A farsa Karnal é revelada de vez em vídeo atacando o empreendedorismo

76
1132

leandro_karnal-600x315

De uma coisa jamais me envergonharei: de ter caído na lábia de Leandro Karnal. Desde o primeiro frame que chegou a mim a partir de suas emissões retóricas eu já havia percebido estar diante de um embusteiro. Mas Karnal não é um embusteiro qualquer. Ele é um propagandista que vive de fazer jogo de cena, e por isso chegou até a enganar algumas pessoas da direita.

Na última semana, em entrevista ao Roda Viva, ele atacou o projeto Escola sem Partido com uma narrativa tão tacanha quanto infantil. Como lembra o site Toma Mais Uma, Karnal chegou ao ponto de dizer que o projeto era uma “asneira sem tamanho”, para, no minuto seguinte, dizer que o ideal seria que um professor colocasse em debate um texto de Mill contra um texto de Marx. Ou seja, ele defendeu o que o projeto Escola sem Partido defende. Mesmo assim atacou o projeto em nome de um frame. Na verdade, Karnal joga com as palavras e usa táticas para enganar incautos.

Karnal poderia até alegar que tomou algum remédio tarja preta e estava fora de si no Roda Viva. Isso se ele quisesse no futuro recuperar algo de sua reputação (a qual passa a ser facilmente esmagável a partir do momento em que suas besteiras ecoaram em larga escala). Mas vai ficar difícil, pois, como também lembra o site Toma Mais Uma, o padrão alucinatório (em que ele entra em contradição automática) se repete. Isso não é maluquice, mas desonestidade. Leia:

Neste vídeo a contradição é ainda mais evidente quando ele tenta ridicularizar reuniões dos, digamos, “empreendedores”, afirmando que nelas sempre há um “sacerdote” que diz “bem-vindos a esta reunião e as pessoas sorriem, porque é importante ser feliz ou parecer ser feliz para fazer parte da equipe”. Pelamordedeus! O que Karnal está fazendo ali, no meio de babacas sorridentes senão a mesma coisa que ele critica?

É mais um enganador, um pulha como tantos outros que se aproveita do material farto que encontra entre tantos brasileiros carentes de uma educação decente.

Karnal é isso aí mesmo: resultado da falta de educação do brasileiro. Aceitar que um sujeito tão contraditório seja chamado de intelectual é um sinal de que nossa educação é um fracasso total. Para piorar, a narrativa anti-empreendedorismo é um produto do socialismo. Karnal sempre viveu negando seu socialismo extremado, mas agora isso não é mais possível.

Veja o vídeo:

Perto dos empreendedores brasileiros (que se sacrificam para entregar resultados e trazer empregos), quem é Leandro Karnal? No fundo, o sujeitinho não passa de um cupim, que optou pelo lado dos que destroem o valor das sociedades, em oposição àqueles que geram valor.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

76 COMMENTS

  1. Não vejo do jeito, que vcs pregam, é necessario vcs reverem o video com atenção, para fazer uma critica a qual ele esta certissimo e muito correto difundindo uma grande verdade a respeito dessa lavagem cerebral.

    • Marcelo,

      Como o Karnal usa táticas de sedução psicológica, muitos de seus adeptos tentam defendê-lo, mas não conseguem argumentar sequer para VALIDAR os embustes que adotaram, pois Karnal inseriu os memes em suas mentes por processos não racionais.

      Quanto mais assistimos o vídeo, mais encontramos embustes.

      Creio que Karnal deve ser analisado com mais cuidado, e desmascarado em ainda mais detalhes. O número de falácias do Karnal é estratosférico.

      Abs,

      LH

      • Olá Lucianohenrique e todos que postaram comentarios a favor ou contra o que o Karnal disse sobre empreendedorismo.

        Ao ler o anuncio da materia fiquei curioso, e vi que a pessoa que escreveu a materia está muito pau da vida com o Karnal. E assim fui lendo os posts, a favor e contra ele.

