Ditadura de Fidel foi 288 vezes mais "sonhadora" que ditadura militar brasileira

2
91

No Facebook, Gilberto Verdum lembrou estatísticas do “Livro Negro da Revolução Cubana”.

Fuzilados: 5.621.

Assassinados extrajudicialmente: 1.163.

Presos políticos mortos no cárcere por maus tratos, falta de assistência médica ou causas naturais: 1.081.

Guerrilheiros anticastristas mortos em combate: 1.258.

Soldados cubanos mortos em missões no exterior: 14.160.

Mortos ou desaparecidos em tentativas de fuga do país: 77.824.

Civis mortos em ataques químicos em Mavinga, Angola: 5.000.

Guerrilheiros da Unita mortos em combate contra tropas cubanas: 9.380.

Total: 115.127 (não inclui mortes causadas por atividades subversivas no exterior).

Ora, se a ditadura militar matou 400 pessoas durante o tempo todo da repressão, podemos estabelecer aqui que Fidel Castro foi 288 vezes mais “sonhador” que os militares brasileiros dos tempos da ditadura militar.

Mas pensando bem, os maiores “sonhadores” do mundo ainda seriam Stalin, Pol Pot, Hitler e Mao Zedong, por essa lógica utilizada pela extrema-esquerda.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. tem que fazer a proporção relativa ao tamanho da população do país: Como o Brasil tem população 20 vezes a de Cuba os cerca de 10.000 fuzilados em Cuba equivaleriam a 200.000 executados no Brasil!!! O regime militar eliminou cerca de 400 em 20 anos! (menos do que os assassinatos em 4 dias hoje).

    • Numa pesquisa rápida eu descobri que em 2014 a cada 4 dias foram assassinadas 653 pessoas em média. Se contarmos as mortes no trânsito no mesmo ano (a maioria é por imprudência e estradas defeituosas, o que seria em termos de violência o equivalente a assassinato) foram mais 529 mortes a cada 4 dias. Ou seja, quando se trata de mortos por violência nas ruas e no trânsito não existe nenhuma ditadura ou guerra no planeta, atual ou passada, que ganha da gente. Mas o brasileiro só se assusta e se indigna quando morre alguém famoso. Merecemos ou não o pão que o Diabo amassou?

Deixe uma resposta