A derrota do "jornalismo" veio a cavalo

12
124

Se a vitória de Trump representa alguma coisa, certamente é a derrota do “jornalismo”, especialmente dos boçais e arrogantes propagandistas de Hillary aqui no Brasil. Após meses de torcida disfarçada de notícia, toda a grande mídia nacional se vê diante de um fato: ela já não consegue mais fazer tantos de idiota como conseguia na passado.

Ver a cara de quase choro de Guga Chacra, o rosto desolado de Caio Blinder e Diogo Mainardi, o desgosto evidente de Merval Pereira e as manchetes apocalípticas que já começaram a surgir chega a ser gratificante. Esses sujeitos tentaram enganar a todos por muito tempo, abdicando daquela que deveria ser a função de um jornalista: informar. Em vez de notícias e fatos, fizeram propaganda para a psicopata Hillary Clinton e proselitismo new-left.

Neste momento, o clima deve ser de luto dentro da central Globo News de “jornalismo”. Certamente estão planejando o noticiário do dia cheio de apelos emocionais, manchetes sensacionalistas para tentar causar medo nas pessoas, além da análise de “especialistas” que nunca deram uma bola dentro.

Trump venceu, o que pode ser bom ou ruim. A boa notícia mesmo é que Hillary perdeu, e junto com ela toda essa casta de propagandistas que assumiram cargos dentro das redações de jornal, tanto aqui como lá.

Anúncios

12 COMMENTS

  1. Vemos o instituto republicano se revelando mais expressivo e adequado que o neo-liberalismo, também para o norte americano, que tem vivido há anos equivocado com a pseudo democracia.
    Resta o respeito à nação.

  2. Resultado da eleição americana.
    Imprensa americana: Credibilidade zero!
    Jornalistas brasileiros que repetiram o noticiário da CNN como micos amestrados: Credibilidade zero à esquerda!

    • A mídia influencia sim, mas em parte…eu já antipatizava com Trump desde o reality show The Apprentice, onde humilhava os candidatos ao prêmio, e tinha prazer com isso! Aqui este programa se chamou “O aprendiz”, com Roberto Justus. Lá ele já mostrava o que lhe dá prazer : estar por cima , ser mais importante, mais rico…presidente da maior potência mundial.

  3. Queria ver a surpresa de quem preferia o Trump, mas acreditava que ele perderia.

    Impressionou também a velocidade da apuração para os padrões americanos.

    * * *

  4. Sim, nós, o povo, cada dia mais descontentes com as “minorias” que lutam para dificultar a nossa vida, com a esquerda sempre privilegiando o crime e reduzindo a segurança, e com propagandistas que se dizem jornalistas. Uma hora isso tinha que acabar.

  5. Acho graça dessa galera esquerdo-bosta, são umas “pitonisas” de araque, agora vão tentar ridicularizar e desqualificar o Trump. As pesquisas estão desmoralizadas em todo o planeta. Não torcia para ninguém. Se nós ainda, como país, nem sabemos votar qual o motivo que eu teria para me intrometer na política americana. Fiquei surpreso com o resultado.

Deixe uma resposta