A que ponto a esquerda desceu: Obama usa CIA para emitir narrativa conspiratória sobre Putin e Trump

4
114

Quem diria que o macartismo do pior tipo da guerra fria seria adotado pela esquerda obamista. Agora a CIA – sob aparelhamento de Barack Obama – lançou a narrativa de que a Russia interferiu na eleição vencida por Trump sobre Hillary.

Um relatório da CIA alega que a Russia ajudou Trump a vencer. Aliás, o FBI não concorda com a narrativa da CIA.

A CIA diz: “As agências de inteligência identificaram indivíduos com conexão com o governo russo que enviaram ao WikiLeaks centenas de emails hackeados do Partido Democrata e outros, incluindo o chefe da campanha de Hillary Clinton, de acordo com oficiais da agência. Estes oficiais descreveram os indivíduos como atores conhecidos da comunidade de inteligência e parte de uma operação ampla da Russia para aumentar as chances de Trump e diminuir as de Hillary”.

Trump rebateu, conforme o USA Today: “Estas são as mesmas pessoas que disseram que Saddam Hussein tinha armas de destruição em massa. A eleição terminou há certo tempo em uma das maiores vitórias no Colégio Eleitoral da história. É tempo de olharmos para frente e “fazermos a América grande novamente”.

Eis que agora a esquerda norte-americana faz o papel de malucos fissurados em teorias conspiratórias. Patético.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Eu não vejo evidência nenhuma de “aparelhamento” da CIA. Acho muito mais difícil acreditar que eles arriscariam suas carreiras e reputações pra lançar mão de uma narrativa completamente inútil. Seria uma molecagem.
    O que a CIA denuncia faz sentido. O Wikileaks, desde o seu surgimento, sempre fez operações de interesse russo (o que não quer dizer que seja uma braço da inteligência russa – é um pouco mais complicado que isso) e contra os interesses americanos e da OTAN em geral.

    Também Putin manifestou diversas vezes preferência por Trump, que tem uma atitude extremamente complacente com ele e com a Rússia. Se alguém duvida do interesse russo em Trump, não precisa acreditar em mim – vá ler o que Dugin e seus amigos escreveram sobre as eleições americanas – eles não deixam dúvidas.

    A CIA só somou 1 + 1 (e certamente sabe muito mais das conexões do Assange do que nós imaginamos). O caso dos e-mails constitui sim, em interferência externa no processo eleitoral.

    O erro nisso foi o ridículo spin da mídia democrata, na sua histeria pós-eleitoral logo tratou de dizer que “a Rússia roubou as eleições” e outras baboseiras do tipo.
    A CIA disse que a intervenção ocorreu, não que foi decisiva no resultado das eleições. Isso é até impossível de medir (pessoalmente acho que os e-mails do wikileaks não estão nem no top 5 das razões pelas quais Hillary perdeu).

  2. “Estas são as mesmas pessoas que disseram que Saddam Hussein tinha armas de destruição em massa.”

    Quem inventou que Saddam Hussein tinha armas de destruição em massa foram os republicanos. Ou seja, gente do partido dele…

    • Renato, ele estava se referindo à CIA, não ao Obama. E, como já sabemos, a CIA estava errada, e tudo não passou de uma desculpa pra ação militar dos EUA.

      Luciano, quando der, por favor, dê uma olhada no botão “reply”, porque desde hoje ele não está funcionando direito. Em tempo, por favor, tire esse baner que abre sempre que entramos na sua página. Isso é PÉSSIMO pra quem lê seus artigos em um smartphone.

  3. Pera aí temos uma confusão aqui: comunistas são os russos . Obama é democrata . Trump republicano . Não vamos confundir a esquerda brasileira com a visão democrata dos EUA – tanto é diferente que os próprios esquerdistas barsileiros odeiam o Obama.

Deixe uma resposta