        Já vi varias entrevistas dele e sim de fato ele mostra ser de esquerda, mas referente a esse caso da teologia do empreendedorismo, não vi em momento algum ele dizer que ser empreendedor é coisa do satanas, ou coisa de gente preguiçosa, ou que é coisa de capitalista vagabundo que quer explorar o pobre trabalhador brasileiro.

        Sou formado em Administração, tenho mestrado em economia solidária, e doutorado em economia espacial (eco economia) ou economia reversa ou logistica reversa.

        De fato os livros que ele citou (Chiavenatto, Dolabella, e outros) mostram sim a questão que ser empreendedor já suplantou a noção basica de ser um mero dono de buteco, ou um simples dono de empresa, para passar ao proximo degrau da qualidade do serviço ou produto.

        A meritocracia sim está mais forte do que nunca na iniciativa privada e está começando a ganhar espaço no serviço público, mesmo que ainda esteja sob a influencia negativa de partidos e seus caciques, coisa que só o tempo e a mudança de comportamento vão mudar.

        Sou professor de empreendedorismo e vejo o quanto que ser empreendedor não é somente abrir uma empresa, uma loja, ou colocar um carrinho de vender pastel e caldo de cana. veja o caso do empresaio chinês que bancou toda a viajem de seus funcionarios.

        E ao ser entrevistado do porque desse comportamento ele diz:

        – Eu tenho conhecimento e força, mas sozinho não chegaria onde cheguei.

        Ou seja o espirito do empreendedorismo se chama cooperativismo, algo que precisa ser trabalhado na sociedade brasileira.

    • No video do escola sem partido, achei gozado que a primeira metade do vídeo é gasta demonizando a direita, e na segunda metade ele diz que não devemos realizar demonização na politica….

  2. Quanta desinformação num único post. Vocês não sabem interpretar o discurso e atacam sem argumento algum. O Karnal destacou características existentes no empreendedorismo, criticas construtivas. Nunca disse que o empreendedorismo não deveria existir, mas deve ser pensado sim. Quem nunca critica suas próprias atitudes e o meio em que vive não raciocina.

    • Renata,

      De novo a técnica usada para proteger líderes de seita (“você não entendeu a complexidade do que ele quis dizer”). Mas com vagueza, isso não significa nada. Estude sobre RETRIBUIÇÃO, que é a REFUTAÇÃO a uma REFUTAÇÃO. O desabafo não serve como uma retribuição…

      Abs,

      LH

  3. Banca o isentão mas se apertar ele se entrega. É esquerdista até a alma. Todas suas críticas a sociedade recebem uma linda roupagem e quando ele ilustra seus argumentos, o alvo é sempre o mesmo: homem branco capitalista cristão. Claro que para bancar o intelectual ele não é direto na suas rotulagens. Tudo é mais suave mas não menos perigoso.

  4. O que ele quis dizer com tudo isto???? Com certeza um consumidor voraz de todas as maravilhas de consumo do mundo capitalista falando mal do empreendedor??? Farsa total, idiota usando termos complicados para dar ares intelectuais a conceitos babacas.

  5. Este Senhor, com uma oratória anos luz melhor que a minha. Contudo o conteúdo é impregnado de sofismas até porque ele mistura assuntos que tem resultados que encaminham para a tese que ele defende. Assim empreendedorismo é resultado dos macro movimentos sociais da redução do emprego formal nos moldes desde a revolução industrial até os anos 70. Domenico Di Masi em seu livro O Ócio Criativo, nos alerta às mudanças das relações de trabalho afetando nossa subsistência doravante. Darei somente um exemplo: o serviço de TAXI no mundo inteiro igual desde os tempos das carruagens, com a plataforma UBER pode ser exercido e ou utilizado por qualquer um, simples assim. Mas o Professor Karnal, com seu viés socialista tem a visão congelada nos modelos dos tempos áureos do bolchevismo em que todos devem trabalhar para o Estado e o partidão governar com seus pseudo-intelectuais, etc.

