Movimentos democráticos precisam reagir ao patrulhamento fascista da extrema-esquerda

5
157
SP - PROTESTO/DILMA/SP - GERAL - Manifestantes soltam balões nas cores verde e amarelo durante ato contra o governo federal e a favor do impeachment da Presidente Dilma Rousseff na Avenida Paulista, em São Paulo, neste domingo (12). O protesto ocorre simultaneamente em outras cidades no País. 12/04/2015 - Foto: RAFAEL ARBEX/ESTADÃO CONTEÚDO

Em um texto embusteiro até o limite do possível, o blog petista Viomundo lançou uma série de frames para atacar a participação de membros dos movimentos democráticos junto a partidos políticos. Alguns trechos da narrativa desonesta:

“[depois do] discurso do apartidarismo, o MBL pretende lançar dezenas de candidatos a vereador e a prefeito nas eleições de outubro próximo.”

“Matéria da Folha de 19 de julho informa que o fundador do movimento, Rubinho Nunes, disputará a prefeitura de Vinhedo, no interior de São Paulo.”

“Na prática, o projeto dos jovens “apartidários” já era eleitoreiro, mas eles esconderam a ambição…”

“Apenas se travestiram de paladinos da ética […] tanto que Rubinho Nunes será candidato pelo PMDB de Michel Temer, Eduardo Cunha e de outros falsos moralistas.”

“Outro líder do MBL, Fernando Holiday, será candidato a vereador na capital paulista pelo DEM. Haja ética!”

Ora, o que o site petista está dizendo? Não dá para dourar a pílula: estão determinando que participar na política é algo “proibido” para pessoas que não forem de extrema-esquerda. Isso só tem um nome: fascismo. Nada é mais fascista do que proibir a participação política de divergentes.

Em tempo: o PMDB foi aliado do PT por 13 anos. Sem essa aliança, o partido totalitário não teria chegado ao poder. Então qual o motivo para o blog petista querer proibir adversários de concorrerem pelo PMDB? E quanto ao DEM? É o partido do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que recebeu apoio de vários setores do PT para derrotar o candidato Rogério Rosso. Aliás, no primeiro turno o PT apoiou a candidatura de Marcelo Castro (e perdeu). Castro era… do PMDB. Haja cinismo!

Rubinho Nunes e Fernando Holiday fazem bem em disputar cargos políticos por partidos que não sejam totalitários. Aliás, é preciso aumentar a participação.

Todo aquele que rejeita o direito de participação política é um fascista. O Viomundo é que deveria pedir desculpas (de joelhos) ao povo por ter tentado patrulhar pessoas que se candidataram. O que o Viomundo queria? Que ninguém se candidatasse? Que fossem pedir a ajuda do Exército? É aí que vemos que a extrema-esquerda e a extrema-direita se equiparam.

A extrema-esquerda quer atuar politicamente, mas proibir os adversários de participarem da política. A extrema-direita às vezes reclama por que pessoas pragmáticas de de seu espectro político participam das eleições. Querem que desistam de entrar para a política. Pedir desistência da política nunca é algo revestido de boas intenções.

Todos os movimentos democráticos (e não apenas o MBL) deveriam incentivar a participação em partidos políticos. Há várias opções. Elencarei algumas: DEM, PMDB, PP, PSDB, PSL, NOVO, PSC e PSD, dentre outros. Ao mesmo tempo, os movimentos democráticos deveriam expulsar aqueles que quiserem se candidatar por inimigos da democracia como PT, PCdoB, PSOL e Rede. Até porque não faz sentido em se aliar com pessoas que pensam dia e noite em nos transformar em uma ditadura para encerrar, de vez, a possibilidade de vivermos em uma sociedade democrática e civilizada.

Quanto à escória bolivariana, um recado: “Não gostaram que os adeptos da democracia começaram a participar da política para evitar que vocês nos transformem em uma Venezuela? Aceitem que dói menos. Vai descer. E vai descer rasgando. Chorem de ódio, monstros”.

Recomendação: a cada vez que um bolivariano vier com joguinhos – como “aha, está participando da política, não é?” ou “ei, não participe do PMDB ou do DEM” – faça o seu adversário urinar de tanto esculacho moral. Não é admissível que, em pleno século 21, estejamos vendo pessoas terem a cara de pau de exigir que os adversários não participem da política.

Pedir o que o Viomundo está pedindo é nojento, repugnante, imundo, anticivilizado, autoritário e fascista. Em suma, é 100% petista.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Luciano, faltou jogar uma coisa na cara deles, o fato de que a esquerdalha está celebrando a pré-candidatura de Carina Vitral à prefeitura de Santos e o vice da UNE, Mitã Chalfun, candidato a vereador no Rio!

  2. Precisamos de pessoas novas, com pensamento novo, que tenham moral elevada e não se deixem levar pela calhordice que impera na politica brasileira, que se recusem a participar das maracutaias e dos embustes em que a maioria dos políticos se enfiam. Pessoas com CARÁTER e ÉTICA. Assim esperamos que essas pessoas que tanto lutam pela democracia sejam assim. De forma que não há desmerecimento dos ativistas em se candidatar em cargos públicos. Se queremos mudanças, temos que começar por algum lugar.

  3. O pior é que muita gente se deixa convencer pelo argumento do Viomundo e critica esses jovens que, ao se candidatar, estão exercendo seu justo direito de cidadãos.

    É mais ou menos óbvio que, surfando durante décadas numa hegemonia de pensamento alimentada pela mídia, pelas escolas e pela academia, a esquerda entre em pânico ao ver a ressurreição da direita e, pior ainda, acompanhada pela renovação da classe política com pessoas que têm todo o potencial para mudar o nosso lamentável cenário político.

  4. Nós precisamos nos organizar para conseguir canalizar o maior número de votos para a direita, não adianta concentrar todos os votos para um único candidato.
    O melhor caminho é organização para administrar oferta e demanda de candidatos e criar nosso próprio voto distrital por meio desse gerenciamento.
    Assim poderemos revitalizar as câmaras de vereadores e substituir as atuais legendas.

Deixe uma resposta