Padrão petista se repete com narrativa do “excesso”, agora em favor de Mantega

5
41

A análise orientada a padrões é uma das disciplinas mais fascinantes do entendimento do comportamento humano. Usada na política, se torna ainda mais fascinante. Observar o comportamento petista é observar a recursividade de alguns padrões que servem, no fim das contas, para provar que eles não têm como se defender das denúncias contra Lula e Mantega.

Por exemplo, na semana passada, quando Lula foi denunciado pelo MPF, os petistas iniciaram a narrativa de que “ocorreu um excesso” na ação dos procuradores. Obviamente, isso não ocorreu. Sérgio Moro aceitou a denúncia. Se havia um “excesso”, era na quantidade de crimes praticados por Lula.

Agora vemos Mantega ser preso – e libertado depois, por Moro – e a repetição do padrão: o problema estaria no fato de ele ser preso após sair de um hospital, onde sua esposa estava submetida a uma cirurgia de câncer. Depois se descobriu, por via das declarações de sua filha, Marina Mantega, que a mãe havia sido submetida apenas a uma endoscopia.

Claro está que os petistas já não têm como defender Lula e Mantega. As evidências são volumosas demais. Restam a eles truques psicológicos e chantagens emocionais para, a partir de distinções de emergência, comentar sobre “excessos” de procuradores ou juízes.

Na verdade, não existe nenhuma legislação contra o uso de Power Point por procuradores, e nem contra a prisão de criminosos após terem ido visitar parentes em instituições hospitalares. Mas os petistas inventaram essas regras de última hora. Schopenhauer deu um nome a este método: distinção de emergência.

No caso petista, como sempre, o truque é utilizado da forma mais suja possível. A pergunta é: você vai desmascarar esses truques ou deixará que os petistas morram de rir de você ao cair neles?

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. E vão continuar com a gritaria a cada novo acontecimento, é o que lhes resta. Cabe a nós. desmascará-los prontamente. Viu o que estão fazendo com as medidas na área da Educação? Distorcem tudo, inventam mais um pouco e enganam alunos, pais e professores. Que gentinha, meu Deus!…

  2. E não se preocuparam em humanitarismo quando saquearam a PETROBRÁS.
    E não se preocuparam em humanitarismo quando tomaram dinheiro daqueles que já estavam com a corda no pescoço e buscavam EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS.
    E não se preocuparam em humanitarismo quando saquearam os FUNDOS DE PENSÃO.
    E não se preocuparam em humanitarismo quando CAUSARAM DESEMPREGO.
    E não se preocuparam em humanitarismo quando TOMARAM RECURSOS que poderiam diminuir o sofrimento nas FILAS DO SUS.

  3. Endocospia é cirurgia? A Marina Mantega, filha do Guido, disse que ela (mulher do GM) estaria em procedimento de Endocospia. É um procedimento muito comum e sem qualquer consequência ao paciente. Exame simples e rápido

  4. Por favor , Luciano Ayan, não existe a construção “não possuem como se defender das denúncias contra Lula e Mantega”. Em lugar do verbo “possuir”, o correto seria usar o verbo “ter”: “não têm como se defender das denúncias contra lula e Mantega”. E ainda há uma segunda ocorrência com essa mesma construção. Entenda como crítica construtiva, por favor.

Deixe uma resposta