Guerra entre legislativo e judiciário vai acabar prejudicando o Brasil

5
41

É evidente que os poderes legislativo e judiciário estão em pé de guerra. É uma sequência de atropelos de um sobre o  outro o tempo todo. Tal coisa tem acontecido há meses. A palhaçada se intensificou essa semana, especialmente após a decisão monocrática tomada por Marco Aurélio Mello que, sem muito embasamento, ordenou o afastamento imediato de Renan Calheiros da presidência do Senado.

Hoje a Mesa Diretora do Senado emitiu nota negando o pedido de afastamento, alegando que a decisão monocrática de Mello não será acatada e que o Senado aguardará uma decisão do colegiado do STF. Juristas rebateram, alegando que Renan poderia ser preso por desacato – aliás, não pode.

O problema com a decisão de Mello não é apenas que ela seja errada. Ela também foi tomada de modo errado. Ademais, ela seria para todos os efeitos uma decisão inócua, já que Renan Calheiros terminará seu mandato como presidente da casa ainda este mês. A não ser, é claro, que o próprio Marco Aurélio quisesse que Jorge Viana assumisse o posto e, assim, desse fim na pauta da PEC 55 ou tirasse a discussão sobre o foro privilegiado de lá.

Seria este o caso? Independentemente de termos certeza ou não da resposta, não deixa de ser engraçado observar que o mesmo Renan Calheiros, há poucos meses, recusou um pedido de impeachment de Marco Aurélio feito pelo MBL.

Seja como for, o caso é que toda essa queda de braço entre os poderes terá, no fim das contas, um único prejudicado: o povo. São as pessoas que sustentam o sistema que vão pagar a conta dessa baderna, desses desencontros, dessa enorme perda de tempo. O povo foi às ruas para pedir a saída de Renan pelos meios legais, não para vê-lo ter razão em questionar uma decisão tomada de forma errada por um magistrado.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. O título não deveria ser : “…vai acabar prejudicando o Brasil”, deveria ser : vai prejudicar ainda mais o Brasil

    Resumo

    Discursos no senado para aparecer, debates intermináveis no judiciário entre os magistrados, disputas e gritaria no congresso, e o fim?

    O fim é essa guerra política interminável, a disputa de egos e quem pode mais. Passado esse período estamos nas eleições, um monte de palhaço aparecendo na tv dizendo que vai resolver todos os problemas do país, e…

    Discursos no senado para aparecer, debates intermináveis no judiciário entre os magistrados, disputas e gritaria no congresso…

  2. É mesmo muito engraçado este país. Todo mundo grita, agora, em defesa de um cara que estaria sendo tirado de forma errada,do cargo que ocupa. Mas não questiona o fato de um cara como ele,- que rasgou a Constituição ao vivo e a cores, diante do país inteiro, que tem onze inquéritos e uma denúncia nas costas, que foi escandalosamente protegido por um ministro do STF (o “Tóffoli analógico”) em recente votação, com um insólito pedido de vistas, para que não fosse defenestrado – ainda esteja ocupando o cargo que ocupa.

    Me poupem tá?

    • Me explique porque quem grita contra a injustiça praticada contra uma pessoa não pode também exigir a punição LEGAL da mesma pessoa por outros crimes e irregularidades? Me poupem uma ova! Hoje o judiciário caça ilegalmente os direitos – não que faltassem motivos LEGAIS – de um senador da república. E amanhã? Você mesmo admite que ele foi tirado de forma errada, então eu te pergunto: você aceitaria ser preso, ou ter seus direitos tolhidos “de forma errada”? Eu não aceito que aconteça nem com você e nem com o vagabundo do Renan, por mais que os dois mereçam.

  3. Que prejudicar, que nada,isso tudo que aconteceu foi ÓTIMO! É bom que todos eles se desmoralizem, porque nenhum deles tem moral nenhuma, mesmo! Quanto mais cedo isso ficar claro, melhor para todo mundo!

Deixe uma resposta