Por que a lacrada de Milo para cima de um jornalista desonesto da BBC é um exemplo para todos nós?

5
52

O que vemos no vídeo ao fim deste post é uma aula de Milo Yiannopoulos a respeito de como tratar um jornalista desonesto.

Uma tática dos pilantras da mídia é embutir acusações no meio de perguntas, para depois fingir, com uma expressão simuladamente angelical e cínica, que apenas está sendo feita “uma pergunta”. Porém, desde que os guias de falácias nomearam a falácia da pergunta complexa – na qual alguém faz uma insinuação disfarçada de questionamento, como dizer “como você matou sua mãe?” para alguém que nem sequer está sendo acusado de um assassinato e ainda tem a mãe viva -, isso não deveria mais colar.

A grande vantagem da resposta de Milo é que ela também não dá chance para o jornalista se fingir de sonso. Ou seja, a má intenção do jornalista é apontada, bem como os jogos sujos jogados por ele.

Em suma, temos:

  • desmascaramento de falácia
  • apontamento da má intenção do oponente
  • ridicularização
  • posicionamento assertivo

É um combo completo de jogo político bem jogado em pouco mais de um minuto.

Assista:

Advertisements
Anúncios

5 COMMENTS

  1. Milo é muito inteligente. Existem outras pessoas na direita americana que sabem como enfrentar a esquerda e tem uma boa noção de guerra política. Mas, por outro lado, são pouco pragmáticas e restritas ao meio em que estão acostumadas a atuar. Vejo Ben Shapiro como exemplo disso.
    Milo é um cara extremamente midiático, umas personalidade que é envolvida e entende de cultura pop. Para o público que acompanha seu perfil nas redes e seu blog, ele não parece um intelectual ou algum especialista em política. É muito importante que a direita, ou direita alternativa – como ele mesmo intitula -, tenha mais pessoas como ele atuando dessa forma e atraindo um público diversificado. O trabalho dele tem sido fantástico, principalmente no embate cultural, e serve de inspiração.

Deixe uma resposta