Depressão atinge 10,2% dos brasileiros desempregados

1
43

Conforme lemos na Jovem Pan, o saldo negativo do governo do PT também inclui aumento da depressão do povo:

Um estudo que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta quinta-feira (30), indica que, em 2013, 10,2% dos brasileiros com 18 anos ou mais que estavam fora do mercado de trabalho (um em cada dez) sofriam de algum tipo de depressão de um total de 61,8 milhões de pessoas que não trabalhavam nem procuravam emprego, em um universo de 93 milhões de  empregados.

Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional de Saúde 2015 – 0Indicadores de Saúde e Mercado de Trabalho. O levantamento contabilizava, na época, a existência de cerca de 160 milhões de pessoas integrando a População em Idade Ativa (PIA) do país, em um universo de 200,6 milhões de pessoas, segundo o Censo 2010.

Quando se analisa os brasileiros em idade ativa desocupados (5,7 milhões fora do mercado de trabalho, mas procurando emprego) em 2013, o percentual cai para 7,5%. Já entre as pessoas fora do mercado de trabalho (que não trabalhavam, nem procuravam emprego, embora em idade ativa), o total passa a 7,6%, o equivalente a 11,2 milhões. O percentual menor de trabalhadores com depressão foi verificado entre a população ocupada: 6,2%.

O levantamento sobre a ocorrência de depressão entre a população em idade ativa abrange o contingente de pessoas com idade acima de 18 anos e indica ainda que 12,6% da população fora do mercado tomava algum tipo de remédio para dormir.

As análises foram feitas em convênio com o Ministério da Saúde. Em relação ao sexo, tanto no domínio da população de 18 anos ou mais quanto no do número ocupado desta mesma faixa etária, as mulheres apresentaram percentual de prevalências de diagnóstico de depressão mais elevado: 10,1%.

Analisando as pessoas ocupadas de 18 anos ou mais de idade por grupos etários, os dados mostram que o diagnóstico médico de depressão aumentava até o grupo de 40 a 59 anos, observando-se redução da prevalência a partir dessa faixa – entre as pessoas de 40 a 59 anos de idade, 8,2% relataram ter diagnóstico de depressão, enquanto para aquelas de 60 anos ou mais de idade a prevalência foi de 7,4%.

Para análise do contingente de pessoas fora do mercado de trabalho com depressão, o IBGE levou em consideração a população com mais de 18 anos de idade, que não exercia qualquer atividade: aposentados, estudantes, pessoas que desistiram temporariamente de procurar emprego em razão de dificuldades momentâneas do mercado ou, ainda, mulheres cujos maridos tinham rendimentos elevados e decidiram se dedicar aos filhos e ao lar.

Isso é porque muitos ainda não entenderam a gravidade dos crimes de responsabilidade de Dilma. Se olharem mais a fundo, ficarão mais revoltadas do que deprimidas.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Dois grandes programas responsável por esta desgraça toda neste país: O estatuto do menor e adolescente e o bolsa família, o primeiro é uma aberração, basta ler os noticiários, as crianças são as maiores vitimas de violência, principalmente violência domestica (esta foi a desculpa para a criação deste estatuto), totalmente ignorado passou-se a proibir que filhos ajuda-se os pais para a melhoria da renda familiar depois do horário escolar, deu no que deu, bolsa família vitalicia, alimenta e aumenta o eleitorado, programas vagabundos e criminosos criados no governo FHC (vagabundo) aperfeiçoado pelos craques ladrões no governo que se proliferaram com peste negra. Este instituto erra no inicio do seu diagnostico a depressão é o ultimo estágio, a seguir o suicídio. INSEGURANÇA, não conseguir alimentar e dar abrigo a família, stress, violência contra seus entes queridos, depressão e suicídio. Só à uma salvação, canalizar nossa raiva e revolta contra quem de fato a promove, ocupando as ruas 24 horas por dia, milhões já perderam, vamos reverter, o que não presta sai na marra.

Deixe uma resposta