É preciso acabar imediatamente com o foro prilegiado. E a prisão de Cunha dá o melhor argumento para isso. 

0
56

O Implicante lembrou algo muito importante:

Era 3 de março de 2016 quando Eduardo Cunha tornou-se réu pela primeira vez. O STF ainda aceitaria uma segunda denúncia antes de o ex-presidente da Câmara ser cassado por seus colegas em 12 de setembro. O peemedebista passaria esses 193 dias em liberdade.

Sérgio Moro aceitou denúncia contra Cunha em 13 de outubro passado. Apenas 5 dias depois, por conduta inapropriada da parte do ex-parlamentar, autorizou a prisão pedida pelo Ministério Público, que só veio a se concretizar no dia seguinte.

Isso só comprova o óbvio: precisamos acabar com o foro privilegiado.

O STF ficou definitivamente envergonhado de novo: a velocidade de Sérgio Moro em aplicar a justiça contrasta com a letargia da Suprema Corte, que sai muito queimada deste episódio.

O foro privilegiado precisa acabar imediatamente.

Que a prisão de Eduardo Cunha anime a luta contra a impunidade de gente do colarinho branco.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

Deixe uma resposta