Tirania de Dilma acaba por 61 a 20. Começa uma nova fase de lutas.

7
59

Finalmente teve fim um reinado de horror e crueldade. A presidente golpista Dilma Rousseff sofreu impeachment. Às 13h35 deste 31 de agosto, 61 senadores votaram pelo término do mandato, enquanto 20 votaram a favor de Dilma. Foi o suficiente para encerrar o maior ciclo de perversidade política da história recente do Brasil.

Para a presidente afastada, a dor deve ser horrível, pois psicopatas parecem explodir de ódio quando não consegue mais ver suas vítimas sofrerem. Dilma não consegui censurar completamente a mídia. Não conseguiu nos levar ao racionamento de alimentos. Não conseguiu estabelecer sovietes. Não conseguiu cooptar as Forças Armadas. Não conseguiu nos transformar em escravos, como acontece com os médicos cubanos. Não conseguiu nos transformar em uma Venezuela. Deve doer bastante para ela.

Olhe para seu amigo petista e saiba que diante de você está alguém que queria vê-lo como um escravo dos senhores a quem ele serve. É esse tipo de crueldade que vencemos hoje. A luta que travamos foi empreendida contra os abismos mais profundos da depravação humana.

Mas agora é que as lutas mais importantes começam. Há várias demandas pela frente, incluindo desaparelhamentos, desestatizações, redução da doutrinação escolar, enfrentamento à Lei Rouanet, luta contra o financiamento público de campanhas e daí por diante. Isso é só o começo.

A queda da tirania bolivariana deve marcar o começo de uma nova era de lutas. É imperativo entrarmos em embates com toda uma extrema-esquerda que estará atuando em diversas posições na mídia, nas escolas e no aparelho estatal. Eles vão utilizar seus cargos para retomar o projeto totalitário que hoje foi abalado. Como disse Tocqueville, o preço da liberdade é a eterna vigilância. Vamos além: o preço da liberdade é a eterna luta política.

A expectativa de continuarmos pessoas livres definitivamente aumenta com o fim de um governo bolivariano. Mas teremos muitas lutas pela frente para seguirmos em liberdade. Como este blog sempre afirmou, agora é que as lutas mais importantes vão começar.

Mãos à obra!

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Acho que o amigo ja tinha escrito este texto juntamente com um outro caso o resultado tivesse sido diferente. Esqueceu-se de complementar os xx com os numeros da votação.. Mas nao importa, o que importa é que vencemos esta batalha e concordo quando dizes que devemos permanecer atentos. Parabens pelo texto.

  2. Luciano, algo me cheira muto mal nesse desfecho, ser impichada , mas não inabilitada para o exercicio de cargo publico?? caso tenha um cargo publico talvez não poderá ser investigada pela lava jato, isso soa muito estranho , mas é algo a pensar, aquela cena dos tres rindo como bons compadres o presidente do supremo, aecio e dilma, para mim é armação. o que vc acha

    • Assim como o maluco que dorme na rodoviária aqui ao lado. As pessoas costumam não acreditar em loucos que esbravejam babando cuspe e fumaça de tabaco, falando 3 palavrões a cada palavra normal (igual os “mano” de rap). E daí que ele cantou a pedra antes? Nunca teve e nunca vai ter crédito como uma pessoa normal, vai passar batido sempre por mais sólidas que forem suas “previsões”. Mas se um dia ele tomar um banho e conversar como alguém que não foi alfabetizado num puteiro, quem sabe mais pessoas além dos baba-ovos habituais dê algum valor pra ele.

  3. A não inabilitação dela merece um pouco mais de atenção. Ao que tudo indica isso está criando um precedente para favorecer outros políticos. Parece que já estava tudo ensaiado e o sr. Lewandowski aceitou isso. Talvez seja uma das mentes que arquitetou isso. Quanto ao senhor Renan Calheiros, tá mais que na hora de tirar esse cara do Senado.

Deixe uma resposta