Ao valorizar iniciativa privada, Temer se distancia de Dilma

4
50

temer-faz-positivo-na-posse

É decididamente um alívio ouvir a expressão “iniciativa privada” tratada de maneira respeitosa por um presidente. É claramente um avanço civilizacional em comparação ao socialismo doentio de Dilma, que busca afugentar investidores. Leia mais, do site do Palácio do Planalto:

Ao participar da inauguração da nova unidade fabril da Klabin, nesta terça-feira (28) em Ortigueiras (PR), o presidente em exercício Michel Temer ressaltou o papel fundamental que a iniciativa privada exerce para o crescimento do país. “Eu tenho dito com frequência que a iniciativa privada é quem ajuda o Estado a crescer. Um país forte é um país amparado pela atuação da iniciativa privada”, afirmou.

O empreendimento custou R$ 8,5 bilhões, representa o maior investimento privado da história no Paraná e está gerando 1.500 novos empregos diretos e indiretos. O empreendimento teve apoio do governo federal por meio de financiamento pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O presidente apontou que a geração de empregos é uma importante função social exercida pela iniciativa privada. “Quando eu verifico esse empreendimento, eu vejo obediência extraordinária ao texto da Constituição brasileira, porque eu vejo que aqui não se preocuparam apenas em erguer o empreendimento. Preocuparam-se em dar emprego e com o social”. E lembrou que o empreendimento gerará tributos, o que se traduzirá em desenvolvimento para a região.

E falando sobre um “movimento de pacificação nacional”, Temer disse que é necessário reunificar o pensamento nacional para que todos se empenhem, aconteceu com iniciativa privada e trabalhadores no caso da nova fábrica, para o crescimento do país. E concluiu: “O Brasil não é apenas um país do futuro. O Brasil é um país do presente, um país que cresce neste momento com este grande empreendimento e que outros seguramente nascerão”.

É preciso exigir que Temer mantenha firmeza neste discurso, para que suas ações sejam coerentes com suas palavras. Mas é finalmente o despertar de um pesadelo: do ódio aos investidores, dos tempos de Dilma, passamos pelo menos à valorização da iniciativa privada. Agora vamos exigir ações coerentes com o discurso.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Advertisements
Anúncios

4 COMMENTS

  1. Perfeito, Luciano! O Brasil só vai sair dessa lama econômica com o investimento da iniciativa privada. Sem investimento interno e externo, esquece! Cobrar posturas e ações pró-mercado de TODO o GOVERNO é o básico. A parte do discurso que me desagradou foi essa: “Eu tenho dito com frequência que a iniciativa privada é quem ajuda o Estado a crescer.” Ajudar o estado a crescer é o que o brasileiro menos precisa. Mas de resto, mostra que temos um presidente muito superior a ex-presidenta…

  2. mas o que essa merda SATANISTA quer, o poder, para foder com o povo (o verdadeiro) o que realmente trabalha e não a elite porca e os coxinhas filhas da puta que nada fazem e só pensam em si mesmos, sonegando impostos, pagando mal os trabalhadores,enfim escória, escória, escória, tenho vergonha de ser brasileiro, tinha que matar todos os politicos do brasil( eu disse todos) e começar do zero, cambada de filha da puta, ew voces ainda elogiam essa merda SATANISTA temer, vão se fuder filhas da puta,

  3. Esta conversa mole de incentivo a iniciativa privada, já encheu os pacovas até dos urubus. Somente uma legislação decente e justa em todas as frentes, sem a interferência do maldito governo, é possível afirmar com sinceridade, que algum governo realmente esteja sendo sincero em sua fala.

Deixe uma resposta