A falha de caráter na “dúvida consciente” entre Crivella e Freixo

9
52

Stephen Kanitz escreveu: “Calma, a Universal só quer 10%. O PSOL quer 70%”. A frase – lida, por este que vos escreve, no Facebook de Alexandre Borges – resume bem a situação atual da disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro.

Aquele que decide emitir a narrativa de que “é difícil escolher entre os dois” – por questões de repúdio à Igreja Universal -, ainda não entendeu exatamente o que está em questão. Essa é uma falha moral dependente de discussão. (A não ser, evidentemente, que se trate de um socialista com intenções totalitárias, mas estes últimos estão fora do debate ético e racional sobre as eleições)

Li em algum lugar que é “melhor ter um crente batendo à sua porta do que um ladrão pulando seu muro”.

Aqueles que estão declamando uma “dificuldade de escolha” parecem não ver tal diferença.

Por mais que alguém possa criticar as “doações à Igreja Universal”, um indivíduo não tem como demonstrar que isso é mais imoral do que o uso da coerção para retirar riqueza dos outros.

Marcelo Freixo representa o uso do estado – em sua força máxima e do modo mais fascista possível – para retirar riqueza da população pela via da coerção. As doações feitas aos pastores religiosos não advém da coerção.

Não demora para surgir o discurso neo-ateu dizendo que “os pastores fazem uso de técnicas de manipulação psicológica”. Mas não há nada de violento nisso, pois o próprio discurso neo-ateu também está atrelado aos mesmos recursos.

Querer determinar que tipo de sugestões psicológicas as pessoas podem escolher não deixa de ser outra forma de violência. Assim, o mesmo direito que um neo-ateu tem de doar recursos para a Fundação Richard Dawkins, um religioso tem de doar recursos para uma igreja. Em ambos os casos falamos de alocação voluntária de recursos privados.

Por mais que alguém não goste – e tanto um religioso pode criticar doações ateístas a Richard Dawkins, como um ateu pode criticar doações religiosas aos pastores -, para alguém sem distúrbios morais só cabe algo: se conformar e respeitar a liberdade alheia.

Todavia, os impostos extorsivos defendidos por figuras como Freixo não respeitam nenhum tipo de liberdade. Eles cospem na individualidade e defendem que, pelo uso da força coercitiva do estado, cidadãos sejam esfolados em nome de projetos totalitários de poder.

Seguramente podemos dizer que “ficar em dúvida entre Crivella e Freixo” em alguns casos é sinal de falha de caráter. Claro que não podemos acusar individualmente todas as pessoas “com dúvidas” pela mesma falha grave de caráter. Muitos estão sugestionados por propagandistas desonestos.

Mas caso alguém tenha o menor traço de consciência política, não há justificativa para praticar a equivalência moral entre doações voluntárias e espoliações abusivas.

Votar em Freixo é imoral. Ficar na dúvida entre os dois também o é.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

9 COMMENTS

  1. Eu sou uma dessas pessoas que está dividida. E não tem nenhuma ligação com qualquer preconceito religioso! O Único e IMENSO senão que me apavora no Crivella é sua ligação com o Garotinho, figura que os cariocas sabem bem no que dá quando está no poder! Esse sim, pior do que o aval de Lula, para os cariocas é assinar uma sentença! Detesto tudo o que o Freixo representa, mas o Garotinho e Rosinha… livrai-nos Deus! Esse é o problema, entenderam? O discurso de ser da Universal ou não, pra mim não faz diferença! 😉

  2. Dica: Freixo é contra o uso da força pelo Estado (quando fala em desmilitarizar a polícia), e vcs não tem base nenhuma pra falar em impostos abusivos ou comparar Freixo com o “ladrão pulando o muro”

  3. Eu voto a em crivella e nunca me decepcionei com ele ,as pessoas tem mania de julgar o homem se conhecer sua trajetória de vida ,ler os livros e escuta os CDS dele ,se ele está na posição e pra ajudar e já ajudou muita gente e ele é ficha limpa casado com a mesma mulher a anos , pai de família exemplar , a igreja universal e a instituição que mais ajuda as pessoas , eles vão ao presídios,favelas ,centro da cidade tirar drogados e assaltante das ruas e uma série essa igreja não fosse tão boa assim pq embaixada brasileira está em 120paises e é a Igreja universal está em 180 países isso é uma honra para os Brasileiros , em respeito ao dismo todos igrejas pedem, o judeu e próspero pq eles dizimam desde fundação do mundo

Deixe uma resposta