  6. Atacou a pessoa e não o argumento, e o mesmo argumento do Paulo Freire em pedagogia do excluído, ou seja, teve anos para levar a sistemática que levou a essa conclusão. Sendo breve ele teve sobre uma perspectiva individual e não sistemática.
    Individual porque ele descreveu uma narrativa e foi otimista ao dizer que o jovem pode ter suas próprias convicções. Não atacaram, no texto acima a falta e/ou ausência proposital de conhecimento sobre o fato da orientação magisterial esquerdista. Tal forma de ataque é histérico e feito por Olavo de Carvalho. Ainda ele propôs um mundo ideal com dois autores contemporâneos para uma discussão em sala. O que ele criticou foi a impossibilidade de haver uma escola sem partido, e gostaria de uma escola com todos os partidos e desafio citar no seu texto onde e isso é um argumento de embuste e/ou um enfrentamento entre direita e esquerda com claro orientação esquerda ou com clara injustiça a direita.

    • Marcio,

      O ataque aos embustes do Leandro Karnal não foram refutados. OS karnaletes usam uma técnica de dizer que “você não entendeu nada” (rotina para proteger líderes de seita), mas não conseguem ser específicos.

      Sugestão: sejam menos repetitivos.

      Abs,

      LH

  7. Nao me incomodou tanto o que ele disse mas sim tudo que ele deixou de dizer.
    As práticas empreendedoras não são isentas de críticas. Quem assim as imagina é tão ou mais radical que o suposto radicalismo de Karnal.
    Entretanto, entendo como critica isenta aquela que aponta as falhas mas aplaude as virtudes.
    Não percebi nenhuma tentativa de Karnak em debater sobre as virtudes do empreendedorismo.
    Essa omissão, para mim, representa verdadeiramente sua postura esquerdopata.

  8. Bem, Leandro não é perfeito como os deuses comentaristas acima querem que ele seja. Tem meu respeito e admiração pelo seu trabalho digno e realista. Claro que ele está incomodando muita gente nesse país em que a maioria do governo e do povo é cruel, miserável e corrupta. Acompanho todas suas palestras e discordo de algumas colocações dele. Ele fez uma apresentacao para os professores, em Vitória da Conquista Bahia, excelente realidade para esses profissionais e com certeza, muitos deles saíram daquela palestra com mais planos e entusiasmo com respeito à educação.
    Ele é feliz com o que faz!

    • Putz….

      Dois argumentos horríveis para justificar um embuste…

      “as vítimas do ardil saíram da palestra com uma sensação positiva”
      “o embusteiro é feliz com o que faz”

      bem… Isso vale para qualquer fraudador que tenha passado a perna em suas vítimas.

      Abs,

      LH

      • LH, você só consegue falar mal do cara e não consegue meia dúzia de linhas pra contrapor as idéias e os argumentos do autor. Para de ser um Olavo de Carvalho piorado e atenha-se ao conteúdo. Não importa tanto quem seja o autor e se ele é de esquerda ou de direita, contraponha-o com suas próprias idéias e seus argumentos. Seja original e autêntico pô!!!

      • Isso vale para você também luciano henrique, e todas essas suas respostas vazias, repetitivas, que em nada desqualificam o discurso dele. Só vejo limitação por aqui, a começar pela própria autoreflexão.
        Sds.

