Noblat mostra como o PT bateu no fundo do poço moral

4
77

a6b15d93-74db-4b40-8574-1443ee1aef7a

Em um texto publicado no sábado, Ricardo Noblat mostra que em termos de corrupção o PT mostrou que havia um alçapão no fundo do poço moral:

A Lava-Jato parecia ter dado uma trégua ao PT. Até que… Até que ela detonou um novo escândalo de grandes proporções: o Partido dos Trabalhadores roubou trabalhadores.

Pois é disso que se trata. Para terem acesso a empréstimos consignados, os servidores federais pagaram uma taxa da qual foi descontada uma parte para encher as burras do PT.

Funcionou assim: a empresa Consist, contratada pelo Ministério do Planejamento, cobrava cerca de R$ 1,00 de cada servidor por mês como taxa de manutenção do empréstimo.

De cada real, apenas R$ 0,30 pagava de fato o trabalho realizado por ela. O resto (R$ 0,70) era propina para Paulo Bernardo que a dividia com seu partido, segundo procuradores da República.

Entre 2009 e 2015, a Consist arrecadou algo como R$ 100 milhões em propina. Paulo Bernardo é acusado de ter pessoalmente embolsado R$ 7 milhões.

O ex-ministro é casado com a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), ex-chefe da Casa Civil do primeiro governo de Dilma. Há indícios que o dinheiro embolsado por ele financiou campanhas da mulher.

Uma coisa é saquear a Petrobras – é tão grave, quanto, mas as pessoas sabem que políticos indicam executivos de empresas estatais para saqueá-las.

Outra bem diferente, de mais fácil entendimento, e capaz de provocar mais repulsa, é um partido político meter a mão no bolso de servidores públicos.

Que ele receba uma fatia mensal doada pelos militantes que empregou em cargos de confiança, é problema dos militantes, embora o dinheiro doado saia do Tesouro Nacional.

Mas roubar dinheiro de quem pena para ganhá-lo? Dinheiro necessário à sobrevivência de famílias?

É razoável imaginar que jamais um partido cometeu tal ousadia. Não se tem notícia de coisa parecida. Nada de mais chocante haverá de ser descoberto pela Lava-Jato, nada. De todo modo, não se deve subestimar o PT.

Com certeza, não se deve subestimar o PT.

A análise de Noblat é certeira. É como sempre falávamos: quando o petista dizia “mas e a corrupção do PMDB?” ou “e o Cunha?” apenas lançava mão de um cinismo apavorante. A corrupção do PT é de outro nível em todos os quesitos, incluindo volume, perversidade e organização.

Isso não é um partido. É uma organização criminosa, como sempre lembra o historiador Marco Villa.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

4 COMMENTS

    • No petrolão acho que não, pois não é área afim. Mas, será que não vai aparecer um escandalo do tipo “TANCÃO” ou um “AVIONZÓN” ou uma “EMBACAÇÃOZÃO”? Lembra que os americanos disseram TEXTUALMENTE em emails do wikileaks que o critério da compra de caças “foi uma escolha por CORRUPÇÃO”. E as armas fornecidas às Polícias estaduais que “falham e atiram sozinhas” ou “engasgam”? É o Exército que fiscaliza essas empresas e autoriza-supervisiona isso. Se fiscalizam dessa maneira o que se pode imaginar? Quantas armas das FFAA foram compradas no período LULA-DILMA que vão explodir o militar brasileiro ao invés do inimigo?

  1. PT é isso ai… o que me surpreende é a inocencia de alguns aposentados que seguem a narrativa ‘golpe’, ao mesmo tempo que foram roubados pelo governo que defendem….

    vai entender!

    ah entendo, sindrome de estocolmo.

    Att

Deixe uma resposta