Wyllys: "não aceito ser punido por ser um homossexual". Isso é cuspe na cara do Conselho de Ética. Vai ficar por isso mesmo?

8
161

Preste atenção na seguinte narrativa fascista emitida no Facebook do deputado comunista Jean Wyllys:

Não aceito ser punido por ser um homossexual que ousou sair do lugar subalterno que a sociedade lhe reserva. Eu nunca fui acusado de nenhum ato de corrupção, não recebi dinheiro das empreiteiras da Lava-Jato, não estou na lista da Odebrecht, não tenho contas na Suíça e nunca agi de forma contrária à ética. Sou um deputado honesto que defende suas ideias, que você pode concordar ou não, mas foram apoiadas por 145 mil eleitores. O que eu faço na Câmara é o que eu prometi na campanha, porque nunca escondi meus projetos.

Para início de conversa, ele ofendeu os gays ao dizer que a sociedade lhes reserva lugar subalterno. Na verdade, a sociedade reserva lugar subalterno a monstros morais como Jean Wyllys, e não importa se a pessoa é homossexual ou não.

Em seguida, ele diz que “não foi acusado de ato de corrupção”, mas isso não tem nada a ver com o crime do qual ele está sendo julgado: o de cuspir em outra pessoa, o que não difere de ejacular sobre um adversário, ou seja, é um ato da mesma classe do estupro.

Ele diz ter sido eleito por 145 mil pessoas, mas isso é irrelevante, dado que Jair Bolsonaro, vítima de seu crime, teve ainda mais votos. E isso também não importa.

Ele disse que nunca agiu de forma contrária à ética, mas sua falta de ética é o ponto central da ação contra ele.

Enfim, Wyllys não deu razão alguma para não ser punido com a perda do mandato e de seus direitos políticos. Qualquer coisa abaixo disso é ficar de quatro para o mais arrogante e antissocial de todos os 513 deputados. Alguém que se acha no direito de cuspir impunemente nos outros não está pronto para viver em sociedade, muito menos para ocupar um lugar na Câmara dos Deputados.

Afirmar que não pode ser punido pela agressão imperdoável por questões nem um pouco relacionadas ao caso é outro cuspe, desta vez na cara do Conselho de Ética.

Se Jean Wyllys não perder seu mandato, é melhor fechar o Conselho de Ética e liberar o “vale tudo” na Câmara. Tal conselho deixa de fazer sentido. Até porque garantir impunidade diante de tamanha quebra de decoro é coisa de quem perdeu a vergonha na cara.

Anúncios

8 COMMENTS

  1. Hummm, está explicado. Ele cuspiu no Bolsonaro porque o cuspe faz parte das práticas sexuais dele. Estes homofóbicos confundem tudo e acham que um ato de carinho é agressão.

  2. Eu não vi o programa, mas pelo que me contarem ele usou essa mesma estratégia no programa BBB.
    Parece que ninguém gostou dele já no início do programa, e que o indicaram pra eliminação logo na primeira semana. Para sua defesa usou esse mesmo argumento, “querem minha saída porque sou gay”. E pronto, depois disso e graças ao politicamente correto, o público LGBT, os simpatizantes e os antenadinhos se juntaram pra proteger o “gay oprimido” no voto popular pela internet e por telefone e o cara ganhou o programa, pois ninguém mais teve coragem de votar contra ele e por medo de ser rotulado como homofóbico.
    Vamos ver se os senhores legisladores e julgadores irão cair no mesmo truque canalha.

  3. Homossexualidade não é blindagem para cometer crimes de nenhuma natureza incluindo os morais. Se afugentar atrás de uma classe, só mostra para que serve os gays para comunistas safados como Jean Wyllys, massa de manobra.

  4. Sou homossexual, ver o Jean dizer que “representa os homossexuais” me deixa enojado. Os únicos homossexuais que conheço que gostam ou se sentem representados por ele são de coletivos universitários que repetem o mesmo discurso que ele. Verdadeiros papagaios, quando se tenta conversar para saber a fundamentação de suas posições, as premissas dos seus argumentos a única coisa que saem de suas bocas são preconceitos.

    A realidade é que a grande maioria dos LGBTs do Brasil não caem mais em suas artimanhas e reprovam suas atitudes, mas infelizmente sofrem repressão dos ditos movimentos que dizem defender seus interesses. Somos silenciados e as vezes até mesmo taxados de homofóbicos! Vejam só, um gay homofóbico… é quase uma esquizofrenia coletiva.

    Insiste em traçar uma linha dividindo a sociedade e se escondem atrás da multidão e nos usam como escudo humano. Eles fazem todo um discurso vitimista, ofensivo, irracional e o resultado disso é que toda uma parcela que não é assim tão pequena da sociedade é estigmatizada por uma questão tão pessoal que só se faz presente entre quatro paredes.

    Se já não fosse todo o preconceito que já sofremos, por culpa deles, temos que sofrer ainda mais preconceito e intolerância mas não por sermos homossexuais, mas sim por que os ditos “defensores” são ainda mais intolerantes, preconceituosos e propagam um discurso de ódio contra todos aqueles que não repetem suas ideias de forma passiva, doutrinada.

    Jean Wyllys planta o ódio, mas quem o colhe somos nós, homossexuais pobres e anônimos que não temos um escudo de militantes dispensáveis que podem morrer em nome “da causa”.

    “Com amigos assim, quem precisa de inimigos?”

    • Você disse tudo. Não sou homossexual, mas apóio todos os movimentos e projetos legítimos que repudiam qualquer tipo de homofobia.
      O Jean, a meu ver, quer transformar os homossexuais em super heróis, pessoas superiores a qualquer outras. Porém, o que ele faz, na verdade, é vulgarizar os homossexuais.

  5. Ele é só mais um sem ética naquela lixeira… Se for aplicar alguma punição que faça com todos que já desrespeitaram as normas… Difícil né, então peguem esse trouxa que é a bola da vez é expulsam de lá e tudo estará resolvido.

  6. Ele é uma criatura tão ridicula! e usa sua condição de gay em favor de si para sempre se fazer de vitima, mas se comporta como um verme que não merece nada além de ser jogado no ralo da sociedade.

Deixe uma resposta