Comitê Olímpico pratica preconceito religioso contra Neymar

16
100

Conforme lemos no Notícias Gospel Prime, surge a afronta do dia, por parte do COI. Depois da mídia socialista atacar os atletas que prestaram continência, agora atacam Neymar por sua religião:

Ao longo dessa edição dos Jogos Olímpicos, vários atletas cristãos agradeceram a Deus pelas conquistas de suas medalhas. Contudo, o jogador Neymar foi o único que subiu ao pódio com uma inegável referência religiosa.

Quando recebeu a medalha de ouro na noite deste sábado (20), usava uma faixa na cabeça com os dizeres “100% Jesus”. A imagem foi transmitida para o mundo todo e a escolha de termos possibilitava que fosse entendida sem necessidade de tradução.

O fato chamou atenção da imprensa, uma vez que a cobertura dos jogos é gerada pela rede oficial das Olimpíadas e pela popularidade do futebol, teve grande audiência. Contudo, há países que censuram várias imagens de competições, por exemplo, de mulheres com pouca roupa.

Em diversas nações muçulmanas, é proibido que o nome de Jesus seja exibido publicamente. Por ser uma transmissão ao vivo, não foi possível ignorar a imagem nem deixar de mostrar o jogador mais conhecido da Seleção no momento. Sua atuação no Barcelona lhe conferiram o status de ídolo mundial do esporte, uma vez que está em várias listas de melhores do mundo.

Porém, existem regras do Comitê Olímpico Internacional (COI) proibindo qualquer “sinal político, comercial ou religioso” durante a cerimônia de medalhas nos Jogos Olímpicos. Por isso, os dirigentes da entidade tiveram uma reunião na manhã deste domingo, onde classificaram a manifestação religiosa de “um deslize” do jogador e de seus superiores. Embora o jogador pudesse ser passível de punição, a decisão foi fazer “vista grossa” para não estragar a imagem da entidade e dos Jogos.

Segundo o Estado de São Paulo, o diretor-executivo do COI  Christoph Dubi, a entidade irá enviar uma carta à delegação brasileira, anunciando um protesto oficial pelo ocorrido e relembrando os dirigentes que tais procedimentos não são aceitáveis.

Vários jogadores deram glórias a Deus após a conquista do ouro, mas foram manifestações pessoais, fora do pódio. Uma das que mais chamou atenção foi a do goleiro Weverton, que defendeu o pênalti decisivo para o título inédito.

Não é preciso ser um religioso (e eu não sou um deles) e nem ser cristão para perceber que o COI ultrapassou qualquer noção de decência humana ao adotar uma regra afrontosa à civilização. Mais uma vez, o conceito de Estado Laico é distorcido em nome do jogo político mais sujo. Não há nada de errado com a mensagem de Neymar.

Se algum ateu ou islâmico se sente ofendido com a mensagem “100% Jesus” na testa de Neymar, a melhor coisa a fazer é procurar um psicólogo e tentar resolver sua incapacidade de lidar com o direito do outro ter uma opinião alheia.

Alguns dirão: “ah, mas é a regra do COI”. Sim, mas a regra do COI é um lixo fascista, que desrespeita a liberdade individual. No passado a escravidão também foi lei e nem por isso era moralmente certa. Proibir alguém de manifestar sua religião não tem nada a ver com Estado Laico, mas com fascismo.

Os religiosos deveriam usar este evento para se rebelarem contra esse tipo de discriminação nos Jogos Olímpicos. Poderiam tornar o ato de Neymar algo simbólico. Mas também poderiam começar a falar a “linguagem” adequada com os preconceituosos. E essa linguagem não se baseia em meros argumentos, mas em escracho, shaming, denunciação, ridicularização e até processos. Quem sabe assim eles não pensam duas vezes na hora de lançar preconceitos contra atletas religiosos?

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

16 COMMENTS

  1. Gosto muito de assistir eventos esportivos, e em alguns tenho visto usarem um recurso que borra ao vivo qualquer símbolo ou palavra religiosa que apareça durante a transmissão. Já vi isso ocorrer na Eurocopa (um jogador usava uma faixa como a do Neymar e ela aparecia borrada ao vivo) e no mundial indoor de atletismo desse ano (o crucifixo de um atleta sempre ficava borrado quando ele era filmado em close). Me disseram uma vez que os muçulmanos controlam atualmente os grandes conglomerados de mídia no mundo, talvez esteja aí um belo de um ovo de serpente não é? Só sei que essas tecnologias que alteram imagens e sons ao vivo são muito sinistras e podem se tornar fortes ferramentas de controle político, ideológico e religioso.

