Pedido de prisão de Lelis amplifica erro político de Feliciano

13
141

Como já se sabe, Patrícia Lélis – que acusou o deputado Feliciano de estupro – teve uma má notícia com o encerramento do inquérito que investigava a denúncia de sequestro e ameaça contra o assessor do pastor Marco Feliciano (PSC-SP), Talma Bauer. O resultado foi o pedido de prisão preventiva da autora por denunciação caluniosa e extorsão.

Logo que as denúncias surgiram, este blog avisou que isto significaria a morte política de Feliciano. Imediatamente, surgiram evidências de que a garota mentia, mas, mesmo assim, a lentidão assustadora de Feliciano nas respostas fazia com que essas evidências não contassem a seu favor.

Para que se entenda o tamanho do erro de Feliciano, basta saber responder a frase: ele é culpado ou não? Sendo inocente, ele teria os fatos a favor dele. Sendo culpado, teria os favor contra. Tudo aponta para que os fatos estariam, então, a favor dele.

Só que desde o início Feliciano tinha essa informação. Ou seja, a partir do instante em que as narrativas começaram a ser multiplicadas pela mídia – em que Lelis foi usada por jornalistas, políticos e demais formadores de opinião de extrema-esquerda por estar proferindo mentiras que seriam vendidas ao público como “verdades” ou ao menos “evidências de que aí tem alguma coisa” – Feliciano deveria ter partido para o ataque.

É bem simples: se Feliciano foi culpado, haveria uma explicação para que ele não reagisse. Mas se ele é inocente (e tudo aponta para isso), então não há desculpa para não ter reagido em tempo.

Se há uma representação contra Feliciano, por que ele não representou contra os parlamentares que fizeram a representação? Se o UOL – seguido pelo resto da mídia de extrema-esquerda – fez a festa com a multiplicação das narrativas de acusação do estupro, por que ele não atacou usando vários meios que estavam a seu dispor?

Algumas crianças políticas estão se conformando com a prisão de Patrícia Lelis, achando que isso “fecha a questão” em favor do deputado. Mas isso não significa nada em relação ao embate político travado, que jamais foi entre Lelis X Feliciano, mas entre opositores X apoiadores da CPI da UNE. Se os opositores da CPI da UNE saírem ilesos com a prisão de Patrícia Lélis, isso não significará nada. (Há outros embates como a extrema-esquerda em geral contra a bancada evangélica, mas quis focar no principal exemplo)

Já expliquei aqui mais de uma vez que Lélis foi apenas a “bola” do jogo de futebol. Claro que durante o jogo a bola é chutada, assim como Patrícia vai para a cadeia. Mas a “bola” não é teu adversário, mas sim o time oponente. Imagine que, após uma derrota, você espere o adversário ir para o vestiário e comece a chutar a bola. Isso não mudará o resultado, pois a bola não é teu adversário, oras.

Outro exemplo bem claro que eu utilizei foi o combate entre dois exércitos adversários. Imagine a situação em que seu exército tenha sido atacado de emboscada, resultando em várias baixas do teu lado, mas nenhuma do lado deles. Após a retirada do agressor, os sobreviventes do seu lado coletam as balas no chão e começam a martelá-las, dizendo “toma, bala feia, bala malvada”. Desculpe-me, mas isso não é revide, pois seu exército deveria infligir danos ao exército oponente. As balas não são seu adversário, mas somente os recursos utilizados por ele.

Um dos princípios mais básicos da guerra – e da guerra política, é claro – é saber identificar seu adversário. Sem isso, não há empreendimento racional de esforços. Quem ainda escolheu acreditar que “a prisão de Lelis fechou a questão” está brigando não com o time adversário, mas com a bola do jogo, e não com o exército adversário, mas com a bala disparada por ele.

Qual dano causado aos reais adversários de Feliciano com a prisão de Lelis? Nada. Neca de pitibiriba. E agora sabemos que ele tinha os fatos em suas mãos, ou seja, poderia ter escolhido deixar seus adversários reais em maus lençóis deste o início.

Este blog faz simplesmente a análise política da questão. Se ele é inocente ou culpado, essas constatações significam apenas pontos contra ou a favor no combate político. Mas depende do próprio Feliciano utilizar os pontos a favor dele. Parece bem claro que a inocência era um “ativo” que ele deveria ter utilizado desde o início para respaldar um ataque fortíssimo contra seus adversários.

Em vez disso, ele escolheu ficar quatro dias em silêncio, o que deve entrar pra a história dos desastres políticos republicanos, algo comparável aos longos períodos de “surra sem reação” tomados por Aécio Neves nas eleições de 2014 e Eduardo Cunha em 2015 e 2016.

