Ovelhas de Karnal são covardes, diz Leonardo Olivaria

6
266

Um dos espécimes mais repugnantes surgidos nos últimos tempos é o fã médio de Leandro Karnal (não estou me referindo a 100% de seus fãs, pois pode ter alguém que se salve em seu séquito). Isto porque o sujeito não é intelectual (embora seja culto) e unicamente trabalhou para criar uma multidão de ovelhas servis, como se fossem seguidores de seita. Trabalhando com estímulos contraditórios, Karnal não passa um minuto sem emitir uma falácia capaz de levar ao riso qualquer conhecedor de guias de falácias, conforme aqueles escritos por Anthony Weston e Madsen Pirie.

Mesmo assim, os fãs dessa figurinha carimbada possuem uma rotina padrão: dizer que o “crítico dos argumentos de Karnal” tem inveja dele. Bom, se fosse para “invejar” alguém por sucesso, há gente muito mais bem sucedida que Karnal: Neymar, Bruce Dickinson, Cristiano Ronaldo e Donald Trump. Ou seja, o argumento “se criticou, é por que tem inveja” é coisa de idiotas. A refutação de Leonardo Olivaria vem bem a calhar:

Então, na próxima vez que um karnalete vier com a conversinha de “ah, você só critica por ter inveja do Karnal”, basta mandar o idiota ir chupar camisinha usada do mestre. Lixos humanos que se ajoelham servilmente a outros humanos (e embusteiros, o que é pior) não merecem nenhuma consideração intelectual mesmo.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Você tem certeza que não está confundindo Leandro Karnal com Olavo de Carvalho? Esse segudo sim é um lider de uma seita composta por acéfalos. Mas não deixa de ser lapidar essa passagem: “(não estou me referindo a 100% de seus fãs, pois pode ter alguém que se salve em seu séquito)”

    Quanta condescendência!

  2. Esse idiota me remete ao escritor Vargas Vila que, no final do século xix, escrevia, muitas vezes, atacando a Igreja Católica. Para aquela época, isso o tornou, obviamente, impopular,

    No entanto, não se incomodava nem um pouco, arguindo que: “a popularidade era o grande consolo dos MEDÍOCRES”.

    E justificava lembrando que, para se tornar popular, das duas uma: ou o indivíduo estava num nível muito elevado, mas conseguia trazer a MASSA, (que sempre é constituída pelos medíocres), para o seu nível; ou, então, esse indivíduo, estaria no mesmo nível da tal MASSA, o que revelaria ser um MEDÍOCRE, também.

    A primeira alternativa seria viável, apenas sob o ponto de vista lógico. No entanto, no mundo dos FATOS, é totalmente INVIÁVEL Daí que o caso típico desse Leandro Karnal se enquadra na segunda alternativa: não o situa, nem um pouco, além da MEDIOCRIDADE.

Deixe uma resposta