Os diferenciais de Milo Yiannopoulos que toda a direita deveria assimilar

4
199

A cada dia que passa vemos que a esquerda norte-americana nutre mais ódio por Milo Yiannopoulos, o que significa uma coisa apenas: ele está no caminho certo. Contudo, quais seriam as caraterísticas que ao menos parte da direita deveria copiar dele no confronto com pessoas da esquerda (e, no Brasil, da extrema-esquerda)?

Eloquência: Ele fala de forma clara, quando necessário até mesmo de forma objetiva. É fácil entender o que ele diz e é mais fácil ainda compreender o que ele faz. A eloquência é uma habilidade que alguns possuem de nascença, mas aqueles que não possuem podem adquirir através de estudo e treino.

Uso de atributos de “minoria” a seu favor: Essa questão é controversa, pois muitas vezes a direita entende que falar em minorias significa necessariamente defendê-las em detrimento de outros “grupos sociais”, o que não é verdade. Usar atributos de uma “minoria” cria uma película, um escudo que serve para quando você sofrer um ataque perverso do inimigo. Ao atacarem Milo, os esquerdistas acabam entrando em contradição com seus próprios discursos, e isso pode ser aproveitado em seu favor. (Obviamente, nem todos possuem este atributo, pois não pertencem a praticamente nenhuma “minoria”. Mas quem os tiver, está em vantagem, e deverá utilizá-los.)

Capacidade de apontar desonestidade e má intenção: Mais importante do que tentar passar a imagem soberba de que seus oponentes são “estúpidos”, Milo demonstra de forma clara que eles são pessoas mal intencionadas e desonestas. Como já foi exposto neste site, um ataque moral é sempre mais vantajoso e efetivo do que um ataque de ordem técnica.

Metaframe: Milo não se limita apenas a expor uma mentira usada pelo oponente, ele também o ridiculariza ou o rotula negativamente por isso. O metaframe é o contra-ataque seguido por um julgamento moral que deixa o adversário em maus lençóis pelo simples fato de ter usado aquele ataque contra você.

Esvaziamento do discurso alheio: Quando Milo ataca, ou quando ele contra-ataca, normalmente ele se dedica a esvaziar completamente o discurso do oponente, de modo que não reste qualquer coisa que ele possa fazer contra o que foi dito. Esvaziar o discurso alheio é extrair dele tudo o que havia em termos de frame, rótulo e apontamentos e transformar em pó.

Humor ácido: O humor, historicamente, é uma das mais poderosas ferramentas discursivas, especialmente quando se trata de crítica política e social. Não é por acaso que em todas as ditaduras, explícitas ou veladas, os humoristas sempre tenham sido perseguidos, exatamente como tentam fazer através do politicamente correto – que a partir de agora será sempre chamado de “fascismo cultural” – hoje em dia. Milo utiliza isso muito bem a ser favor, e isso irrita seus adversários.

Cabeça erguida: Postura, mais até do que as palavras ditas, é algo que conta muito a favor ou contra. Se você faz algo de cabeça erguida, passa confiança e segurança, e isso te torna menos suscetível a ataques frontais, além de passar uma boa sensação para o seu público. Milo faz o que faz sempre de cabeça erguida, ele fala com tom firme e seguro de si, não dá brechas para a insegurança que alguns deixar aparecer eventualmente.

Estes sete componentes fazem de Milo uma ameaça mais efetiva no que diz respeito ao controle de narrativas que a extrema-esquerda sempre tenta forçar. Ele é uma arma cultural eficiente por isso.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. O Milo me dá vergonha de mim. Cada vez que o vejo, eu tenho convicção do meu despreparo para a atuação política pública, e parece que nunca consigo “close the gap”. O cara é excepcional.

    • Paciência gafanhoto. Tudo melhora com a prática! Use o Milo como exemplo e vá à luta.
      Mas o cara é muito bom mesmo. De se admirar. Timing incrível!

Deixe uma resposta