  9. A retórica boçal do Karnal consiste em distrair os incautos com a palhaçada dele, enquanto ele a envenena com a sua malevolência escondida nos erros crassos cometidos por ele de propósito.
    .
    Observe que ele critica a meritocracia já no início, mas sem usar a palavra mérito porque aquela turma boçal teme essa palavra.
    .
    Ele critica o princípio:
    1) o sucesso é minha responsabilidade.
    2) o fracasso é minha culpa.
    .
    Claro!
    .
    Isto mesmo. Isto é o bom. Isto é o bem. Isto é a justiça, a equidade. Daí os esquerdistas temerem tanto o mérito, porque os esquerdistas adoram o mal e odeiam o bem, porque eles são malevolentes.
    .
    A fraude boçal do Karnal é perigosa para nós, quero dizer, os bons.
    .
    Porque enquanto eles vai expelindo toda aquela boçalidade fétida, os malevolentes todos escondidos cada qual dentro do seu armário vão identificando uma onda de ressonância da podridão oculta dentro das trevas iníquas do coração podre do Karnal com a idêntica podridão de todos os malevolentes ali presentes.
    .
    Então, enquanto os prudentes o criticam, ele ganha votos, forma uma meta organismo e depois se nutrirá dos Impostos. Daí a sua periculosidade. Ele unifica aquela massa podre toda de gente malevolente ali e escondida de medo dos prudentes, e então ela se torna como se fosse um monte grande como um dinossauro todo fedido de um cocô espalhado no meio do povo pelo capeta, e que o Karnal vai unificando por sua cantiga desafinada de um gaiteiro encantador de ratos.
    .
    Depois que toda a massa podre for unificada, ela forma um espírito de corpo, e funciona como um meta-organismo obediente aos comandos do Karnal, que terá o seu corpo de besta fera, e tentar o seu sonho medonho de se tornar o que está narrado no livro do Apocalipse, capítulo 13.
    .
    11 Vi, então, outra Fera subir da terra. Tinha dois chifres como um cordeiro, mas falava como um dragão.[Apoc.13,11]
    .
    O Apocalipse é um livro que descreve os ciclos da formação dos povos, sua ascensão e queda, conforme o resumido do Eclesiastes e que diz: o que é já foi, o que será também já foi.
    .
    Assim, as mesmas fraudes praticas hoje pelo Karnal sempre foram praticadas na história da humanidade e o livro do Apocalipse dá uma descrição matemática completa numa estrutura poética fractal finita, onde ele revela que há um ciclo global único, onde haverá a escatologia final da humanidade, onde a vida vencerá plenamente a morte e os malevolentes.
    .
    Eu amo a Religião, e sei porque os malevolentes a odeiam.
    .
    Só para terminar, vai aí um petisco para quem ama a verdade e sabe do poder destruidor que ela tem contra o mal.
    .
    Antes da Igreja criar as universidades há mil anos atrás, os monges copistas fizeram uma acumulação concentrada de todos os conhecimentos compiláveis e foi este o Pulso temporal que deu início ao big-bang desta ciência tecnológica, porque as universidades criaram a ciência e a tecnologia de hoje.
    .
    A Religião criou a ciência, porque foi a Igreja que criou as universidades há mil anos.
    .
    Hoje as universidades estão podres, mortas, em estado de putrefação exalando o odor fétido dos mortos zumbizados como o bobão do Karnal.
    .
    Eu amo a Religião.

    • “Porque enquanto eles vai expelindo toda aquela boçalidade fétida, os malevolentes todos escondidos cada qual dentro do seu armário vão identificando uma onda de ressonância da podridão oculta dentro das trevas iníquas do coração podre do Karnal com a idêntica podridão de todos os malevolentes ali presentes.”

      Parei aqui… quase vomitei. Se mate, cara!

  10. O Karnal odeia o mérito, porque todo sistema parasita deve ser nutrido por Impostos.

    Todo sistema malévolo é parasita.

    O Socialismo é parasita.

    .

    Por isso, o boçal Karnal odeia o mérito, porque as ações iníquas dele merecem castigo.

    Porém, os Impostos cortam o laço de retroalimentação do mérito fazendo os castigos merecidos pela turma dele cair em cima do povo benevolente e proficiente.

    .

    Assim, os Impostos fazem com que a turma unida dos malevolentes jamais seja vencida pelos benevolentes, porque tais malevolentes irão dar prejuízo aos bons e ainda mandar a conta do prejuízo para tais vítimas (os bons pagarem). Os malevolentes irão perpetrar todo tipo de ultraje e violação contra os bons, e ainda irão pôr na cadeia as suas vítimas, se elas reclamarem.

    .

    Assim, caso algum assaltante entrar em tua casa e tu o machucares, tu será condenado e preso.

    .

    Os Impostos cortam o laço de retroalimentação do mérito, que destruíra os membros do Estado causadores de prejuízo, e garante a perpetuação indefinida da existência do mal.

