Votação em lista fechada é golpe de Maia para acabar com a democracia

10
87

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está devendo explicações ao povo brasileiro, pois resolveu partir para a provocação. Foram vários cuspes na cara do povo brasileiro.

Para início de conversa, ele nomeou – na manhã desta quinta-feira – um relator petista para a proposta de reforma política: o deputado Vicente Cândido (PT-SP). Isso é gozação.

Em seguida, o próprio Maia propõe o fim da democracia, com a adoção de um sistema imundo baseado em lista fechada. Ou seja, o eleitor perde o direito de votar em candidatos, só podendo votar em partidos. Isso tudo é medo de que rejeitemos candidatos corruptos? Estão querendo proteger a quem?

Para que Maia não se finja de desentendido, ele realmente propôs esta aberração: “Da última vez, perdemos por dez votos e o ambiente é mais propício hoje porque não temos mais financiamento empresarial. Além de existirem bons exemplos na Europa, o custo das eleições é mais barato”.

Vamos explicar como funciona essa vergonha em forma de projeto, como bem lembrou a amiga Patrícia Bueno:

  1. O partido entrega uma lista EM ORDEM NUMÉRICA dos candidatos a vereador/deputado;
  2. Ocorre a eleição, o partido conquista, por exemplo, 3 vagas;
  3. Os candidatos de 1 a 3 são eleitos (não interessa se eles tiverem recebido menos votos do que os outros).

As consequências são imediatas. Esqueça qualquer tipo de renovação na política. Se você está insatisfeito com os políticos atuais, terá de aguentar calado, pois quem passa a escolher os eleitos é o partido, e não mais você. E somente os amigos dos caciques partidários são escolhidos. Em outras palavras, gente como Lula, Ciro Gomes e Eduardo Cunha vão selecionar os “eleitos”, que na verdade nem mais serão eleitos. É mole ou quer mais?

A proposta não é apenas autoritária, como ofensiva, pois diz que o povo não sabe escolher aqueles que os representam, ficando a decisão apenas com os caciques do partido. Com a proposta, Maia manda a vontade dos eleitores para a vala. Só vale a vontade dos que elaboraram as listas.

Surpreende que Maia – eleito pelo voto direto, que nem mesmo ele está respeitando – tenha a coragem de vir ofender o povo deste jeito.

Vamos aceitar isso calados?

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

10 COMMENTS

  1. A vedadeira politica não deveria eleger pessoas, mas idéias, de preferência idéias que cada partido defende em seus valores e crenças, caso contrário o voto será no mais bonito, simpático, carismático, popular, animado, engraçado, e tudo isso é bom pra eleição em concurso de beleza e coisas do gênero, mas pra política partidária é ruim e para os votantes é ainda pior, já que uma pessoa com uma campanha pessoal melhor apresentada ganha, e isso não significa que o plano de governo será bom para a população, de forma que votar em pessoas desvirtua a necessidade da existência de partidos e suas crenças, além disso a pessoa se achando dono do voto resolve sair desse e ir para aquele partido acreditando que é um popstar popular e não precisa necessariamente respeitar ou aceitar as crenças partidárias, e isso não tem nada de melhor que o voto em lista. O direito de votar numa pessoa em especial não é mais inteligente que votar numa lista partidária, mesmo que as pessoas que compõem essa lista sejam indicadas pelo partido, pois pelommenos o partido poderá ser respnsabilizado se a administração do escolhido não seja boa ou catastrófica como foi a da Dilma e Lula.

    • O discurso teu é cheio de floreios mas não dá uma razão moral para proibir os eleitores de votarem em seus candidatos. Obviamente, não há boa intenção por trás dessa ideia. Nesse site, ninguém cai em truques assim.

Deixe uma resposta