PSL fez papelão ao adotar bizarra campanha "nem, nem" em relação a disputa Crivella X Freixo

4
90

Os resultados estão aí. Marcelo Crivella venceu o totalitário Freixo com quase 20% de vantagem.

Alguns grupos saíram perdendo. Em primeiro, os totalitários, que tinham a esperança de colocar o PSOL no lugar do PT. Em segundo, alguns direitistas que resolveram optar pela campanha “nem, nem” e ficaram em cima do muro. Raras vezes vimos algo tão vergonhoso.

Não sei o que deu no PSL mas ultimamente o partido tem adotado a ética da equivalência moral. Com isso, conseguirá desagradar tanto esquerdistas como direitistas. Mas essa é a beleza da política: quase tudo relacionado a ela é baseada em escolhas.

Essa mensagem publicada ontem pela ala “Livres” do PSL é digna de vergonha alheia:

freixo_crivella

Isso é repugnante.

Decerto podemos criticar Crivella, principalmente pelas alianças com o PT de longa data. Mas há uma diferença entre um político que saiu do barco no momento certo com outro que se agarrou ao PT até o final. Há uma diferença entre um político fisiológico em aliança temporária com um partido totalitário com outro dedicado fortemente a ajudar o totalitário a destruir sua vida.

Quem não percebe esta diferença demonstra ser uma pessoa perigosa, capaz de jogar alguém no fogo puramente por jogos sádicos de “simulação de murismo”.

Por exemplo, imagine que acontece um apocalipse zumbi e você está escondido numa casa para se proteger dos mortos-vivos. Suponha que esteja o Crivella lá dentro e você não seja evangélico. Você pode até se incomodar com algumas crenças dele. Mas há uma diferença entre ficar ao lado dele por um tempo e abrir a porta para os zumbis matarem todo mundo. Não perceber esta diferença é uma equivalência moral.

No segundo turno, só um candidato apoiava um projeto bolivariano de poder. Só um candidato apoiava a criação intencional de colapsos econômicos, racionamento de alimentos e aprisionamento de adversários políticos. Não eram os dois candidatos que estavam a favor dessas aberrações. Só um. Mas no anúncio do PSL, “não tem diferença”.

Como vergonha ainda maior, o PSL adquiriu a mania de fabricar falsos elogios aos totalitários. Disseram: “ambos [Crivella e Freixo] querem mesmo é cuidar de sua vida”. Mentira deslavada. O que Freixo sempre quis foi cuidar do projeto de poder dele e de seus companheiros socialistas. Cuidar “da sua vida” é a última das prioridades de Freixo.

Ou o PSL começa a pedir desculpas por mensagens vergonhosas como estas acima ou deve ser considerado um partido inimigo dos direitistas.

Em resumo: por mais que discordemos de Crivella, há uma diferença abissal entre ele e Freixo. A incapacidade de perceber essa diferença é uma falha moral imperdoável. O que Freixo sempre quis foi destruir a vida do povo em nome de projetos totalitários de poder. Não vai conseguir desta vez. Em relação a essa questão, o PSL mentiu para o povo.

Que vergonha, PSL, que vergonha…

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Luciano, se possível gostaria que comentasse o debate do Arthur do Val com o Nando Moura. Ok que foi feito pelo duvidoso Terça Livre e mediado por aquele sujeito bizarro, mas, se puder comentar – pode ser respondendo aqui esse comentário mesmo, ou então uma rápida postagem no facebook – vou ficar bem agradecido.
    Minhas impressões foram a de que Nando Moura é bem esperto, sabe apelar pra emoção, sabe citar casos que façam comover, pegando casos horrorosos e falando “tá vendo, é isso aqui que os liberais apóiam”. E achei o Arthur bom e estável, mas arregão em algumas coisas, em especial na parte em que citam o Bolsonaro, na qual ele poderia ter criticado o discurso estatista que Bolsonaro mantem há anos e que diverge, inclusive, da única coisa em que ambos ali concordavam, que é a economia.

    No mais, que belo domingo esse, no qual o PT perdeu em TODAS as cidades que disputava reeleição. Não tem PT em nenhuma capital. Difícil não ficar animado pra segunda-feira após um domingo desses.

  2. Inteiramente de acordo! Essa mania de bancar o bom-moço, o purinho, não leva a nada. É preciso identificar os maiores inimigos, focar neles como inimigos e envidar todos os esforços no sentido de golpeá-los, inclusive com alianças pontuais e circunstanciais com outras forças políticas.

  3. Quero ver post reconhecendo q os Bolsonaros, acusados de ñ terem estratégia e serem extremos, conseguiram ser mais pragmáticos ao apoiar Crivella q o PSL, que optou por não enxergar o óbvio e jogar ambos os candidatos no mesmo saco de merda.
    Isso prova que o PSL está mais para um partido Left Lib do que liberal. Liberais de verdade entendem que há questões morais que são importantes além de apenas economia.

  4. O PSL nem está tão errado assim uma vez que o projeto de poder é a “vida” do Freixo e demais esquerdistas, parece que eles só existem para isso!

Deixe uma resposta