A situação de Cunha não era uma moleza tão grande, mas ele poderia ter escolhido partir para o ataque. Hoje certamente estaria em situação diferente, e bem melhor. A situação de Aécio nas eleições de 2014 já era bem mais fácil. Mas sua assessoria escolheu apanhar calada durante semanas.

Agora vemos que a situação de Feliciano era uma moleza (pois a garota estava mentindo) e ele escolheu ficar calado, permitindo a desconstrução de sua imagem. Tristemente, para seus assessores, vemos que a cada notícia mostrando que Patrícia Lélis mentiu – e, logo, Feliciano teria os fatos a seu favor – somente servem para amplificar seu erro político, já imperdoável.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

13 COMMENTS

  1. Meu Deus, esse texto parece que saiu da Carta Capital e foi colado aqui.
    É tão “nós queremos destruir o Feliciano” por ataque ou por acusar o que ele fez de “errado” que poderia ser publicado no Carta Capital, Carta Maior, Brasil 247, O Cafezinho, Limpinho e Cheiroso, Viomundo, Conversa Fiada, Ópera Mundi, Diário do Centro do Mundo e Revista Fórum.

    Ele é crente! Isso tudo só vai voltar pra ele como legitimidade.
    Ele já sobreviveu a campanha de que era racista, homofóbico, enrustido, desumano nos direitos esquerdistas … e até: estuprador. Próximo passo da esquerda é plantar que ele “é” pedófilo.

    Gosto muito do site, mas o Luciano com esse tema do Feliciano … só pisa na bola.

  2. Feliciano, agiu corretamente, a única coisa que ele poderia garantir na ocasião é que não tentou estuprar a militonta, mas se seu assessor tivesse tendo um caso com ela e a tivesse ameaçado! a negação inicial de Feliciano teria sido usado contra ele. Feliciano, ao esperar a investigação se saiu mais fortalecido dentro do seu eleitorado atual e potencial, já que foi provado que a garota é uma militonta louca, logicamente os inimigos de Feliciano sempre vão usar essa mentira nas sombras, mas é o esperado. Luciano, vc realmente acha que ele saiu enfraquecido dentro do seu eleitorado cativo e potencial, depois que foi provado que a menina é louca, até pq a noticia do pedido de prisão dela foi bastante noticiado?
    Feliciano, é um político limitado dificilmente passara de deputado, mas na minha opinião terá mais votos em 2018 do que teve em 2014, em parte graças a essa militonta louca.

    • Não é para negar, Rinoceronte, mas ATACAR os oponentes. Negar é sempre besteira, a não ser que alguém tenha a mídia em mãos.

      Você pergunta: “Luciano, vc realmente acha que ele saiu enfraquecido dentro do seu eleitorado cativo e potencial, depois que foi provado que a menina é louca, até pq a noticia do pedido de prisão dela foi bastante noticiado?”

      Esse é o sinal da morte política. A pessoa desiste de novos mares e se volta ao seu eleitorado cativo. Esse fenômeno acontece sempre que você é seriamente abalado politicamente. Já notei vários adeptos de Feliciano dizendo “ah, mas tem o eleitorado cativo”. O problema é exatamente esse. Se conformar com isso.

      Você ainda diz: “na minha opinião terá mais votos em 2018 do que teve em 2014, em parte graças a essa militonta louca.”.

      Eu também acho que isso é possível, mas ninguém vai colocar projetos de lei na mão dele, e nem deixá-lo assumir frentes relevantes, pois o abalo político foi absurdo.

      Vai ser como Eduardo Cunha: vai ter que se conformar com seu eleitorado cativo, mas perde nos quesitos de LIDERANÇA política. Uma pena. Foi uma escolha.

  3. Você deu uma bola fora com um político situacionista que não lhe agrada e insiste em conduzir a narrativa alheia que você não conhece a fundo. E a justificativa é a guerra política que você parece querer jogar sozinho. Já te falei e repito… um sniper como você não tem o alcance supremo da guerra instalada. Mais humildade lhe faria bem.

    • Paulo, evite as frases de efeito e foque nos fatos. A guerra política é inevitável. Não existe isso de “Luciano quer que alguém jogue a guerra política”. Ou alguém a nega ou a joga, mas é impossível escapar dela. Os fatos mostram que Feliciano teve que sair da CPI da UNE. O que aconteceu com os adversários dele? Os fatos mostram que há uma representação contra ele. Qual representação foi lançada contra os oponentes dele?

