Direita true fornece novo estágio de sandice: "conservador true" quer listar "liberais true"

6
164

Tem gente que decididamente não tem senso do ridículo. Já não bastasse o uso da retórica “true” – que tenta definir quem é a “real direita” e a “falsa direita” -, um integrante da direita true – que, para azar da direita conservadora, é um conservador – agora chegou ao cúmulo de querer dizer como deveriam ser os “liberais de verdade” para ele.

A figura é Paulo Eneas, talvez o mais engraçado dos direitistas true, principalmente depois que Alexandre Seltz tomou chá de sumiço.

Enéas escreve:

É evidente que existem diferenças entre conservadores e liberais. Mas tudo que não precisamos agora é estimular o racha entre estas duas correntes de pensamento que historicamente se situam no campo da direita. Até porque, um eventual racha resultaria da incapacidade de perceber que muito do que vem sendo chamado de “liberal” hoje não passa de uma esquerda maquiada e repaginada, que sequestrou tópicos da agenda econômica liberal por conveniência como forma de se livrar do desgaste do discurso oficial da esquerda representado pelo moribundo petismo.

Ou seja, existe, para ele, um “liberal” aceitável. Mas não é o liberal que conhecemos, pois este seria “uma esquerda maquiada e repaginada, que sequestrou tópicos da agenda econômica liberal por conveniência como forma de se livrar do desgaste do discurso oficial da esquerda representado pelo moribundo petismo”.

Obviamente, como tática de retórica, ele esconde quais seriam os “verdadeiros liberais”. Deve ser de vergonha.

Em seguida, ele escreve:

Nove em cada dez individuos e figuras públicas que se apresentam hoje como liberais nao passam de esquerdistas com discurso conveniente de ocasião. Existem figuras públicas liberais sérias com quem podemos até ter algum divergência de natureza teorica, mas nesse estágio da guerra politica no país no país, em que a esquerda está se recompondo apos o impeachment, nao é papel nosso estimular a divisão liberal entre liberais e conservadores e sim ajudar a desmascarar falsos liberais que nao passam de esquerdista travestidos.

Notaram que de novo ele esconde as “figuras públicas liberais sérias”? Provavelmente deve estar pedindo consultoria fora do Brasil – sabemos de onde – para ver quem ele poderá listar ou não. Certamente, a escolha será totalmente arbitrária.

Um leitor dele escreveu :

Neste caso, o enfoque seria expurgarmos os oportunistas de nosso meio, inclusive aqueles que se dizem conservadores, como o ‘Desculpas Táticas’ Constantino. Acontece que a maioria dos oportunistas se posa de liberal, e eu não vejo NENHUM desses liberais ditos ‘sérios’ fazer alguma coisa à respeito. No fim das contas, continua sobrando para os conservadores fazer todo o serviço enquanto leva ferro da galera que ainda não percebeu nem o que está se passando, nem o que está em jogo.

Note aqui que até Rodrigo Constantino – que tem feito várias concessões ao conservadorismo – provavelmente seria considerado um “falso liberal”. A retórica “true” não muda. Nem teria como mudar…

Daí Eneas afirmou:

Exato Renato! É isso que venho dizendo ha cerca de dois meses.

Repare bem: isso não é o surto de uma tarde de verão. Não é uma alucinação temporária. É algo que ele “vem dizendo há cerca de dois meses”.

Vai ser engraçado ver quando essa direita true começar a definir os “verdadeiros liberais” e “falsos liberais”. Vale lembrar que Eneas é um dos pupilos “validados” por Olavo de Carvalho.

Prevejo que eles vão bater cabeça e entrar em diversas contradições. Vamos nos divertir muito com os próximos passos desta retórica.

E vocês leram aqui pela primeira vez o alerta de que isso se tornará muito, mas muito divertido. Que ninguém diga depois que eu não avisei.

Em tempo: essa narrativa de “todos que pensam igual a mim são de esquerda” já foi refutada aqui. Depois disso, basta bater palmas para ver os malucos dançarem.

Em tempo (2): não vou apelar ao mesmo delírio de Eneas e dizer que ele é um “falso conservador” e querer elencar os “verdadeiros conservadores”. Mas há muitos conservadores inteligentes e respeitáveis e que não dependem deste tipo de palhaçada infantil tentada por Eneas. Ele é um conservador “real”. Mas claramente tem comportamento infantil. E a culpa não é do conservadorismo, mas do próprio Eneas.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Tem que dar um reset na cabeça dessa turma e recalibrar o senso de direita e esquerda e depois o senso do ridículo. O que eles propõe é uma fôrma da moralidade. Se você discorda da vírgula depois do mas no segundo parágrafo do terceiro capítulo da quarta edição da obra “Direita True – Ela, A Única, A Escolhida” automaticamente você é a reencarnação de Stalin. Depois que precisa rotular um comunista de verdade em um debate; fica gaguejando. Vão para a @#$%¨&.

  2. Luciano, essa história de você usar o “true” é muito chata (e desnecessária). Quando você diz que ele está pedindo consultoria fora do Brasil – e você sabe de onde – o que você quer dizer com isto? De onde e de quem? Porque esse “mistério”? E porque você resolveu agora dar em cima do Paulo Enéas? Quem falou mal do Constantino nesse exemplo que você deu foi um leitor dele, e não ele mesmo.

    • Basta entrar no facebook desse tal Paulo Enéas e dar muita risada: em todas as postagens ele marca o Olavo de Carvalho. Todas!

      Fico pensando se nessas horas Olavo se arrepende um pouco de tanto querer ser idolatrado, ou se acha legal várias vezes ao dia o sujeito marcando-o nas postagens em busca de migalhinhas de atenção.

    • A respeito de usar o termo “true”, é simplesmente para diferenciar a direita que pediu pra ser diferenciada. É um grupo que se intitula como “a verdadeira direita” que só apóia o bizarro Jair Bolsonaro e quer passar com um trator em cima de qualquer um que não o apóie.

      Li há pouco o livro do Stephen King “Sob a redoma” e identifiquei muito desse comportamento: pessoas fracas PRECISAM de alguém para idolatrar e seguir. Querem ser guiadas.

      Entre os metaleiros existe esse termo “true” que os próprios metaleiros inventaram para diferenciar quem escuta o “metal de verdade” (insira aqui qualquer banda desconhecida) e Slipknot, que pros true é pop. É bisonho e infantil, assim como a direita que se diz “direita de verdade”.

      Não sei se você é parte dessa direita true, mas é algo muito engraçado tanto em esquerdopata como em olavete: xingam a rodo, rotulam de ofensas pesadas, mas quando é com eles aí se ofendem e posam de vítimas.

  3. Bom, de fato existem liberais que ainda nutrem algumas definições esquerdistas de determinados conceitos e valores usurpados do liberalismo, deturpados e retomados sem a devida correção, mas que são pessoas sérias e sinceras (Arthur do Val). E também existem oportunistas que aderem a qualquer sistema em voga para se autopromoverem. Mas ambas as afirmações também valem para os conservadores (Patrícia Lélis).

    Curiosa arrogância de quem se coloca acima dos outros como juiz que determina arbitrariamente quem é “true”. Se não aceitamos o autoritarismo estatal, por que aceitaríamos o dele?

    * * *

Deixe uma resposta