A forma como o PT luta prova: o jogo político não é tão "combinado" assim

4
46

É comum ouvirmos por aí que a disputa entre partidos no Brasil é integralmente uma “luta combinada”, e que a esquerda inteira está mancomunada em um só projeto. Claro que em certos níveis isso acontece, e a proximidade histórica entre PSDB e PT sempre foi um fato incontestável. Contudo, há de se ter um pouco de cuidado com isso, pois obviamente há uma grande distância entre uns grupos e outros.

É absolutamente improvável que tudo seja tão combinado assim, pois um dos lados – o do PT – adquire a tática da guerra de destruição. Por exemplo:

Numa luta de telecatch podemos suspeitar de armação. Normalmente vemos movimentos coreografados e as partes envolvidas não costumam sair feridas. Isso, entretanto, dura até que um dos lados entre com uma faca e a enfie no bucho do outro. Quando um dos lados estiver agonizando e sangrando até morrer porque foi ferido pelo outro, temos uma evidência clara de que nem tudo era tão combinado assim.

É óbvio que, estrategicamente, os socialistas fabianos acabaram servindo aos interesses do projeto de poder socialista ao longo das últimas décadas. Com certeza já houve momentos claros de alianças estratégicas entre PT e PSDB. Mas uma coisa é necessário ter em mente: mesmo que façam alianças táticas, momentâneas, no longo prazo o objetivo do socialista radical é aniquilar os fabianos. No longo prazo, o PT quer mesmo aniquilar o PSDB, o DEM e todos os seus opositores. Do ponto de vista de uma metodologia totalitária, não existe meio poder, só existe o poder absoluto.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Não é sequer necessário explicar isso. Basta lembrar que a esquerda quer o totalitarismo. Totalitarismo vem de TOTAL. Se eles querem o poder TOTAL, não pode haver inimigos – ou você os “converte”, ou os “elimina”.

  2. É muito simples: aliam-se no que têm em comum (no “politicamente correto”, por exemplo) e divergem naquilo em que se distinguem (nos métodos, por exemplo).

  3. Tudo acaba nisso.
    A extrema vai ficar do lado da esquerda “leve” até o momento de se reerguer, nada de novo

    Agora fico impressionado com certas pessoas que se dizem politizadas, lendo o Reinaldo Azevedo, ele num trecho falando sobre a reforma da previdência:

    “Ora, até as pedras sabem que a chance de mudar alguma coisa nessa área está nestes dois anos de governo Temer. Ou agora ou nunca.”

    Penso.. se não fizer agora, nunca mais fará? O congresso será implodido, ou quem entrar em 2018 ficará de braços cruzados ganhando salário?

    Ok, digamos que tem que fazer a reforma, mas parece que os próximos eleitos só servirão para ocupar espaço, e aí o RA, cai no argumento que ele mesmo vive defendendo.

    Ele defende a democracia, o estado de direito, mas se ele pensa que mais a frente o que for necessário para o Brasil não sai do papel e nem mesmo deverá ser discursado, para quê serve democracia? votar em alguém que nada faz de efetivo?

    Cada uma viu. Foi mais um desabafo, desculpa

    • Perfeito, Leandro.

      Ocorre que o “contra informação RA EA/Veja” é AINDA um Trotskista e uma das coisas mais características do marxismo é a INCOERENCIA. Afinal, para Marx o que importa é a PRAXIS, o resultado efetivo e nenhum outro julgamento deve ser feito se não em função de se ATINGIR o OBJETIVO.

      Isso significa que um marxista não deve ter qualquer vestígio de VERGONHA na CARA, pois não deve se envergonhar de mentir e nem mesmo de ser flagrado na mentira, não deve ter vergonha de se CONTARDIZER e muito menos vergonha de ser flagrado na contradição. Nada disso! Mentir e contradizer-se e mesmo ser flagrado em tal vergonhoso comportamento, PARA um MARXISTA, DEVE SER MOTIVO de ORGULHO. Falta de vergonha na cara, para o marxismo é qualidade indispensável. Trotski não deixou dúvida sobre isso, pois que o mais intelectualizado marxista.

      RA EA/Veja ainda se afirma simpático ao trotskismo e assimilou perfeitamente a idéia de que mentir e contradizer-se, quanto mais flagrantemente, maior é sua qualidade. Afinal ao ser flagrado na mentira e/ou na incoerência SÓ DEMONSTRA o QUANTO o SECTÁTIO É FIEL ao OBJETIVO. ESSA É A MORAL DELES, os marxistas, NÃO É A NOSSA. Afinal, qualquer indivíduo que defenda a liberdade e a honestidade envergonha-se de mentior e mais ainda de ser flagrado na mentira ou incoerência.

      PORÉM, um ideológico, seguidor de ideologias, qualquer ideologia, NÃO SE ENVERGONHA de valer-se de artifícios canalhas em nome de seu objetivo (estabelecer a PRAXIS), ao contrário, com tal procedimento canalha ele está mostrando a seus pares o quanto é fiel à causa e assim é moralmente elevado. Afinal a moral deles (os esquerditas) valoriza a dedicação ao objetivo e não a dedicação à verdade nem à honestidade. Aliás honestidade é depreciativo moral para esquerdistas, sobretudo trotskistas.

      Daí jamais se ter visto um esquerdista (marxista ou socialista) se mostrar envergonhado ao ser desmascarado. Ao contrário, sempre que um destes canalhas é desmascarado ele exibe um semblante moralmente orgulhoso, pois ESSA È A MORAL DELES.

      Veja Paulo Beti como se mostrou qdo do mensalão, sem qualquer sintoma de vergonha na cara.
      Veja Lula e políticos desmascarados em suas alegações, especialmente o caso de elevar milhões à classe média (rebaixando o valor da renda para nesta enquadrar miseráveis)
      Veja Gleisi, Humberto Costa, Guimarães (irmão de Genoino), Lindberg, Renan e tantos outros pústulas que não demonstram, sequer, o mais ínfimo constrangimento por mentir e se contradizerem. Lindberg e Gleisi são expoentes em tal canalhice e ostentação orgulhosa.

      Veja os jornalistas, apresentadores, ancoras, artistas e canalhas de todos os fedores que não transparecem qualquer vestigio de constrangimento ao serem flagrados em mentiras e contradições. A Mentira, para estes canalhas, segundo a moral deles tem o valor da verdade para a nossa moral. Jamais espere constranger um canalha IDEOLÓGICO ao desmascara-lo. Ao contrário ele se sentirá orgulhoso ao estar demonstrando cabalmente a seus pares ideológicos o quanto é dedicado ielmente à causa. Não é possivel competir com ideológicos no quesito DESCARAMENTO. Essa é a força deles, a MORAL DELES: tudo que for em benefício da causa, do objetivo de dominar e se sobrepor aos demais, é moralmente valorizado. Pois o que importa é a PRAXIS, é o objetivo na pratica.

Deixe uma resposta