      Ademais, você parte de um espantalho: “político situacionista que não lhe agrada”. Por que não me agradaria? Algumas iniciativas dele eram apoiadas aqui.

      Você confunde crítica tática com crítica ideológica ou qualquer coisa do tipo. É um erro absurdo. A crítica feita ao Feliciano é identica a que já fiz no passado a Aécio (durante as eleições de 2014) e ao Cunha (durante 2015 e 2016, se recusando a “bater” no PT).

      Enfim, a guerra política está aí, assim como estão as marés e a direção do vôo dos passaros marinhos. Não é algo que caiba a mim “querer” ou não.

      • Fosse eu um analista político, teria uns 10 motivos para supor uma revisão da estratégia do Marco Feliciano, mas como sou só um dentista, me atrevo a intuir 2 ou 3…
        1- mesmo uma vitória jurídica poderia trazer consequencias em um eleitorado feminino em uma futura eleição.
        2- a CPI da UNE era uma aporrinhação que não traria grandes benefícios estratégicos e sair dessa luta me pouparia para outras mais importantes.
        3- quem estava pegando no pé da UNE era o Marco Feliciano, e ele fez mais estrago divulgando as picaretagens dela do que o inverso.
        Como vê, não há limites para as justificativas do MF. E ele até já deu uma, que você não menciona no post, não sei por que motivo (http://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2016/07/deputado-marco-feliciano-ja-nao-faz-questao-da-cpi-da-une.html).
        Estes seus posts de picuinhas fortuitas contra certos personagens me lembram aqueles comentários do Galvão Bueno sobre coisas que ele imagina estar acontecendo, mas que depois de averiguadas não passaram de conjecturas.
        Só sabe da vida alheia quem vivencia tudo o que o outro vive.

  4. No fim do século XIX, numa época em que os juízes seguiam as leis e em que havia uma lei condenando a prisão quem fosse pego praticando atos homossexuais, Oscar Wilde, um dos mais brilhante escritores ingleses do período, foi acusado de ser homossexual. Sabendo-se “culpado”, mas movido por brios estranhos à nossa cultura de sarjeta do século XXI, Wilde resolveu entrar na justiça com uma ação contra o acusador, o pai do rapaz com o qual ele, Oscar Wilde, mantinha um relacionamento amoroso. Resultado: Wilde foi condenado e preso. Mesmo nos horrores da cadeia vitoriana, Oscar publicou seu Canto do Cisne, prova indiscutível de que a lei era retrógrada e foi um tremendo prejuízo para o patrimônio cultural da Humanidade (ou não, a “De Profundis – Balada do Cárcere de Reading” talvez nunca tivesse sido escrita se Wilde não tivesse sido preso).

    É desta histórica trágica que me lembro cada vez que leio sobre a inação de Feliciano ante as acusações de que foi e está sendo vítima.

  5. este site é uma bosta mesmo, defende aécio (pó) neves, infelizmente fui empregado indiretamente do TANCREDO PICARETA NEVES (enterrado como herói nacional), na realidade aquele baixinho era um puta malandro, corrupto (como seu neto do pó) e neste pais tudo o que é errado é certo, e o que é certo é errado ( pensamento a favor dos coxinhas, elite porca), tenho vergonha de ser brasileiro, pais em que a lei de gerson (vantagem em tudo) vigora com a mais ampla exatidão (salvo raríssimas excessões), tudo aqui neste pais caminha ao lado do errrado, do coluio, da corrupção, do “jeitinhobrasileiro”, vão se fuder elite porca.

    • voce é retardado ou pede para ser? ninguem aqui defende aécio neves, a questao é escolher um mundo menos pior, e querer falar de corrupção tucana, e esquecer o estratosférico rombo petista, é no minimo, engraçado… mas é tragicomigo mesmo…

      PS: Luciano Ayan, coloque seu site lucianoayan ao lado, em um banner, para que essas mulas possam compreender que voce esta nessa há anos;

      Att

    • mais engraçado é a velha retorica de elite porca, agora eu pergunto, qual empreiteira ganhava da odebrecht e tamanho? o sujeito parece ignorar que a empresa aliada do pt, construiu rodovias ate em ditaduras africanas, ah mas claro, o joaozinho maria nao deve saber disso, deve ser leitor dos maravilhosos sites DCM, 177…!

  6. OBS:.. luciano, voce deveria colocar todas as novidades, na pagina inicial, do jeito que esta, parece que o site é pouco atualizado, o conteudo de algumas categorias nunca aparecem na pagina inicial, verifique isso!

Deixe uma resposta