    .

    Se os Impostos fossem extintos, a maioria dos males se autodestruiria por si só espontaneamente pela lei do mérito, e nunca os malevolentes conseguiriam perpetrar os seus pecados em larga escala. Eles continuariam a serem maus, mas não conseguiriam agigantar-se.

  11. Toda essa retórica destruidora só é criada porque há um descontamento. O problema é que vivemos em uma sociedade onde as pessoas são muito diferentes, mas onde temos a impressão que somos todos uma coisa só, e portanto devemos fazer todos as mesmas coisas, fazer todos parte do mesmo sistema econômico. Além do mais, é difícil não fazer parte se fora da sua casa reina tal sistema econômico. Os gostos são diferentes, nem todos querem ser empreendedores, alguns prefeririam ter um Estado, um rei, ou um messias para dizer o que eles tem que fazer. Alguns só querem servir a uma religião ou uma filosofia e desprender-se das coisas materiais. Outros querem criar empregos e melhorar o padrão de vida das pessoas e o seu próprio padrão de vida. Enquanto há essas divergências, há sempre um tentando destruir o que pensa diferente quer. Leando Karnal disse que já passou por momentos difíceis na sua vida; disse que não conseguia nem pagar a conta de luz, enquanto via um amigo desfrutar de sua riqueza. O próprio definiu isso como inveja. Mas mais do que isso, é possível que em um momento como esse, Leandro Karnal ganhou uma certa raiva sobre a forma que funciona o mercado, lá no fundo desejou uma vingança, e isso pôs-se na pratica quando ele trouxe a tona em sua critica chamada “teologia da prosperidade”. Isso não são simplesmente “verdades”, isso são formas sofisticadas, porém meio tolas, de dizer “eu não gosto disso, eu não quero isso pra mim, eu não me dou bem nesse sistema”. Meros gostos que podiam ser apresentados de forma tão simples e possivelmente resolvidos de forma mais simples, mas que são ditos atravez de uma retórica que tenta destruir aqueles que ousaram pensar diferente, em ideias que tentam se apresentar como “a verdade absoluta”. Pra mim o interessante disso tudo é que sabemos o quanto Leandro Karnal enriqueceu após ganhar fama por sua lábia a qual ele coloca tanta autoridade, e então decide participar de programas variados onde ele faz seu auto-marketing e ganha seu cachê. No fim Leandro Karnal acabou se tornando uma espécie de empreendedor. Encarou tão fortemente o “abismo”, que o abismo o encarou de volta ?

  12. Sério, eu não acredito que tem que explicar tintim por tintim da palestra dele! Ele não fala mal de quem quer empreender! A crítica dele está no sistema fabricado e montado sob o rótulo de empreendedorismo, e faz um paralelo com o discurso da “teologia da prosperidade”, com seus pastores, dizimistas, céu e inferno prometidos, tudo igual a uma teologia.
    Somente isso! Parem de ver pêlo em ovo!

    • É engraçado como os karnaletes defendem as falácias de seu mestre sempre no mesmo estilo, tentando encontrar algum significado oculto para exonerar aquele que os escravizou psicologicamente (através de táticas de sedução). Enfim, não existe isso que o Karnal falou, e, assim como nas narrativas que ele empreendeu para dizer que “tudo que aconteceu de corrupção no governo petista nasceu em quem anda pelo acostamento” ou “escola sem partido é bobagem sem tamanho”, não há como defender o indefensável. Karnal é embusteiro, mentiroso e não tem nada a dizer intelectualmente sobre praticamente nada.

      • Luciano, não sou “karnalete” e nem tenho mestres. Sou tão somente intelectualmente honesto. A palestra toda se pauta em “pecados antigos e novos” e é de cerca de 50 minutos. E com 9 minutos de um trechinho dessa palestra que é sobre um tema muito mais abrangente e complexo do que tenta demonstrar esse blog, os comentadores daqui só conseguem expressar suas ranhetices tacanhas contra alguém que fala o que lhes desagrada!
        Ou isso é pura falta de capacidade de compreensão ou é excesso de má índole mesmo!

