Hillary promete usar força fascista para oprimir religiosos

9
82

Leiam isso, que vem do Notícias Gospel Mais:

As eleições presidenciais nos Estados Unidos no próximo ano deverão ser marcadas pelo embate de ideias de perfis diferentes. Os pré-candidatos do Partido Republicano que se apresentaram até agora sustentam um perfil conservador. Já o principal nome do Partido Democrata, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, resolveu abraçar o discurso liberal por completo.

Durante uma conferência sobre feminismo, realizada em Nova York, Hillary (esposa do ex-presidente Bill Clinton) disse que os governos devem usar tudo que tem à disposição para combater a religião.

“Os códigos culturais profundamente enraizados, as crenças religiosas e as fobias estruturais precisam mudar. Os governos devem empregar seus recursos coercitivos para redefinir os dogmas religiosos tradicionais”, declarou.

O tom ditatorial usado pela pré-candidata recebeu destaque internacional, com repercussões em países latinos, Europa e aqui no Brasil.

De acordo com o jornal espanhol La Gaceta, Hillary defendeu o aborto como “um direito da mulher”, e disse que as opiniões contrárias a isso formadas a partir de crenças religiosas são um gesto de discriminação às mulheres e homossexuais.

“Os direitos devem existir na prática, não só no papel. As leis têm de ser sustentadas com recursos reais”, disse Hillary, justificando o uso da força (recursos coercitivos) para que essas ideias sejam postas em práticas.

Usando um eufemismo, Hillary referiu-se ao aborto como uma defesa da “saúde sexual e reprodutiva”, e disse que os contrários à interrupção de gestações “se erigem como líderes”, e portanto, precisam ser confrontados.

A repercussão das declarações de Hillary foram negativas no meio cristão norte-americano. Bill Donohue, representante da Liga Católica dos Estados Unidos, destacou que nunca um pré-candidato à presidência do país havia se posicionado contra a religião de forma tão clara.

Já Ed Morrissey, colunista do HotAir, ironizou: “Candidatar-se à presidência dos Estados Unidos prometendo usar recursos públicos para acabar com as crenças religiosas é, provavelmente, o slogan progressista mais sincero da história. Insinuar que uma nação construída sobre o pilar da liberdade religiosa vai empregar a força do Estado para mudar as práticas religiosas é uma declaração sem precedentes”.

Isso é o fim da picada.

Eu sou ateu, mas o que eu quero em relação ao estado é que ele não venha me forçar a ter uma religião, a ir a missas (que sempre achei chatíssimas, mesmo quando era religioso) e daí por diante. Mas utilizar o estado para avançar uma agenda anti-religiosa é algo que não dá.

É por esses motivos que se Trump é problema, Hillary é um problema maior ainda. A declaração da candidata esquerdista é fascismo puro.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

9 COMMENTS

  1. Luciano: sei que a Hillary não é flor que se cheire, mas saberia me informar se há a fonte para a primeira declaração dela e onde foi feita, já que não são especificadas no Gospel Mais?

  2. Além do questionamento do GUI, você não acha que é um pouco tarde para se manifestar sobre este assunto? Afinal, a notícia do “Gospel Mais” é de maio/15. Um assunto desta natureza deveria impactar de forma contundente a campanha da candidata, o que me parece não ter acontecido.

  3. Luciano, esse site não é confiável e além do mais se você é ateu deveria saber que os republicanos usam e abusam da máquina estatal dos estados governados por eles para promoverem vertentes evangélicas e inclusive desafiam as leias da suprema corte, como é bem sabido sobre as restrições impostas na questão do aborto americano.

    • Errado Paulo, se existem republicanos estatistas, entao eles precisam ser denunciados, mas o Partido Republicano normalmente vota pela redução da interferencia do Estado na vida das pessoas… isso é tipico dos Estados Republicanos, basta ver o tamanho deles e comparar com os Estados ‘Democratas’;

  4. Uma pequena observação. O discurso dela não é liberal politicamente, é progressista, o que são conceitos completamente diferentes. O liberalismo defende a liberdade do indivíduo, o que, pelo visto, ela quer tolher. Já o progressismo deseja o “bem comum” às custas da liberdade individual.

    • Sim. Progressista é um rótulo de FACHADA para o esquerdismo radical. O progressismo não deseja “o bem comum”, mas o fim da liberdade individual através de narrativas fraudulentas.

  5. Será ! O que vão dizer os religiosos que apoiam e irão votar em Hillary Clinton, sejam evangélicos ou católicos ? Aliás ! Pesquisas dizem que a maioria do eleitorado católico vai votar nela. E os negros religiosos, já que os negros sempre votam,a maioria no partido democrata. Acredito que Hillary se ganhar a eleição e for presidente dos EUA, Realmente ela vai usar a força fascista para oprimir religiosos. Pois se ela ganha a eleição com dezenas de milhões de votos,inclusive com milhões de votos de evangélicos e católicos americanos liberais.
    Ela sem dúvida chegará a conclusão inevitável de que está é muito certa em suas convicções . (Dilma nos seus dias de glória deveria pensar no mesmo).
    Hillary com toda certeza do mundo,deve estar convicta que tudo não passa de discriminação e preconceito. E de que ela deve ser forte e corajosa e enfrentar esses religiosos preconceituosos,intolerantes,atrasados,mentes estreitas e sua malfadada ideologia religiosa de uma vez por todas. como o texto diz:”opiniões contrárias a isso formadas a partir de crenças religiosas são um gesto de discriminação às mulheres e homossexuais.”

    È isto que ‘pensa’ está mulher.

Deixe uma resposta