Por que o socialista talvez saiba tanto sobre economia quanto você?

5
41

É típico (especialmente dos liberais) visualizar a política não como uma arena de combate, mas como um terreno de “debates” teóricos. Por essa ótica, o socialista deveria ser encarado como alguém de “teoria ruim” e o liberal, como seu oponente, alguém com a “melhor das teorias”. Daí a constatação não demora: o socialista “não entende” de economia.

Infelizmente, essa ilusão é reconfortante demais. Reconfortante, mas quimérica. Não passa de uma dependência quase patológica da fé cega na crença. Creio que não preciso me estender sobre esse ponto, dado que os leitores já sabem que a fé cega na crença é uma das doenças infantis do direitismo que precisam ser combatidas. (Se eu sou de direita, ao mesmo tempo rejeito abordagens de direita que reneguem a percepção sobre a realidade política)

Voltemos ao “entendimento” do socialista na economia. Pensando bem, aguardemos mais um pouco. Vamos falar um pouco sobre uma empresa cuja rede foi invadida por um hacker, que roubou informações confidenciais, vendendo-as para seus concorrentes. Podemos dizer que o gerente de segurança da informação conhece sobre “a estrutura da rede”, mas o hacker é apenas um “ignorante” sobre a mesma rede? De jeito algum. Na verdade, muito provavelmente o hacker deve conhecer a estrutura da rede organizacional quase tanto quanto seus administradores. Porém, o conhecimento dessa estrutura não foi utilizado para proteger a rede, mas para invadi-la.

Agora podemos aplicar o mesmo para a questão do socialismo. Na visão liberal, a economia deve ser “eficiente”, a partir do livre mercado e liberdade individual. Muito lindo, mas para ser “eficiente”, na visão do socialista, a economia deve ser colapsada e entregue para totalitários que retirarão a liberdade individual. Ou seja, assim como o liberal precisa conhecer economia para aumentar sua eficiência, o socialista depende do mesmo nível de conhecimento para destruir o sistema econômico em nome de um projeto de poder. O nível de conhecimento deve estar equiparado para que ambos os lados possam lutar pelos objetivos divergentes.

Sem o conhecimento dos processos econômicos, seria muito difícil fraudá-los. Exatamente da mesma forma que seria muito mais difícil invadir a rede de uma empresa sem conhecê-la profundamente. Mas a questão, tanto para a guerra política como para os confrontos entre administradores de segurança e hackers, nunca foi por “teorias”, mas pelo uso do conhecimento para fins antagônicos entre as partes. Em relação aos socialistas, não temos que “ensiná-los sobre economia”. Eles já a conhecem. Precisam conhecê-la, para fraudá-la. Precisamos derrubá-los em suas iniciativas de obter poder totalitário.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Olha essa notícia de “O Antagonista” aí Luciano:

    “Rindo à toa

    Brasil 25.08.16 12:23
    As câmeras da TV Senado não pegam, mas no plenário a bancada do jardim de infância é só alegria. Eles riem fácil. Gostam de ver a indignação dos demais senadores com suas chicanas”

    O cinismo da extrema esquerda não tem limites. A risada demonstra sadismo. Ela demonstra que eles não estão tristes ou indignados com o impeachment de Dilma. Fazem puro teatro em frente às câmeras, afetando indignação. É uma demonstração de psicopatia em estado elevado.

    É uma comprovação de que querem o poder apenas para se locupletarem. Se estivessem realmente preocupados com a perda do poder por causa da perda da chance de implementar um “projeto bom, de inclusão social”, eles estariam sentindo uma indignação real com o impeachment, e não uma indignação forjada.

Deixe uma resposta