      • E a honestidade intelectual o obrigaria a reconhecer que o termo “teologia” foi aplicado desonestamente por Leandro Karnal que, aliás, não consegue emitir um discurso honesto sequer. Já foram três bizarrices intelectuais refutadas por ele neste blog. Se quiser, procuramos mais.

      • Já tentou dizer isso a ele pessoalmente? adoraria vê-lo em debate com o Karnal… dizer o que pensa em blogs é uma coisa, ainda mais de maneira tão agressiva… mas pessoalmente? por que não entra em contato com ele, a equipe dele, e tenta desmenti-lo? um vídeo em youtube? que maravilha seria, hein? faça isso, já que tem tanta firmeza em seus argumentos, exponha-os em um debate, seria uma ótima oportunidade para convencer os “esquerdopatas” de suas virtudes neoliberais.

        Sujeitos como vocês, que se valem de uma retórica explosiva e agressiva para atingir pessoas como o Karnal, não duram 5 minutos em um debate racional. Tipos como Constantino, Kim Kataguiri, Olavo de Carvalho, Reynaldo Azevedo, Marco Antonio Villa,Diogo Mainardi, só tem bocão. Ver o Constantino gaguejando na frente do Ciro Gomes, não tem preço.

      • O Constantino hoje dificilmente cairia nos embustes do Ciro Gomes. Bem, eu espero que não caia, pois a extrema-esquerda é só isso: a prática de uma série de embustes.

        No meu caso, seria impossível que você ou o Leandro Karnal aplicassem seus embustes impunemente. Cada embuste não duraria CINCO SEGUNDOS.

        Coloquem-se em seus respectivos lugares. Este é um blog de ceticismo político. Aqui suas fraudes NÃO PASSARÃO. NÃO PASSARÃO RS.

        Abs,

        LH

  13. Ele derrapa feio na crítica que faz ao empreendedorismo. Esse tipo de crítica rasa é o que mais temos nos dias de hoje, de tanta espetacularização, em que qualquer um que se destaque em alguma coisa, é logo requisitado a dar pitacos sobre tudo, principamente sobre aquilo desconhece. Leandro Karnal, ávido de notoriedade, enveredou por esse caminho de sucesso fácil. O verniz da linguagem, o apelo às citações e os arrroubos retóricos não conseguem disfarçar a empulhação. Foi assim quando se referiu, pejorativamente, à Escola Sem Partido. E é assim agora, quando se reporta, com desdém, ao empreendedorismo.

    Ele deveria, a meu ver, circunscrever-se ao campo da auto-ajuda, onde, aliás, já vem nadando de braçadas. Registre-se, como curiosidade, o tom messiânico e absolutista que ele imprime à sua fala, como se fosse o sacerdote de uma nova seita lançando anátemas sobre alguma seita rival. Faltou apenas o hábito para que logo nos víssemos diante do monge. A seita a quem ele serve é o socialismo, sem dúvida; mas o empreendedorismo, escoimado de excessos e apropriações indébitas, tipo “teologia da prosperidade”, não é, por certo, uma seita.

    Na verdade, o empreendedorismo é um caminho de realização pessoal e promoção do progresso de todos, nas sociedades de livre mercado. Quanto ao Deus em cujo altar o Karnal oficia, era, em vida, um sujeito egoísta, irascível e furunculoso – alguém que não tinha nenhum espírito empreendedor, jMuito pelo contrário: era um típico burguês do capital alheio, já que, além de malbaratar os recursos da própria família, viveu sempre às expensas de amigos. Marx explica.

  14. O Escola sem partido era originalmente ( existe desde o Orkut, tinham até comunidade ) um ideia boa, de tentar combater o marxismo nas escolas. Mas foi tomado pelos fundamentalistas cristãos. Daqui a pouco vão propor o ensino do criacionismo.

