de ninguém naquele período perseguir, prender e torturar INOCENTES (oficialmente não era política do estado perseguir nem torturar ninguém).
    Logo, se ocorreu isso, o que houve foram erros, abusos e injustiças.
    Mas se é assim, nada presta, nem a mais pura Democracia, porque em todas elas também acontecem erros, abusos e injustiças.
    A polícia às vezes prende gente inocente e comete erros e abusos no exercício da sua função: então a polícia tem que ser extinta, porque é uma ditadura horrorosa.
    Os Tribunais às vezes cometem erros judiciários e condenam inocentes: O Judiciário então tem que ser fechado, porque é uma ditadura horrorosa.
    Alguns professores perseguem alunos inteligentes e os reprovam por pura maldade: fechemos as escolas porque são ditaduras horrorosas.
    E por aí vai…

    • Falso, Carlos

      1 – O regime militar cometeu vários dos crimes morais de uma ditadura, ENTRE ELES a perseguição de opositores políticos
      2 – Todas as ditaduras (inclusive a de Maduro) dizem que os “presos políticos não são bem assim presos políticos” e se excessos ocorreram, “não era essa a intenção”
      3 – Ninguém aqui falou que a democracia é ruim por suas falhas (aliás, sua falácia é fingir que eu defini um dos aspectos da ditadura como se isso fosse causa suficiente)

      Patético, Carlos, patético..

      • “Patético, Carlos, patético”. O ayan adora dar uma de pombo enxadrista. Até não caga no tabuleiro, mas sai arrulhando vitória, autoconcedida sem mesmo combater o que o outro disse.
        E continua com a falácia do “um mentiu logo o outro também”, como se vê no item 2.
        E continua, ao falar do regime militar, usando os fatos tal e qual qualquer esquerdista o faria. Já “teve” o livro do Ustra e não quis ler. Deve ter lido todos os mentirosos da esquerda quando era esquerdista e continua com a impressão da época.

      • Tomás,

        Sem chilique, por favor. O argumento do Carlos dizia que minha crítica às ditaduras (incluindo a ditadura militar) SE BASEAVA no fato de existirem presos políticos. Em cima deste espantalho, ele tentou justificar a ditadura militar ao dizer que “presos políticos são desvios, ou até erros”, assim como acontece em qualquer profissão ou tarefa executada. Logo, a ditadura militar estaria, na argumentação dele, VALIDADA. Eu demonstrei que ele tratava de um espantalho, apontei a inconsistência e exprimi minha opinião de que tentar tais recursos contra um analista crítico de discurso é patético.

        De resto, é chilique teu.

        Abs,

        LH

      • “Sem chilique, por favor” “De resto, é chilique teu.”
        Pombo enxadrista.
        Chamar de patético e dizer que é chilique, isto sim!, que é dar chilique.
        E tua crítica às ditaduras se baseia sim, dentre outros, à existência de presos políticos.

      • Tomás,

        Você sabe que está mentindo. Minha crítica às ditaduras se baseia no fato de que eles executam UM CONJUNTO de medidas antidemocráticas. A existência de presos políticos é UMA destas medidas. Logo, reduzir minha crítica às ditaduras a isso é UM ESPANTALHO, goste você ou não de reconhecer.

        Didaticamente, é como se eu dissesse que “eu vou escolher um carro que tenha os acessórios X, Y, Z e W”, e você me retorne com “você acabou de dizer que basta o carro ter o acessório X para você escolhê-lo”. Qualquer um percebe o espantalho aí.

        Assim, afirmar “tua crítica às ditaduras se baseia sim, dentre outros, à existência de presos políticos” é claramente uma mentira, e eu já expliquei várias vezes o motivo.

        Afirmar isso é patético. Repetir, em estilo, petista, é chilique. E olhe que estou sendo bonzinho.

        Att.

        LH

      • Eu disse “tua crítica às ditaduras se baseia sim, DENTRE OUTROS, à existência de presos políticos” e tu dizes que minto pois tua “crítica às ditaduras se baseia no fato de que eles executam UM CONJUNTO de medidas antidemocráticas. A existência de presos políticos é UMA destas medidas.”
        Ou seja, estamos falando a mesma coisa.
        Vou parar pois já estamos em uma “conversa de loucos”.

      • Só um detalhe: se você concorda comigo, então não pode validar um argumento contra mim que diga “o Luciano disse que (x) se define como ditadura (y) apenas por ter presos políticos”. O argumento dele era ruim e você deixou claro que era.