    • Muçulmanos controlando a mídia?Já falou um bela duma asneira aí. Quem tem o maior controle da mídia no mundo e no Brasil, são os judeus. Mas a questão aí, é que não se permite manifestações políticas e religiosas. Não há preconceito algum.

      • Você me chamou de “asno” mas não me demonstrou a veracidade da sua afirmação. Se ver minha conversa com o Gui, verá que eu citei alguns casos em que a MSM (mainstream media, mídia de massa) é sim controlada por muçulmanos e pessoas já denunciadas por suposto financiamento de grupos terroristas.

        “Quem tem o maior controle da mídia no mundo e no Brasil, são os judeus” não é argumento, é só disse-me-disse. Portanto acho que o asno que você viu foi só um espelho.

    • “Me disseram uma vez que os muçulmanos controlam atualmente os grandes conglomerados de mídia no mundo, talvez esteja aí um belo de um ovo de serpente não é?”

      Esta informação é nova para mim. O que já vi muito pela internet é a alegação de que a mídia é controlada pela contraparte dos muçulmanos: os judeus.

      • Pois é, sobre os judeus serem donos da MSM é o que eu cresci escutando. Porém após receber algumas informações e ir atrás eu pude verificar umas coisas interessantes. Sauditas como o príncipe Alwaleed já são grandes acionistas (e maiores acionistas em algumas situações) da AOL Time Warner, CNN, Citigroup, e até da Fox News (só esse príncipe possuía 5,5% da empresa de Murdoch, a News Corp, em 2009. Em 2014 ele já era o n. 2 no controle da Fox).

        Isso é o que me lembro de cabeça, mas na época encontrei muitas outras informações na própria internet de forma fácil, acredito que se alguém dispor a gastar um tempo em cima do assunto vai achar muito mais coisas.

  2. Primeiro lugar, quem tem a maior influência na mídia mundial e brasileira são judeus e não muçulmanos. Segundo, não há preconceito ou discriminação alguma. O COI não admite manifestações político-religiosas de qualquer espécie. Isso vale pra todos.
    Os únicos discriminados aí foram os adeptos de Candomblé e Umbanda, que não receberam permissão para participar do espaço ecumênico, enquanto várias religiões receberam, até os hare Krishna.

    • Andreas,

      “O COI não admite manifestações político-religiosas de qualquer espécie. Isso vale pra todos.”

      Esse argumento é muito fraco. Você argumenta em favor de uma regra dizendo “é a regra”. rs.

      É uma falácia básica demais.

      Como mostrei aqui, um atleta muçulmano fez uma saudação à Alá e NÃO FOI REPREENDIDO. Logo, há discriminação contra o cristão Neymar.

      Abs,

      LH

  3. E os deuses Gregos que nós cristãos tivemos que aguentar , sendo reverenciados o tempo todo ?Realmente se tiver esse preconceito com a faixa , cabe um processo sim , mas como cristãos preferimos orar por eles!

  4. “POSSO TUDO NAQUELE QUE ME FORTALECE”””100% JESUS “””””” SEMPRE!!!!
    ISSO É PARA QUEM CRÊ NA PALAVRA DE DEUS ,NÃO É PARA QUALQUER UM!!!!!!!

  5. O “politicamente correto” é a opressão dos supostos opressores pelos supostos oprimidos, com o apoio dos hipócritas da primeira categoria.

  6. Após Hitler se valer das Olimpiadas de Berlim em 1936 para difundir o nazismo e o resultado foram as duas grandes guerras subsequentes, o COI colocou na a Cartal Olimpica, que é o regulamento de que é permitido e proibido durante o evento , seja la em que país for. De acordo com o artigo 50 do documento, “não é permitida em qualquer instalação Olímpica qualquer forma de manifestação ou de propaganda política, religiosa ou racial”.Coisa que aliás, está corretissima,

  7. A regra do COI não é “um lixo fascista que desrespeita a liberdade individual”, é apenas uma regra de uma cerimônia, visando o bom senso, mais ou menos como não adentrar um supermercado em trajes de banho. É algo delimitado ao pódio, e só surgiu depois dos punhos erguidos dos Panteras Negras no pódio do atletismo em 1968. Fora da cerimônia de entrega de medalhas, os atletas podem comemorar do jeito que bem entenderem.

  8. Ninguém falou contra as muçulmanas que jogaram o vôlei de praia usando lenço na cabeça e calças comprida, assim enaltecendo sua obediência ao Islã.

  9. Nada contra a faixa religiosa. O que me assusta é enaltecer Jesus e partir para xingar o torcedor e se pudesse até iria agredi-lo fisicamente. Acho que Neymar deve ser punido por seus patrocinadores, como aconteceu com o nadador americano, pela falta de caráter e pelos maus-exemplos para os seus admiradores mirins e adolescentes.

Deixe uma resposta