Mesmo se Patrícia estiver mentindo sobre o estupro, Feliciano estará derrubado. Saiba o motivo…

9
90

Se algumas pessoas tem gostado da análise nua e crua da batalha política envolvendo Marco Feliciano contra Patrícia Lelis e a extrema-esquerda, há também uma parcela que parece um tanto revoltada com minha constatação no primeiro post sobre o assunto, quando disse que a carreira de Feliciano teria se encerrado.

Daí ouço o seguinte: “Patricia mentiu, Luciano se precipitou”, o que é no mínimo desconexão entre o que eu argumentei e os fatos que estão acontecendo. Esse tipo de confusão tem a ver com uma inocência de alguns direitistas de achar que “basta estar com a razão, que no fim tudo se resolve”, quando a verdade é mais cruel: se você tiver a razão, mas não jogar o jogo, perderá.

Alguns indícios, nesse momento, dão a impressão de que Patrícia Lelis teria mentido. Ver aqui e aqui para mais detalhes. Mas isso não significa nada em favor da carreira política de Feliciano, principalmente se este não estiver jogando o jogo. E não está. (Em tempo: novos indícios podem virar de novo o jogo jurídico a favor dela, ou complicá-la de vez)

Vamos resumir de maneira prática o que aconteceria na hipótese de Patrícia Lelis ter feito uma falsa acusação de estupro: imagine, por exemplo, que ela fosse presa pela falsa acusação. Isso resolveria a questão, certo? Errado, pois aí a extrema-esquerda iria rotular Feliciano como símbolo da opressão “em nome do patriarcado”. Diriam que, como o que vale é apenas a palavra da vítima, logo ele seria culpado por ela estar presa. Independentemente de ele ter razão, sofreria o impacto da guerra de narrativas. Teria como ele sair disso? Sim, mas seria preciso jogar o jogo na mesma intensidade que a extrema-esquerda, e não parece que ele quer fazer isso.

Piora para o lado dele a lentidão nas respostas: ele demora em média 4 a 5 dias para dar uma resposta que deveria vir em, no máximo, 2 horas. Esta é a realidade triste daqueles que adotam a filosofia do “não jogo”.

Para quem duvida, basta relembrar o caso de Bolsonaro X Rosário. Ele estava com a razão, mas terminou sendo acusado de “apologia ao estupro” sem nunca praticá-la. Ter “a razão” não adiantou nada para quem não jogou o jogo. O mesmo vale agora.

Assim, não adianta dizer “ah, Luciano, veja que agora o Feliciano tem os fatos em mãos, logo você está errado”, pois isso é ignorar tudo que está escrito aqui: se você tiver os fatos em mãos, mas não jogar o jogo, vai perder. Decerto ter os fatos em mãos é melhor do que nada, mas se o adversário estiver mentindo e jogar o jogo,  ele vai vencer.

Logo, quando eu escrevi que “a carreira do Feliciano está acabada”, tal afirmação não é refutada apenas trazendo fatos em favor do deputado. Essa afirmação só seria refutada com a demonstração de que Feliciano teria decidido a começar a jogar o jogo político, o que nem de longe está acontecendo.

Nessa questão, as perspectivas só são positivas para a extrema-esquerda. (E serão positivas para o oponente, e negativas para ele, se ele for culpado)

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

9 COMMENTS

  1. Luciano, como não dá para ver todos os sites de notícias. Então como eu poderia dar uma resposta em no máximo duas horas? E se eu encontrar o boato duas horas e um minuto depois?

  2. Parece que vai ter seguir: Faça o inimigo sucumbir pelo seu próprio livro de regras.
    O ridículo é a arma mais poderosa do ser humano.Uma boa tática é uma que a sua comunidade aprecia.Agora, como é que são elas…

  3. Depois do caso Bolsonaro x Rosário a carreira política do Bolsonaro só faz crescer e mesmo com toda difamação o nível de rejeição dele é baixíssimo.
    Outra coisa é que você não leva em consideração os eleitores cativos que se identificam com a ideologia e propostas do mesmo, Feliciano tem capacidade de ser eleito deputado em todas as eleições a não ser que seja envolvido em escândalos de corrupção.

    • Leandro,

      Se o objetivo do Feliciano é se reforçar no nicho, ele está fazendo tudo certinho. Mas parece que ele queria até ser vice do Bolsonaro.

      Abs,

      LH

Deixe uma resposta