Por que Janot pode estar determinando o fim da Lava Jato?

4
135

Corre nos bastidores da Lava Jato o medo de que a atitude de Rodrigo Janot – de cancelar a delação de Léo Pinheiro, da OAS, após o suposto vazamento para a revista Veja – pode encerrar de vez a operação mais importante de investigação sobre corrupção na história do Brasil.

Ocorre que a atitude de Janot abre o precedente de que uma delação pode ser cancelada a partir de um vazamento sem existir qualquer tipo de evidência sobre quem vazou. Até o momento, Janot não apresentou provas de que Léo Pinheiro tenha feito o vazamento. Ou seja, tanto Pinheiro como o próprio Janot podem ter feito o vazamento.

Uma vez não existindo a comprovação de culpa no vazamento, não é possível estabelecer qualquer punição. Ao menos, até a atitude de Janot, que ainda não foi derrubada via qualquer tipo de ação pública, o que ainda estabelece um risco altíssimo para as investigações.

Com o precedente aberto, Janot poderia fazer vazamentos (ou ao menos pessoas ligadas a ele) para proteger políticos aliados e, com isso, obter o pretexto para cancelar qualquer delação. Sem a necessidade de provar a culpa nos vazamentos, qualquer parte envolvida nas negociações pode sabotar a operação. A partir daí, mesmo que o delator não tenha feito o vazamento, ele pode ser punido com a perda do direito à delação, o que só serviria para proteger aqueles a serem delatados.

Em resumo, se Rodrigo Janot não for interrompido em seu cancelamento da delação de Léo Pinheiro, não apenas a Operação Lava Jato estará comprometida, como a própria lei de delação premiada perde o sentido.

É hora de colocar um freio nas ações anti republicanas de Janot.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. A maneira como Janot agiu levanta dúvidas sobre a própria TRANSPARÊNCIA do MP e o silêncio do STF corrobora com a imagem de blindagem de elementos do governo – legislativo e judiciário. È necessário uma ação publica. Uma petição pública, de advogados e o mias esquisito é que nem os advogados de Leo Pinheiro se manifestaram..

  2. Em minha opinião há outra situação que me preocupou. Vi ontem no noticiário sobre uma decisão do Ministro Levandowiski ter soltado um assassino de um policial fundamentando sua decisão basicamente na tese em que ninguém pode ser cerceado de sua liberdade sem o transito em julgado de condenação criminal seja qual instância dos tribunais for. Meses atrás, houve decisão de força jurisprudencial no próprio STF que pode sim um sujeito cumprir pena condenatória mesmo não sendo esgotados todos recursos possíveis. Em minha opinião a decisão desse ministro é pavimentar liberdade aos acusados na lava jato, à gang vermelha principalmente Lula, Dilma, HC para Dirceu e sua trupe, empreiteiros, etc. Há reais possibilidades que sua decisão é para beneficiar peixes grandes futuramente. Há uma estranha simbiose entre essa decisão que abre precedentes em face a lava jato. Juridicamente trata-se de um ato perfeito e como a Corte flerta com ideologia bolivariana associada a dividas de gratidão com as benesses do poder, outros Ministros tendem a acatar quando o peixe grande for de mesma ideologia.

  3. Acredito que não há mais em quem confiar e acreditar, pois a cada dia todos nós somos assombrados com os atos de impunidades vindos diretamente da mais alta corte do nosso País. Eles defendem e blindam bandidos corruptos e ladrões como se as nossas leis fossem feitas so para eles, isso nos torna incapaz de acteditar, então a solução imediata seria uma INTERVENÇÃO MILITAR, e expulsar estes cobras do poder e prender Os bandidos que assolam a nossa República.
    Muda BRASIL andes que seja tarde

Deixe uma resposta