  38. Em momento algum disse que Ustra era inocente, mas fui chamado de revisionista e “olavete”. Considerando que você se baseia na infame “Comissão Nacional da Verdade”, que não passou de um instrumento de propaganda política esquerdista bancado com dinheiro estatal e também de obtenção de mamatas, acho que não tenho muito mais o que fazer por aqui.

    Esse é o problema dos liberais: quando a batalha fica acirrada, logo se jogam na trincheira da esquerda e abrem fogo contra os “feios, sujos e malvados”. Pelo menos no caso Bolsonaro vs PT/STF, quase todos os liberais mais destacados demonstraram bom senso e criticaram a perseguição do STF (cada vez mais acho que não é coincidência que Eduardo Cunha virou réu por ser conservador, enquanto Renan, com ficha muito mais suja, até agora não foi incomodado), ainda que o sujeito fosse o boquirroto do Jair Bolsonaro – menos o Reinaldo Azevedo que tem que zelar pela sua higiene ideológica para não perder dinheiro e ser manter politicamente correto e aceitável para manter o trânsito pela mídia esquerdista.

      • O depoimento da reportagem do O Globo foi feito na infame CNV: http://oglobo.globo.com/brasil/ex-agente-do-doi-codi-diz-que-ustra-torturava-que-era-senhor-da-vida-da-morte-8350197

        Quanto ao personagem em questão, o próprio Ustra disse que ele não ficou lá por mais de 2 meses, sendo retirado do DOI-CODI por indisciplina. Quem fala a verdade nesse caso? Não sei.

        Tudo que vem da CNV tem que ser visto com sérias restrições, pois há casos absurdos de fraude por motivos escusos. Sou do Norte Fluminense e aqui vimos uma tentativa de fraude grotesca contra a verdade histórica ser perpetrada, com a história do delegado capixaba: http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2014/08/ex-delegado-conta-em-detalhes-como-os-corpos-eram-incinerados-em-usina.html

        Essa história já havia sido desmentida por investigação do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro, mas por motivos não-republicanos foi comprada pelo Ministério Público Federal. Além disso, a história é grotescamente inverossímil por vários motivos, a ponto de nem ser mais lembrada pela esquerda:

        * quem conhece uma usina de açúcar sabe que ela trabalha 24h por dia na época da moagem e precisa de vários funcionários, tornando inviável uma operação sigilosa;

        * as Polícias Civil e Militar, que frequentemente executavam criminosos (isso nunca interessou à sanha pseudo-humanitária dos esquerdistas), não utilizavam esse método, mas normalmente jogavam os cadáveres nas plantações de cana para se decomporem e carbonizarem na queimada feita antes da colheita, tanto que esse modus operandi ainda perdurou nos anos 1990;

        * desaparecer com um cadáver no Norte Fluminense ou no sul do ES é extremamente fácil, já que são regiões de baixa densidade demográfica, o que faz ser ainda mais ridícula a questão da incineração dos corpos.

        Por essas e por outras, por mais honesto que seja o depoente, torna-se suspeito indicar como referência os trabalhos de uma comissão enviesada como a tal CNV, já que o intento da mesma nunca foi a verdade histórica. Dada também a pressão político-midiática, uma pessoa honesta para se proteger poderia mentir por medo de represálias (bastaria lembrar do caso Francenildo), assim como os acusados mentiriam para se defender, dado que a lei da Anistia está sendo jogada no lixo assim como a imunidade parlamentar foi jogada fora para perseguirem Bolsonaro, imunidade esta que um dia antes protegeu Jandira Feghali que caluniou Aécio Neves no caso do helicóptero com drogas.

      • Só tem um problema: essa é apenas UMA das evidências de que torturas ocorreram. Mas há outras evidências, como já comentei.

        E a evidência ainda não foi nem sequer refutada. Está sendo apenas questionada por você.

        Mas e a evidência de que todos os presos políticos eram guerrilheiros?

  39. Fico impressionado em como o Luciano tem paciência com esses bolsominions que surgem até do bueiro quando é falado o nome do deputado preferido deles. Acho que ele deve por trás da tela dar muita risada e encarar como um experimento com ratos loucos de laboratório, só pode…

      • Em todos meus comentários nessa postagem você veio querendo chamar minha atenção.

        E como disse o cara abaixo, homofobia define você. Ainda bem que nunca um gay precisou nem precisará de alguém inútil como você. E nem um hetero, e menos ainda UMA MULHER – que mulher vai querer estar com um sujeito infeliz e imbecil desses? Se tiver uma tonta que aceitou ser sua esposa com medo de ficar encalhada, deve ser uma trouxa.

        Sua vida deve ser mesmo solitária pra ficar querendo a minha atenção. Espero que tenha aproveitado essa migalhinha, verme.

Deixe uma resposta