Aécio deu papelão político após briga no Senado

10
103
Opposition leader Senator Aecio Neves attends a vote session on suspending Brasilian President Dilma Rousseff and launching an impeachment trial, in Brasilia on May 11, 2016. Brazil's Senate opened debate Wednesday ahead of a vote on suspending President Dilma Rousseff and launching an impeachment trial that could bring down the curtain on 13 years of leftist rule in Latin America's biggest country. Even allies of Rousseff, 68, said she had no chance of surviving the vote. / AFP / EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

Aécio Neves continua sendo uma figura bizarra da política, como lemos em matéria da Jovem Pan:

A reação de Renan Calheiros, que, ao tentar pacificar os ânimos, acabou provocando o efeito contrário, surpreendeu os senadores dos dois lados. Insatisfeito com as declarações feitas na sessão de ontem (25) por Gleisi Hoffmann (PT-PR), de que o “Senado não tem moral para julgar a presidente Dilma”, Renan disparou:  “Como uma senadora pode fazer uma declaração dessa? Exatamente uma senadora que, há 30 dias, o Presidente do Senado Federal conseguiu no Supremo Tribunal Federal desfazer o seu indiciamento e do seu esposo” afirmou. “Mentira”, reagiu Gleisi, que, pouco antes havia chamado o presidente  da Casa de “canalha” – fora do microfone.

“Talvez tenhamos ultrapassado um pouco o limite do aceitável. Isso aqui é o Senado da República”, disse o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG). “Eu acho que o que de grave aconteceu aqui foi a manifestação da senadora Gleisi de contestar a moral do Senado Federal. Ora, se ela acha que essa casa não tem moral ela deveria dela se ausentar, não participar ou então dizer que ela se insere naqueles que ela considera sem moral”, atacou o senador tucano, que chegou a sugerir que os colegas tomem um chá de camomila e suco de maracujá para se acalmarem.

“É hora de botarmos panos quentes, vamos zerar daqui para trás e vamos olhar daqui para frente”, concluiu Aécio.

“Desculpa falar, mas ele como bombeiro ‘tocou’ fogo né”, disse Lindbergh Farias (PT-RJ). “Surpreendeu todo mundo, parecia descompensado. Eu acho, sinceramente, que o presidente Renan perdeu a chance de ficar calado, porque ele podia ter tido uma fala para acalmar os ânimos, mas fez o contrário: ‘tocou’ mais fogo”, acrescentou o senador, que saiu em defesa da colega.

Ele não aprende. É incorrigível.

Em 2014, Aécio apanhou feito cachorro ladrão de Dilma. No único debate em que apanhou pouco (mas ainda assim apanhou), chamou Dilma de “leviana”. Rapidamente, o PT aplicou-lhe uma armadilha: disse que ele foi “agressivo com mulheres”. Feito bocó de mola, saiu dizendo “é, realmente a agressividade foi grande, vamos diminuir”. Os petistas morreram de rir e duplicaram a rotulagem para cima da cabeça dele.

Aqui ele cai na mesma pataquada daquelas eleições. Os petistas estão ofendendo sem parar. Pois num único dia em que seus adversários resolveram apanhar pouco (e ainda assim estão apanhando), os petistas fizeram o jogo de cena para dizer que “todos estão agressivos”. E lá vai o Sr. Aécio Neves emitir a narrativa “talvez tenhamos ultrapassado um pouco o limite do aceitável”.

“Tenhamos” é o caralho, Aécio Neves. “Tenhamos” é o quinto dos infernos. Foram os petistas – e só – que deram baixaria. E assim que foram revidados “de leve”, fizeram jogo de cena. Era para apontar o dedo para os petistas, e não reconhecer “a agressividade de todos”, que nem de longe existiu.

Aécio continua o mesmo desde as patéticas eleições de 2014. Vai ser difícil aturá-lo deste jeito nas eleições de 2018.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

10 COMMENTS

  1. Os tucanos representam um sério risco para a democracia. Graças a esse jeito de político deles de ser, acabaram deixando que os petistas vestissem neles a camisa de “partido de direita”, sem dar um pio contra, mesmo o Partido seguindo rigorosamente a cartilha da esquerda. Se não defendem sua posição como socialistas, e portanto tão à esquerda quanto os demais partidos socialistas, como podemos esperar que venham a defender a democracia?

  2. Ayan, desta vez não acredito que ele está sendo ingênuo. O que me parece é que um grande “acordão” foi costurado entre Janot, PT (Lula), PSDB (Aécio e Serra) e PMDB (Temer), para pôr panos quentes em tudo e melar a Lava Jato, tendo em vista que a delação da OAS (especialmente de Léo Pinheiro) iria comprometer todo mundo e inviabilizá-los para 2018. Acho que ele está é com medo de que esses atritos no Senado ponha a perder esse plano.

    • Mas isso não faz sentido. Pois se isso fosse verdade, o PT também deveria afrouxar o tom. Mas a partir do momento em que apenas Aécio afrouxa o tom, é claro que não há jogo de compadres.

      • É apenas uma impressão minha. Mas se for isso mesmo, terá sido, por certo, um acordo envolvendo pouquíssimas pessoas. O PT do senado só está interessado em encenar a farsa roteirizada por Petra Costa, a produtora do “documentário” sobre o “golpe”.

  3. O PT sempre jogou duro e sujo na linha de rotulagens dos adversários e esses sempre tiveram uma postura de “mocinha educada”,ficando envergonhados e constrangidos mas sem nunca partirem para a contra ofensiva. Aecio Neves simboliza o que ha de maior em termos de frouxidão na politica,sempre querendo fazer o papel de bom moço,educado e cordato e por isso só leva cacete do PT. Como lembra Ayan ,na campanha de 2014 e agora nessa campanha do impeachment, as intervenções dele são apenas agua com açucar, nao vai para o ataque e sempre fica medindo as palavras. Se dependermos dele para a defesa da democracia e salvarmos nossa Patria do comunismo estaremos todos ferrados.

  4. Em São Paulo o João Doria faz o papel de bom moço. Dessa forma só facilita o ressurgimento dos petistas como Marta Suplicy e Erundina já que o atual prefeito, o petista Fernando Haddad tem 52%, tem de reprovação. Mostrar frouxidão afugenta o eleitor.

  5. A bundamolice do Aécio é parte integrante da sua personalidade. Tenho depositado alguma esperança nele mas depois dessa batalha pelo impeachment, ficou claro que qualquer PETISTA com apoio midiático do Lula e do seu marqueteiro Santana, é capaz de derrotá-lo em 2018.

Deixe uma resposta