Burros: Brasil247 comemora o fato de Aécio estar fora da briga em 2018

11
108

Na guerra política, a melhor coisa é ter pela frente um adversário fraco. Como a extrema-esquerda quer emplacar Ciro Gomes em 2018 – o que não é muito fácil -, o ideal para eles é lutar contra Aécio Neves em um segundo turno.

A razão para isso é simples: Aécio tem sérios problemas cognitivos para compreender a guerra política. Não compreende a linguagem da guerra de rótulos e vive caindo em armadilhas dos adversários. Para piorar, não sabe ir para o ataque. Recentemente, foi rotulado de golpista e xingado por petistas. Em retribuição, foi abraçar seus agressores e até rir junto a eles, como na imagem que ilustra este texto. Em suma: Aécio deve ser a maior vítima de bullying no Senado.

Nas eleições de 2014, fez papelão ao perder um jogo ganho para Dilma. Começou o segundo turno com 4 pontos à frente e terminou perdendo por 3. Lembre-se que ele tinha o mesmo tempo de televisão. Quer dizer: nem mesmo a desculpa de Marina no primeiro turno ele tinha. Em dado momento, recebeu o rótulo de “agressivo com as mulheres” por ter chamado Dilma de leviana. Ao invés de reagir de modo adulto – ou seja, rotulando Dilma de cínica e esfregando casos de agressão à mulheres praticados por petistas e até por Nicolas Maduro -, pediu desculpas. Talvez esse tenha sido o momento decisivo para sua derrota. Mas toda sua campanha foi um show de masoquismo. Parecia que ele gostava de apanhar.

Ao fim da campanha, eu argumentei que, no futuro, deveríamos definir a campanha de Aécio Neves como um crime moral.

Por isso, mesmo a extrema-esquerda deveria torcer para tê-lo como adversário. Mas eis que o Brasil247 comemora por isso:

burros

A vitória de Alexandre Kalil (do PHS) em Belo Horizonte realmente complica a vida de Aécio para 2018. Ele perdeu em casa pela segunda vez: em 2014, seu candidato Pimenta da Veiga foi vencido por Fernando Pimentel, do PT. É claro que o capital político de Geraldo Alckmin cresce consideravelmente.

Mas isso não deveria ser motivo para a extrema-esquerda comemorar, mas se desanimar. Perder um adversário fácil – e que tem o maior jeitão de masoquista – é mais uma razão para os petistas ficarem preocupados.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

 

Anúncios

11 COMMENTS

  1. Em minha opinião Alkimim é uma das piores opções para o PSDB para a presidência, ele não tem carisma nenhum, é insosso e não consegue cativar a população. Aécio pode não ser excepcional em guerra política, mas é um estadista.
    Acho bom lembrar que as eleições presidenciais foram fraudadas. Aliás o significado de cinismo está sendo utilizado de modo errado, cinismo não significa falsidade, mas exatamente o inverso, uma pessoa que é tão sincera que acaba sendo grosseira ou demonstrando descaso.

    Fraude:
    http://spotniks.com/exclusivo-especialista-demonstra-como-as-eleicoes-de-2014-podem-ter-sido-fraudadas/

    Cinismo:
    https://dicionariodoaurelio.com/cinismo

    https://pt.m.wiktionary.org/wiki/cinismo

    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Sarcasmo (na sessão distinções pertinentes com o cinismo)

  2. E o Alckmin, não é mais fraco que o Aécio? O Alckmin foi o único a reduzir a votação do primeiro p/ o segundo turno como azarão contra o 4 dedos. Sinceramente não sei se eles estão certos a comemorar, não. Talvez o Alckmin melhore até lá, quem sabe?

  3. “Começou o segundo turno com 4 pontos à frente e terminou perdendo por 3.”

    Isso supondo que não houve fraude na eleição, naturalmente…

    * * *

  4. Não sei não Luciano, o Alckmin não tem cara de que sabe bater. O Kalil venceu em BH justamente por que fez uma bem sucedida campanha de rotulagem do adversário, bateu sem dó, ao mesmo tempo em que se auto caracterizou como um não político.

    Muita coisa ainda vai acontecer até 2018. Em especial, novos desdobramentos da Lava Jato, que podem tirar de cena Alckmin, Aécio e Serra. O cenário ainda é incerto, nem a extrema esquerda e nem a direita pragmática podem comemorar neste momento. Ciro Gomes, alternativa da extrema esquerda, é um destrambelhado. Eu digo comemoração em termos de candidatos fortes. Em termos de apoio nas prefeituras e no congresso, a situação da extrema esquerda está pior do que a do seus adversários, e isso seria motivo para uma comemoração comedida.

Deixe uma resposta