  15. Nesse programa ficou claro que ele utiliza os mesmos meios que tanto critica, mas não consegui ouvir nenhuma mentira, pois trabalhei com educação executiva e tudo o que ele disse realmente acontece, alguns conceitos são válidos para melhorar o desempenho da empresa, mas muitos acabam com o bom relacionamento entre os funcionários… Karnal somente critica e não diz os prós do empreendedorismo, ao mesmo tempo age como se fosse o religioso de uma seita, ou palestrante de negócios contando histórias da carochinha para ludibriar os ingênuos, no mínimo contraditório. Não havia me atentado a esse comportamento dele até agora, mas vou continuar acompanhando para não me surpreender, muito bom seu site, parabéns pela análise.

  16. Idiota. Que diferença faz ouvir a sua palestra e se tornar uma pessoa profissionalmente disfuncional; de uma palestra que capacita uma pessoa para alcançar um objetivo factível e esta pessoa, com chances de empreender, decide não tentar?
    Ambas são perdedoras.
    Só quem acredita no seu empreendedorismo pode vencer!

  17. Li o texto antes de ouvir Karnal. Não vai aqui nenhuma defesa ou ataque a essa ou àquela corrente. Li alguns comentários e parece que a grande maioria faz exatamente o que ele combate, que é a mesmice comportamental. Depois, fui ao vídeo. Para mim, nada do que foi dito poderá ser interpretado como negativo. Ele analisou o mundo moderno e seus novos hábitos. Se não fosse ateu, poderia ter usado uma recomendação de Cristo:- Buscai primeiramente o reino de Deus e as demais coisas vos seriam acrescentadas. Estamos, sim, a mercê de forças destruidoras que insistem em alterar valores. Claro que serei criticado, caso algum incauto leia o que escrevi.

  18. A repetição da palavra “teologia” nessa baboseira toda deve ter algum motivo. Porque não faz o menor sentido. Por exemplo: “teologia material” ou “teologia do empreendedorismo”. Que porra seria isso?
    E eu que achava que enrolão e malandrão era o Max Geringher! Kkkkkk

  19. O importante é que cada um tenha o seu ponto de vista e esse seja respeitado, que bom que existe Karnal ele é no meu ponto de vista um profissional excelente e como você e eu , deve ter seu direito de falar o que pensa respeitado e não confundido com o que verdadeiramente ele é. Cada escolhe o que quer ver e ouvir e com isso tirar suas próprias conclusões sem ser grosseiro ou tomado por despeito, apenas sejamos honestos e claros.

  20. Se ele é de esquerda ou de direita pouco importa, vocês são um monte de hipócritas que ficam ávidos esperando as publicações dele, ficam esperando a palestras dele, esperando o que é publicado em jornais e revistas para lerem e aprenderem alguma coisa. Sabe o nome de vocês INVEJA!!!! Ninguém ataca quem não faz sucesso, quem não está em evidência. Você pra mim é um ilustre desconhecido e se dá ao trabalho de ficar criticando o trabalho de um professor nacionalmente reconhecido é sinal que você não tem o que fazer. Se eu fosse o Karnal lhe meteria um processo com uma indenização altíssima, mas como ele é um cidadão honesto e trabalhador vai dizer deixa pra lá, ele tem direito de pensar diferente de mim. Vai se catar seu idiotam imbecil.

    • Itamar,

      Não faz sentido ter “inveja” de Leandro Karnal. Seria melhor ter inveja do Neymar, do Cristiano Ronaldo ou de outra pessoa de maior sucesso e renda. Então o que você falou é besteira.

      Mas dê uma dica do Karnal para ele me processar por REFUTÁ-LO. Vai ser engraçadíssimo ver um intelectual metendo processinho por que seus argumentos foram esmagados hehehehe.

      Essa seita karnalete é ridícula.

      Me processe.

      Abs,

      LH

  21. Amei todos os comentários porque elucidaram bastante o conteúdo do pensamento dúbio do palestrante -professor , Agora consegui entender a minha primeira impressão sobre o personagem em discussão. Sim, um homem culto, letrado, verborrágico, intencional na transmissão do seu conhecimento e, objetivamente focado em confundir as vantagens e deméritos de ambas as correntes, w X Empreendorismo. Fico com este último.

