Apesar de vitória com folga, Folha diz que votação da PEC teve "placar adverso"

4
85

Termos como “votação apertada” e “placar adverso” foram utilizados em matéria da Folha de São Paulo para se referir a aprovação da PEC 55 ontem, no Senado Federal. Curiosamente, o placar foi de 53 a 16, sendo que para ser aprovada a PEC precisava de apenas 49 votos.

b94a6c72-362b-49a9-b2fc-febe4a5be19b

Isso significa que a PEC teve quatro votos a mais que o necessário para passar e que o governo teve 37 votos a mais do que a oposição. Em que mundo isso seria um “placar adverso” ou uma “votação apertada”? No mundo dos canalhas que escrevem matérias para a Folha, é claro.

A proposta foi aprovada pela ampla maioria e o placar teria sido ainda maior se todo o Senado estivesse presente. Muitos parlamentares acabaram não votando porque nem estavam lá na sessão. Fato é que não foi, em momento algum, uma “votação apertada”. A vitória foi com folga e poderia ter sido ainda mais expressiva se a casa estivesse cheia.

Será que quando a Folha noticiou a vitória da Alemanha sobre o Brasil em 2014, ela também disse que “o placar foi apertado”? Será que o jornal publicou matéria enaltecendo o gol do Oscar contra os 7 gols alemães?

Anúncios

4 COMMENTS

  1. Divulguem os nomes dos jornalistas ou reporteres que assinam as materias da Folha e do Uol, isso vai nos ajudar a identifica-los sempre que aparecerem em outros veiculos de comunicação

  2. Luciano, o que você pensa do que disse o Senador Caiado sobre “…coragem em falar em antecipação das eleições…”? Não estaria ele se deixando convencer pelos ardis da esquerda, com seus milicianos aterrorizando o país e seus guerrilheiros das letras entricheirados nas mídias?

    • Acho que houve uma tentativa de “marketing pessoal” aí. Ele quer passar a imagem de que está “alinhado com os anseios do povo”, então ele quer “se indignar contra qualquer sinal de corrupção”.

      Só que, na remota hipótese de haver renúncia e eleições diretas, quem sai perdendo é justamente ele. Em primeiro lugar, ele não tem votação expressiva. Em segundo, há chances reais da esquerda ganhar.

      E, como o próprio Luciano já disse: se ele estivesse indignado e quisesse solução real, o processo de impeachment existe para isso.

Deixe uma resposta