Jandira e Erundina: extrema-esquerda tentou tirá-las da disputa para ajudar dois candidatos homens

1
55

Os petistas – junto com a extrema-esquerda, em geral – não apenas tomou uma baita de uma sova nessas eleições, como também perdeu qualquer moral para utilizar a narrativa do “empoderamento” feminino.

Sempre soubemos que a extrema-esquerda despreza as mulheres. Apoiam a ditadura de Nicolas Maduro, que pratica abuso sexual contra Lilian Tintori (esposa de Leopoldo Lopez) e quebrou o nariz de Maria Corina Machado. Defenderam ataques e xingamentos contra Yoani Sanchez e Janaína Paschoal. Tempos atrás, agrediram a deputada Sheridan na Câmara dos Deputados. Em áudios, foram pegos fazendo piada de estupro e chamando as feministas de “mulheres de grelo duro”. E isso é só o começo. Em suma, esse partido é perigoso para as mulheres.

E o que dizer agora, nas eleições das capitais de São Paulo e Rio de Janeiro? De uma hora para outra, os petistas fizeram força para que Jandira Feghali (do PCdoB, no Rio) e Luiza Erundina (do PSOL, em São Paulo) desistissem de suas candidaturas.

Elas não desistiram, mas a campanha pelo voto útil seguiu. Como resultado, ambas fracassaram de modo humilhante nas urnas. E foram obrigadas a desistir em benefício de… dois candidatos homens.

E aí, feministas, vão falar o que do PCdoB, do PSOL e do PT agora? Onde esteve o “empoderamento”?

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Extrema-esquerda USA as mulheres. Como usa os índios, os negros, os pobres, os gays ou qualquer coisa que se mostre aproveitável. Um dia, espero por ele , os “usados” se darão conta disso conta disso…

Deixe uma resposta