  22. todos somos livres para nos expressar, portanto, parem de ler o Leandro Karnal, expressem-se e torçam para alguém os ler (a esposa quem sabe)….Deixem que o resto dos brasileiros se deleitem com o Karnal….ele é a única esperança de justiça e amor nessa terra de EGOS.

  23. Cara, não esperava rir com o texto. Mas ao final o complemento me fez rir. Depois de dedicar todo o texto para atacar Leandro Karnal, logo abaixo lê-se o seguinte:

    Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

    Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

    O livro “Liberdade ou Morte” foi escrito por Karnal. Isso é que é amar o “inimigo” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  24. Essa cria careca da Unicamp Marx Universidade nunca me enganou. Esquermerda até a alma. Verborrágico, intelectualóide esquerdista típico, com o diferencial de não ser um barraqueiro vulgar, o que é pior ainda, e mais perigoso.

    Karnal, esse seu discursinho centro-esquerdista só existe para encobrir a verdade de que você é um cupim parasita estatólatra ordinário, e tenho em mim de que todo canalha esquerdista é um projetinho inacabado de ditador e assim vai viver condenado a ficar amaldiçoando e envenenando a humanidade. É triste o poder que não pode, seja letrado ou não.

  25. Conheci Karnal, há algum tempo, no Café Filosófico. Depois o vi conquistar o Brasil; tornando-se muito famoso. No facebook acompanho a página oficial dele e de fãs. Contudo nesta última semana de setembro eu tive uma certa surpresa. Ao postar em sua página oficial, Karnal comentou ter conversado, também, com Luciano Hulk. Deu a entender que ele seria convidado a participar do Caldeirão. Choveram críticas e uma foi minha: “Prof. de Café filosófico para Caldeirão do Hulk é um declínio vertiginoso, não? ”. Duas pessoas responderam à minha postagem e eu respondi devolta. Contudo ao tentar enviar a última resposta fui informado que o Post havia sido deletado e não demorou para eu perceber que fui “banido” da página, doravante sendo impossibilitado de tecer comentários na página oficial de carnal. Bem… a minha surpresa foi ver uma pessoa quem tem aversão ferrenha à Ditadura ter uma “atitude de Censura”. Se não me engano de muitos foi o meu primeiro comentário criticando; os anteriores eram só elogio. Pergunto-me: Então para o “sábio” Karnal, só serve elogios, bajulações, enaltecimento, +afins?

  26. Vi alguns vídeos e li Karnal com curiosidade, a sua retórica e espantosa , já tive oportunidade de presenciar alguns tipos assim, por isso tem que analisar o discurso .
    Agora tem alguns leitores do blog como esse Luciano Henrique que criticam incorrendo num discurso falacioso e preconceituoso copiado do que chamam de esquerda.

  27. Puxa vida, nunca vi tanto intelectual junto, com alguns bossais como eu, palpitando contra a corrente. O cara que escreveu o texto não tem o mínimo discernimento, não tem a mínima noção, para dizer o mínimo. Outra coisa mais deprimente é que quem ataca, faz um desfecho no mínimo risível, o Karnal é uma besta, mas compre meu livro, que talvez seja o seu novo guru. A pior desgraça humana é a inveja, dada pela incompetência de não saber decifrar o código básico da língua mãe e dizer besteiras sobre o que outro fala sem saber o significado. Filosofia é coisa pra poucos. Gde abç meu caro.

  28. Tem gente que está com “dor de cotovelo”, porque não tem educação nem pra ser sofista…Potássio!!! Potássio!!!! kkk Tudo bem que ele se contraponha as ideias e entre em contradição, pois não é estudioso de apenas um autor, há um acervo de obras e autores que remontam sua bagagem intelectual, e seu sofismas. Quem aqui é arrogante o suficiente para intitular-se que é feito até o fim? Tradução de perfeito em Latim. Para atacar de forma leviana o trabalho, a tese e as ideias de Leandro Karnal?

Deixe uma resposta