Como fazer para o truque de Lula diante da ONU detonar ainda mais sua imagem (e a do PT)?

3
114

Se existe um engabelador da República, este é o sr. Lula, incapaz de reagir aos eventos do mundo sem truques em mãos. Foi assim que ele lançou uma petição à ONU contra Sérgio Moro. Do mesmo modo, seus advogados andaram divulgando hoje que a ONU “aceitou a denúncia” de Lula contra Moro.

Nada de muito factível se pode esperar de uma comemoração tão teatral dos advogados do ex-presidente bolivariano. Na verdade, a ONU não aceitou denúncia coisíssima nenhuma. Apenas deu sequência no processo, formalmente, e requisitou informações. Como sempre, tudo não passa de jogada de marketing.

Boa parte dessa jogada é baseada em subcomunicação. Para os próprios militantes, Lula seria vendido como injustiçado. Para o restante da patuleia, Lula seria vendido como alguém que deve viver sob privilégios. Logo, todos poderiam ser punidos pela Lava Jato, menos Lula. Fazer com que muitos aceitem inconscientemente que a prisão de Lula “é menos aplicável” – unicamente pelos jogos que ele joga – é um resultado esperado do ardil. A patuleia compreende que pessoas mais “distantes de punição” são automaticamente superiores.

Você pode perceber o resultado do truque ao conversar com pessoas que não tenham tanta consciência dos jogos políticos. Muitos dizem que “finalmente Cunha foi preso” – ou seja, se tratava de uma obviedade -, enquanto as mesmas pessoas podem dizer “mas será que Lula será preso mesmo?”. É por isso que a ação de marketing de Lula visa transformar toda a trajetória de sua prisão nessa epopeia vivida por um “mártir perseguido”.

O melhor combate contra o truque é bem simples: ridicularizar a ação de Lula na ONU e, além disso, subcomunicar ao mesmo público que “se Lula não está preso, ninguém mais deveria estar na cadeia pela Lava Jato”. Isso quebraria o frame de Lula. Para tal, bastaria exigir a coerência dos procuradores e juízes, transformando a prisão do psicopata-mor em ponto de honra.

Em seguida, é preciso dizer que chega a ser injusto que alguém esteja preso antes dele. Vale ressaltar que se algum dia, por precedente aberto (pela ação de Lula à ONU), todos os presos da Lava Jato forem soltos, isso terá sido culpa única e exclusiva do esperneio do bolivariano.

Observe que todo esse processo narrativo pode acontecer enquanto Moro e os procuradores seguem trabalhando. Quer dizer: a mera sequência da petição na ONU não serve para livrar a cara de Lula. Ao contrário, serve para aumentar a pressão por sua prisão – pois agora ele oficialmente é reconhecido como o único que tentou escapar da Lava Jato, enquanto tantos outros estão presos.

A coisa pode piorar até mesmo para a ONU, uma vez que a organização poderá ser pressionada a respeito da possibilidade de decidir acabar com a Lava Jato – lembre-se de que “ou Lula vai para a cadeia, ou ninguém mais deve ir preso na Lava Jato”. Claro que a ONU não seria maluca a esse ponto, mas o importante é o desgaste que a organização pode sofrer até o dia em que mandar de vez o processo de Lula para a vala.

Em resumo, se a guerra de narrativas for jogada – e a verdade está do lado dos que apoiam a Lava Jato e, com isso, exigem a prisão do chefão -, a petição de Lula à ONU pode ser um tiro no pé do petista.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Nesse caso eu concordo com os antagonistas. Ele está tentando cavar uma fuga para o exterior. Ele sabe que essa palhaçada na ONU será ignorada, mas isso vai se tornar a justificativa para algum governo amigo conceder refúgio a ele. Daí até que a ONU de fato aprecie o caso dele, a poeira já baixou e ele já vai estar seguro.

    A polícia federal tem que ficar esperta nas fronteiras. É possível que ele tente fugir para o Uruguai ou mesmo ir para o Paraguai, para então ir para outro destino por lá. Embora os paraguaios sejam contra o PT, as fronteiras deles são notoriamente mal fiscalizadas.

Deixe uma resposta