Por que é tão difícil para a direita assumir que a extrema-esquerda ACERTOU em relação à Venezuela?

5
152

Eu não estou sugerindo que o Spotniks tenha sucumbido à fé cega na crença em seu texto Por que é tão difícil para a esquerda assumir que errou em relação à Venezuela?. Pode ser que tenham feito uma pergunta retórica. Mas ao mesmo tempo, é possível que muita gente faça esse tipo de questão seriamente.

O texto faz muito bem em apontar que a ditadura de Nicolas Maduro cometeu diversas barbáries, como:

  • atuação homofóbica
  • saqueamento do país
  • criação de racionamento proposital
  • conversão da maioria da população em miseráveis
  • estabelecimento da fome entre a população como meio de submetê-los ao poder
  • aprisionamento de políticos
  • e por aí vai

A matéria questiona: “Afinal, o que faz alguém permanecer com a mesma posição, mesmo quando ela contraria tudo aquilo que ela diz defender?”. Novamente, não criticarei o Spotniks (site que admiro), pois considero a pergunta retórica. Mas novamente foco naqueles que fazem a pergunta a sério.

A questão “Afinal, o que faz alguém permanecer com a mesma posição, mesmo quando ela contraria tudo aquilo que ela diz defender?” só pode ser respondida deste modo: “É por que o bolivariano jamais defendeu aquilo que diz defender.”

Aqui temos outra questão: “Por que é tão difícil para a esquerda assumir que errou em relação à Venezuela?”. Bem, primeiro é que não falamos da esquerda, mas da extrema-esquerda (representada por PT, PCdoB e PSOL). Em segundo, e mais importante, é que a extrema-esquerda não errou, mas acertou em cheio.

Através das barbáries que citei há pouco, o sistema de Maduro conseguiu levar o socialismo à sua perfeição: com tirania, fome e miséria, conseguiu submeter o povo e ter em suas mãos o mais puro poder totalitário. Ele hoje vive como um sultão, assim como acontece com os mais próximos de seus aliados. Seus sicários vivem uma vida nababesca. Logo, o socialismo acertou. É por isso que o Levante Popular “está com Maduro”.

Para essa gente que está dançando aí em cima, o sofrimento dos venezuelanos é pura curtição. Por que eles deveriam assumir que “erraram” se no fundo todo o horror lançado sobre os venezuelanos (em nome de um projeto de poder, que os bolivarianos estão saboreando lenta e deliciosamente) era tudo que eles queriam?

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Fiz um comentário no Facebook do Felipe Hermes do Spotniks.
    Discordava do texto porque o socialismo deu muito certo na Venezuela sim. Assim como em Cuba. Governos tiranos e opressores, que colocam o seu próprio povo na miséria e na submissão, tudo muito bem planejado. Não foram equívocos grosseiros como ele diz no texto.
    E que a nossa esquerda radical , não admite que errou, porque eles tem certeza que acertaram ao apoiar o bolivarianismo de Chávez e Maduro, pois é exatamente isso que eles pretendiam ( e ainda pretendem algum dia) implantar no Brasil.

    • Perfeito.
      Venezuela é exemplo de Socialismo. O masi engraçado é vre os defensores esquerdiotas dizerem que a Venezuela esta dando errado pq é capitalista e esta sendo sabotada pelos burgueses e a Suécia, Suíça e pasme Inglaterra são exemplos de socialistas que deram certo hahahaha

      Existem alguns pefis no facebook que seria bom divulgarem.
      Socialistas de iphone
      Capitalista morena
      Caneta desesquedizadora
      ente outros.
      Luciano não seis e conhece estes perfis mas gostaria de sua opinião acerca deles.

  2. Ótima indagação como sempre, acho que é um reflexo educacional que nós tivemos pois pra mim são sempre erros porque o sistema não funciona, e não é assim, agora eu sei disso. Aliás funcionou muito bem para o seleto grupo, mas para a massa que foi enganada a situação é calamitosa. Luciano note que já tem gente na grande mídia como o jabor e outros na globo tentando limpar a barra da ideologia e jogando tudo na conta do tal populismo.

Deixe uma resposta