Com vitória de Trump e do BREXIT, extrema-esquerda saiu dos esgotos e colocou a cara no sol

1
129

Se Trump fará um bom governo ou não, ainda é cedo para dizer. Quais serão as consequências do BREXIT a longo prazo? Também não temos certeza. No entanto, estes casos e mais alguns ocorridos neste ano serviram bem a um propósito: fazer a escória mais nefasta da política nacional e internacional mostrar seu rosto sob a luz do sol.

2016 foi, de modo geral, um ano bem ruim para a extrema-esquerda, especialmente no Brasil. O impeachment de Dilma e a resposta do povo que veio nas urnas, destronando grandes caciques do partido, mostraram ao país que a hegemonia vermelha foi realmente abalada. O ‘não’ que o povo deu ao acordo com as FARC, na Colômbia, também foi significativo. A eleição de Donald Trump nos EUA serviu, ainda, não só para derrubar a hegemonia Democrata, mas para dar um pontapé no traseiro de grande parte da imprensa mundial, inclusive a brasileira.

Tudo isso gerou desconforto e, em certo nível, até desespero por parte dos totalitários. Afinal, para essa gente só existe democracia enquanto essa estiver gerando bônus para eles. A partir do momento em que a maioria discorda de suas pautas ou vota em seus oponentes, a veia totalitária aparece bem no meio da testa, pulsando de ódio.

Estes fatos serviram, então, para força-los a agir como de fato querem agir: com autoritarismo, intransigência e violência. A questão é que agora eles estão como vampiros andando a luz do dia, e com isso podemos queimá-los.

Anúncios

1 COMMENT

  1. É preciso ficar atento à crise dos títulos públicos americanos, o FED vem segurando ao máximo a situação pra ajudar aos democratas, Trump corre risco de pegar uma enorme explosão de bolha e, claro, levar a culpa por ela.

Deixe uma resposta