Com munição de sobra, será que Trump escolherá vencer ou perder o debate de amanhã?

1
95

As últimas notícias da disputa eleitoral nos Estados Unidos mostram que os esquerdistas não poupam esforços nos ataques a Donald Trump.

Revelaram um áudio de 2005 de uma conversa do republicano com o apresentador Billy Bush. Trump disse: “Eu sou automaticamente atraído pela beleza – eu simplesmente começo a beijá-las. É como um imã. Simplesmente beijo. Eu nem espero. E quando você é famoso elas deixam você fazer isso. Você pode fazer qualquer coisa”.  Trump também havia dito na época que não dava a mínima se essas mulheres eram casadas ou não.

Isso causou dano à campanha do republicano.

Ontem ele divulgou uma gravação onde disse: “Nunca disse que sou perfeito e nunca fingi ser alguém que não sou. Eu tenho dito e feito coisas que me arrependo, e as palavras divulgadas em um vídeo que tem mais de uma década são uma delas. Qualquer um que me conhece sabe que essas palavras não me definem. Já disse: me equivoquei e peço desculpas”.

Daí ele aproveitou para dizer, sobre Hillary: “Há uma grande diferença entre as palavras e as ações de outras pessoas. Bill Clinton abusou de mulheres e Hillary perseguiu, atacou, envergonhou e intimidou suas vítimas”.

Trump disse que “falará mais” do tema no segundo debate presidencial deste domingo.

Hillary, por ter um cérebro mais ágil politicamente, já foi para o ataque, dizendo, sobre Trump: “Isso é horrível. Nós não podemos permitir que esse homem se torne presidente””

O detalhe é que esta semana também tivemos vazamentos de declarações que Hillary deu a banqueiros de Wall Street entre 2013 e 2015. Nessas declarações, ela demonstrou uma posição pró-mercado diferentemente da que adota em sua campanha. Ou seja, foi pega mentindo para seus eleitores.

Perto do vazamento de Hillary, os áudios de Trump significam nada.

Agora Trump entra em uma escolha: ou ele decide ir para o jogo político contra Hillary ou perderá a eleição de modo vergonhoso.

Para início de conversa, ele poderá esfregar os casos extraconjugais abusivos de seu marido, Bill Clinton. Segundo, poderá explorar os vazamentos do Wikileaks, que comprometem Hillary.

No primeiro debate, Trump escolheu perder, por ficar na defensiva. Cabe agora ele tomar a escolha da vitória, que voltou para suas mãos. Principalmente depois do ataque de Hillary (e da exploração que ela fez dos áudios de 2005), se Trump não for para o ataque, é por que não merece vencer mesmo.

Eis a pergunta que fica no ar: Trump escolherá vencer ou perder o debate de amanhã?

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Trump tinha que começar respondendo que em 2005 era pró-democrata. E que neste partido ninguém se invomodava se era puro ou não, vide Clinton.

Deixe uma resposta